A construção da identidade na socialização profissional de treinadores

entre a escola de ofício e a academia

Autores

  • Heitor de Andrade Rodrigues Faculdade de Educação Física e Dança, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO, Brasil
  • Roberto Rodrigues Paes Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil
  • Samuel de Souza Neto Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, SP, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.11606/1807-5509201800030427

Palavras-chave:

Formação, Desenvolvimento profissional, Narrativas de vida, Basquetebol

Resumo

O presente estudo teve como objetivo analisar o processo de constituição da identidade profissional em treinadores de jovens atletas de basquetebol. Optou-se pela metodologia qualitativa, na perspectiva etnossociológica, baseada nos pressupostos da narrativa de vida de 13 treinadores de basquetebol, utilizando a entrevista narrativa como técnica para coleta de dados. Os resultados revelaram que o processo de constituição da identidade profissional dos treinadores é fruto de socializações sucessivas no curso de suas vidas pessoais e profissionais. A identidade dos treinadores emergiu da interação entre trajetórias biográficas e relacionais, confirmando a relevância da experiência no campo profissional adquirida por meio da imersão na cultura do esporte. Esta, por um lado, é fortemente marcada por uma educação artesanal, “escola de ofício”, em que o aprendiz aprende com um mestre e, por outro lado, é questionada pelos mecanismos de formação dos cursos de Educação Física. Por fim, à guisa de conclusão, identificou-se a emergência de dois perfis identitários entre os treinadores pesquisados, quais sejam: a identidade de ofício e a identidade em mobilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-09-10

Como Citar

Rodrigues, H. de A., Paes, R. R., & Souza Neto, S. de. (2018). A construção da identidade na socialização profissional de treinadores: entre a escola de ofício e a academia. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 32(3), 427-441. https://doi.org/10.11606/1807-5509201800030427

Edição

Seção

Artigos