Do "Homo Sportivus": relações entre natureza, cultura e técnica

Autores

  • Jorge Olímpio Bento Universidade do Porto; Faculdade de Desporto

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1807-55092007000400006

Palavras-chave:

Desporto, Transcendência, Homem novo, Humanismo, Iluminismo, Natureza, Cultura, Tecnização do mundo

Resumo

Para entendermos o desporto dos nossos dias é preciso, em primeiro lugar, conhecer o pensamento filosófico da Antiguidade, nomeadamente os ideais, princípios e valores inerentes à transcendência, ao sentido e salvação da vida. Em segundo lugar, é necessário perceber o alcance da relação entre cultura e natureza na configuração do homem e do seu corpo, estabelecida pelo Iluminismo, o Humanismo e a Modernidade, com destaque para Rousseau, Kant, Pestalozzi e Humboldt. É aí que enraíza o "Homo Sportivus", uma evolução do "Homo Gymnasticus" e do "Homo Olympicus" projetado por Coubertin. Em terceiro lugar, devemos compreender a "tecnização do mundo", denunciada por Heidegger, própria do ambiente de concorrência generalizada chamado "globalização". O progresso, o conhecimento, a técnica e o domínio da natureza, que antes serviam ideais superiores e exteriores, passaram da categoria de meios para a de fins. Também isto nos incita a recriar um Humanismo conforme às exigências do nosso tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-01

Como Citar

Bento, J. O. (2007). Do "Homo Sportivus": relações entre natureza, cultura e técnica . Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 21(4), 315-330. https://doi.org/10.1590/S1807-55092007000400006

Edição

Seção

naodefinida