A carreira do profissional de Educação Física: um estudo fenomenológico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.2022e36176336

Palavras-chave:

Fenomenologia, Psicologia organizacional, Desenvolvimento profissional, Trabalho

Resumo

Diversas pesquisas discutiram as relações entre o homem e o desenvolvimento de suas carreiras, entretanto se faz necessário explorar mais a construção desses caminhos para profissionais de Educação Física. O objetivo desta pesquisa foi apreender os significados e sentidos que os profissionais de Educação Física atribuem às suas carreiras. Nesta pesquisa qualitativa fenomenológica, foram realizados encontros dialógicos com oito profissionais de Educação Física de diferentes áreas de atuação. Após cada encontro foi elaborada uma narrativa compreensiva e, ao final, uma narrativa-síntese. Os resultados foram analisados a partir do paradigma de carreira Life Design. Todos enfatizaram a autorresponsabilidade pelo sucesso na carreira, busca constante por formação profissional, capacidade de adaptação aos diferentes momentos da vida e da profissão e intenção de permanência mesmo com possíveis mudanças de funções. Ainda que estes profissionais enfrentem diversas dificuldades na profissão e suas respectivas realidades, o alto nível de envolvimento com a profissão garantiu tal permanência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Brasil. Lei no 9.696, de 1 de setembro de 1998. Dispõe sobre a regulamentação da Profissão de Educação Física e cria os respectivos Conselho Federal e Conselhos Regionais de Educação Física. Diário Oficial da União. 02 set. 1998.

Costa MG, Perelli JM, Mataruna-dos-Santos LJ. História da ginástica no Brasil: da concepção e influência militar aos nossos dias. Navigator. 2016;12:63-75.

Tieghi AL. Oito décadas de pioneirismo. Rev Espaço Aberto. 2014;164.

Madureira AS. Educação física: licenciatura versus bacharelado, que discurso é esse? EFDeportes. 2017;22.

Souza Neto S, Alegre AN, Hunger D, Pereira JM. A formação do profissional de educação física no Brasil: uma história sob a perspectiva da legislação federal no século XX. Rev Bras Ciênc Esporte. 2004;25:113-128.

Yildiz SM. The training and employment of teachers of physical education and sports in Turkey. Coll Antropol. 2012;36:99-106.

Conselho Federal de Educação Física. Conselho Federal de Educação Física [internet]. Rio de Janeiro; c2020 [acesso em 13 set. 2020]. Disponível em: https://www.confef.org.br/confef/.

Savickas ML. The theory and practice of career construction. In: Brown SD, Lent RW, editores. Career development and counselling: putting theory and research to work. Wiley: Hoboken; 2005.

Savickas ML. New questions for vocational psychology: premises, paradigms, and practices. J Career Assess. 2011;19:251-258.

Savickas ML, Nota L, Rossier J, Dauwalder J-P, Duarte ME, Guichard J et al. Life designing: a paradigm for career construction in the 21st century. J Vocat Behav. 2009;75:239-250.

Jenkins C. Male careers in physical education. Asp Educ. 1974;12:780.

Both J, Nascimento JV, Lemos CAF, Donegá AL, Ramos MHKP, Petroski EC et al. Validade e fidedignidade da escala de avaliação da qualidade de vida no trabalho percebida por professores de educação física do ensino fundamental e médio (QVT-PEF). Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2006;8:45-52.

Lemos CAF, Nascimento JV, Borgatto AF. Parâmetros individuais e sócio-ambientais da qualidade de vida percebida na carreira docente em educação física. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2007;21:81-93.

Both J, Nascimento JV, Sonoo CN, Lemos CAF, Borgatto AF. Bem estar do trabalhador docente de educação física da região sul do Brasil de acordo com os ciclos vitais. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2014;28:77-93.

Votík J. The analysis of chosen characteristics of alumni who studied the program physical education and sport at University of West Bohemia in Pilsen. Hum Mov. 2009;10:67-74.

Furtado RP, Santiago LP. Educação Física e trabalho: considerações a respeito da inserção profissional de egressos da FEF-UFG. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2015;29:325-336.

Kirk D. Making a career in PESP in the corporatized university: reflections on hegemony, resistance, collegiality and scholarship. Sport Educ Soc. 2014;19:320-332.

Evans J, Davies B. Physical Education PLC: neoliberalism, curriculum and governance. New directions for PESP research. Sport Educ Soc. 2014;19:869-884.

O’Sullivan M, Penney D. Education: a space to survive and thrive? Sport Educ Soc. 2014;19:343–351.

Rossi F, Hunger D. As etapas da carreira docente e o processo de formação continuada de professores de Educação Física. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2012;26:323–338.

Amorim Filho ML, Ramos GNS. Trajetória de vida e construção dos saberes de professoras de educação física. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2010;24:223-238.

Folle A, Nascimento JV. Trajetória docente em educação física: percursos formativos e profissionais. Rev Bras Educ Fís Esporte 2010;24:507-523.

Fessler R. A model for teacher professional growth and development. In: Burke PJ, Heideman RG, editores. Career-long teacher education. Springfield: Charles C. Thomas; 1985.

