Os comportamentos de risco para os transtornos alimentares atenuam a agilidade e a impulsão vertical em atletas de esportes de combate?

Autores

  • Leonardo de Sousa Fortes Universidade Federal de Pernambuco. Departamento de Educação Física e Desportos
  • Saulo Fernandes Melo de Oliveira Universidade Federal de Pernambuco. Departamento de Educação Física e Desportos
  • Lilyan Carla Vaz Mendonça Universidade Federal de Pernambuco. Departamento de Educação Física e Desportos
  • Geraldo José Santos Oliveira Universidade Federal de Pernambuco. Departamento de Educação Física e Desportos
  • Pedro Pinheiro Paes Universidade Federal de Pernambuco. Departamento de Educação Física e Desportos
  • António Manuel Leal Ferreira Mendonça da Fonseca Universidade do Porto. Faculdade de Desportos

DOI:

https://doi.org/10.11606/1807-5509201700040721

Palavras-chave:

Desempenho Motor; Transtornos Alimentares; Atletas.

Resumo

Desconhece-se a relação entre desempenho físico e comportamentos de risco para os transtornos alimentares (CRTA). O objetivo foi comparar a agilidade e a impulsão vertical entre atletas de esportes de combate do sexo masculino com e sem risco para os transtornos alimentares. Participaram 113 atletas com idade entre 12 e 36 anos. O Eating Attitudes Test (EAT-26) foi utilizado para avaliar CRTA. Utilizou-se o teste vai-e-vem (5 metros) para avaliar agilidade. O teste de impulsão vertical foi utilizado para avaliar a potência anaeróbia de membros inferiores. Conduziu-se análise multivariada de covariância (MANOVA) para comparar os testes motores em função das classificações dicotômicas do EAT-26. Os resultados indicaram diferença estatisticamente significante da impulsão vertical entre atletas com (Média=2,50m) e sem risco (Média=2,58m) para os transtornos alimentares (F(2, 111)=12,34; p=0,041). Os achados não apontaram diferenças para a agilidade entre atletas com (Média=20,57 segundos) e sem risco (Média=20,34 segundos) para os transtornos alimentares (F(2, 111)=2,57; p=0,22). Concluiu-se que os comportamentos de risco para transtornos alimentares estiveram relacionados com o menor desempenho na impulsão vertical em atletas de esportes de combate do sexo masculino, fato não replicado para a agilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-23

Como Citar

Fortes, L. de S., Oliveira, S. F. M. de, Mendonça, L. C. V., Oliveira, G. J. S., Paes, P. P., & Fonseca, A. M. L. F. M. da. (2017). Os comportamentos de risco para os transtornos alimentares atenuam a agilidade e a impulsão vertical em atletas de esportes de combate?. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 31(4), 721-728. https://doi.org/10.11606/1807-5509201700040721

Edição

Seção

Artigos