Peso ao nascer exerce influência sobre as aminotransferases e saúde de escolares com obesidade após uma intervenção?

Autores

  • Micheli Lüttjohann Duré Universidade de Santa Cruz do Sul. Promoção da Saúde, Santa Cruz do Sul, RS, Brasil
  • Rodrigo Machado Ardenghi Universidade de Santa Cruz do Sul. Departamento de Biologia e Farmácia, Santa Cruz do Sul, RS, Brasil
  • Cézane Priscila Reuter Universidade de Santa Cruz do Sul. Departamento de Educação Física e Saúde, Santa Cruz do Sul, RS, Brasil
  • Miria Suzana Burgos Universidade de Santa Cruz do Sul. Promoção da Saúde, Santa Cruz do Sul, RS, Brasil; Universidade de Santa Cruz do Sul. Departamento de Educação Física e Saúde, Santa Cruz do Sul, RS, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v33i2p207-2016

Palavras-chave:

Indicadores de Saúde, Desempenho Motor, Alanina Aminotransferase, Aspartato Aminotransferase, Obesidade

Resumo

A causa do sedentarismo, obesidade e esteatose hepática não alcóolica pode estar nos primeiros anos de vida ou, até mesmo, no peso de nascimento. Desta forma, objetivamos verificar se o peso ao nascer exerce influência sobre aminotransferases e saúde geral de escolares submetidos a uma intervenção. A amostra compõe-se de 39 escolares com sobrepeso e obesidade (19 no grupo controle e 20 no experimental),
classificados com baixo peso, peso adequado e excesso de peso ao nascer. Foram avaliados: índice de massa corporal (IMC), aptidão cardiorrespiratória (APCR), flexibilidade, força abdominal, força de membros inferiores e superiores, agilidade, velocidade, aspartato aminotransferase (AST) e alanina aminotransferase (ALT). Foi encontrada diferença significativa, após a intervenção, do grupo experimental sobre o controle na flexibilidade (p = 0,032 no grupo peso adequado ao nascer), e na agilidade (p = 0,035 no grupo excesso de peso ao nascer). Observamos, após a intervenção, melhoras nas variáveis flexibilidade (p = 0,024, Δ = 5,88 cm para o grupo baixo peso), força abdominal (p = 0,013, Δ = 8,00 repetições para grupo peso adequado ao nascer e p = 0,030, Δ = 5,00 repetições para o grupo excesso de peso ao nascer), agilidade (p = 0,011, Δ = −1,62 segundos no grupo baixo peso/peso insuficiente ao nascer, p < 0,001, Δ = −1,25 segundos para peso adequado ao nascer e p = 0,001, Δ = −1,74 segundos para grupo excesso de peso ao nascer) e força de membros inferiores (p = 0,002, Δ = 0,16 cm para o grupo excesso de peso). ALT teve uma piora no peso adequado (p = 0,018, Δ = 5,24 UI/L). Concluímos que a variável peso ao nascer não foi determinante para
alteração dos níveis de aminotransferases, desempenho motor e de saúde após um programa de intervenção interdisciplinar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-05-29

Como Citar

Duré, M. L., Ardenghi, R. M., Reuter, C. P., & Burgos, M. S. (2019). Peso ao nascer exerce influência sobre as aminotransferases e saúde de escolares com obesidade após uma intervenção?. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 33(2), 207-2016. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v33i2p207-2016

Edição

Seção

Artigos