Huberman M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: Nóvoa A, editor. Vidas de professores. Porto: Porto Editora; 1995.

Mäkelä K, Hirvensalo M, Whipp PR. Should I stay or should I go? Physical education teachers’ career intentions. Res Q Exerc Sport. 2014;85:234-244.

Nascimento JV, Graça A. A evolução da percepção de competência profissional de professores de educação física ao longo de sua carreira docente. In: Congreso de Educación Física e Ciencias do Deporte dos Países de Língua Portuguesa; Porto, Portugal. Douro Litoral: Universidade do Porto; 1998.

Parsons F. Choosing a vocation. Boston: Houghton Mifflin; 1909.

Super DE. The psychology of careers. Nova York: Harper & Row; 1957.

Super DE. A life-span, life-space approach to career development. J Vocat Behav. 1980;16:282-298.

Guichard J. Life-long self-construction. Int J Educ Vocat Guid. 2005;5:111-124.

Savickas ML. Life-Design Counseling Manual [internet]; c2015. Disponível em: https://dwd.wisconsin.gov/youthapprenticeship/pdf/2017_forum/eidsmoe/manual_LifeDesignCounseling.pdf.

Savickas ML. Life Design: a paradigm for career intervention in the 21st century. J Couns Dev. 2012;90:13-19.

Savickas ML. Constructing careers: actor, agent, and author. J Employ Couns. 2011;48:179-181.

Savickas ML, Porfeli EJ. Career adapt-abilities scale: construction, reliability, and measurement equivalence across 13 countries. J Vocat Behav. 2012;80:661-673.

Husserl E. A crise da humanidade europeia e a filosofia. 3ª ed. Porto Alegre: EDIPUCRS; 2008.

Brisola EBV, Cury VE, Davidson L. Building comprehensive narratives from dialogical encounters: a path in search of meanings. Estud Psicol. 2017;34:467-475.

Brisola EBV, Cury VE, Davidson L. Mother–infant relationships mediated by singing. Humanist Psychol. 2019;47:273-284.

Fadda GM, Cury VE. A experiência de mães e pais no relacionamento com o filho diagnosticado com autismo. Psicol Teor Pesqui. 2019;35.

Vasconcelos TP, Cury VE. Atenção psicológica em situações extremas: compreendendo a experiência de psicólogos. Psicol Ciênc Profissão. 2017;37:475-488.

Incerpe PRB, Cury VE. Atendimento a mulheres em situação de violência: a experiência de profissionais de um CREAS. Estud Pesqui Psicol. 2020;20:919-939.

Forghieri YC. Psicologia fenomenológica: fundamentos, método e pesquisas. 1993.

Folle A, Oliveira Farias G, Boscatto JD, Nascimento JV. Construção da carreira docente em educação física: escolhas, trajetórias e perspectivas. Movimento. 2009;15:25-49.

Fiorini MC, Bardagi MP, Silva N. Adaptabilidade de carreira: Paradigmas do conceito no mundo do trabalho contemporâneo. Rev Psicol Organ Trab 2016; 16: 236-247.

Loosemore M, Lam ASY. The locus of control: a determinant of opportunistic behaviour in construction health and safety. Constr Manag Econ. 2004;22:385-394.

Ratten V, Jones P. Future research directions for sport education: toward an entrepreneurial learning approach. Educ Train 2018;60:490-499.

Berei CP, Pratt E, Parker M, Shephard K, Liang T, Nampai U et al. Guideposts and roadblocks to the career-long scholarly engagement of physical education teacher education faculty. Res Q Exerc Sport. 2017;88:455-467.

Masyagina N V. Business career of expert in physical education and sport. Theory Pract Phys Cult. 2014;10:47-49.

Richards KAR, Washburn NS, Hemphill MA. Exploring the influence of perceived mattering, role stress, and emotional exhaustion on physical education teacher/coach job satisfaction. Eur Phys Educ Rev. 2019;25:389-408.

Pereira MM, Ferreira MC, Valentini F. Occupational satisfaction of physicians: the impact of demands and resources. Paidéia (Ribeirão Preto). 2019;29.

Freitas DC, Pereira MPVC, Rosa AI, Trusz RD, Farias GO. Formação continuada de professores de educação física. Corpoconsciência. 2017;20:9-21.

McGaghie WC, Mytko JJ, Brown WN, Cameron JR. Altruism and compassion in the health professions: a search for clarity and precision. Med Teach. 2002;24:374–378.

Beltrame GR, Donelli TMS. Maternidade e carreira: desafios frente à conciliação de papéis. Aletheia. 2012;(38-39):206-217.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira - 2018 [e-book]. Rio de Janeiro; IBGE; 2018.

Grzywacz JG, Marks NF. Reconceptualizing the work–family interface: An ecological perspective on the correlates of positive and negative spillover between work and family. J Occup Health Psychol. 2000;5:111-126.

Downloads

Publicado

2022-12-08

Como Citar

Voltan, D. Z., & Messias, J. C. C. (2022). A carreira do profissional de Educação Física: um estudo fenomenológico . Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 36, e36176336. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.2022e36176336

Edição

Seção

Artigos

Dados de financiamento