Efeito do aumento no nível de atividade física sobre a ansiedade e depressão em idosas

Autores

  • Igor Félix Miziara Universidade do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.
  • Anthoni Lemos Universidade do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.
  • Thiago Cândido Alves Universidade do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.2023e37176929

Palavras-chave:

Educação Física, Psiquiatria, Saúde mental, Prevenção primária

Resumo

O objetivo do estudo foi avaliar a prevalência de ansiedade e depressão em idosas da Universidade Aberta à Maturidade (UNABEM); e verificar o impacto de um programa de exercícios físicos sobre os níveis de ansiedade e depressão delas. Na sede da UNABEM foram promovidos exercícios físicos duas vezes por semana, com duração aproximada de uma hora, durante quatro meses. Foram analisados os níveis de atividade física, de ansiedade, e de depressão das idosas, por meio do Questionário Internacional de Atividade Física - Versão Curta (IPAQ), do Inventário de Ansiedade de Beck (BAI), e do Inventário de Depressão de Beck (BDI), respectivamente, no início e no final do programa. Resultados: na amostra dos 21 indivíduos, a quantidade de idosas fisicamente ativas passou de 6, para 12, com a implementação do programa de atividade física. Da mesma forma, a quantidade de idosas com ansiedade categorizada como mínima foi de 11 para 15; e de depressão mínima de 15 para 17. Os níveis de ansiedade e depressão não demonstraram diferença significativa entre idosas fisicamente ativas e sedentárias, e houve uma melhora clínica dos níveis de ansiedade, e uma melhora clínica e estatística dos níveis de depressão, após o programa de exercícios físicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Miranda GMD, Mendes ACG, Silva ALA. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2016;19(3):507-519.

Kennedy BK, Berger SL, Brunet A, Campisi J, Cuervo AM, Epel ES, et al. Geroscience: linking aging to chronic disease. Cell. 2014;159(4):709-713.

Fechine BRA, Trompieri N. O processo de envelhecimento: as principais alterações que acontecem com o idoso com o passar dos anos. InterSciencePlace. 2015;1(20).

Minghelli B, Tomé B, Nunes C, Neves A, Simões C. Comparação dos níveis de ansiedade e depressão entre idosos ativos e sedentários. Arch Clin Psychiatry. 2013;40(2):71-76.

Cheik NC, Reis IT, Heredia RA, Lourdes Ventura M, Tufik S, Antunes HK, et al. Efeitos do exercício físico e da atividade física na depressão e ansiedade em indivíduos idosos. Rev Bras Ciênc Mov. 2008;11(3):45-52.

Oliveira DV, Antunes MD, Oliveira J. Ansiedade e sua relação com a qualidade de vida em idosos: revisão narrativa. Cinergis. 2017;18(4):316-322.

Tribess S. Prescriçao de exercıcios fısicos para idosos. Saúde Com. 2016;1(2).

Strasser B, Fuchs D. Role of physical activity and diet on mood, behavior, and cognition. Neurol Psychiatry Brain Res. 2015;21(3):118-126.

Alves JED. Envelhecimento populacional no Brasil e no mundo. Rev Longeviver. 2019;

Tesser CD. Por que é importante a prevenção quaternária na prevenção? Rev Saúde Pública. 2017;51:116.

Brasil. Resolução nº 251, de 7 de Agosto de 1997. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos [internet]. 1997. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/normas_pesquisa_sereshumanos.pdf

Torquato E, Gerage A, Meurer S, Borges R, Silva M, Benedetti T. Comparação do nível de atividade física medido por acelerômetro e questionário IPAQ em idosos. Revista Bras Ativ Fís Saúde. 2016;21(2):144-153.

Oliveira Silva D, da Silva FI, Machado DZ, Passoni CR. Prevalência e correlação entre constipação intestinal e ansiedade. Cadernos Escola Saúde. 2012;1(7).

Gorenstein C, Andrade LHSG. Validation of a Portuguese version of the Beck Depression Inventory and State-Trait anxiety inventory in Brazilian subjects. Brazilian J Med Biol Res. 1996;

Hiestand T, Hänggi J, Klein C, Topka MS, Jaguszewski M, Ghadri JR, et al. Takotsubo syndrome associated with structural brain alterations of the limbic system. J Am Coll Cardiol. 2018;71(7):809-811.

Couto N, Antunes R, Monteiro D, Moutão J, Marinho DA, Cid L. Impact of the basic psychological needs in subjective happiness, subjective vitality and physical activity in an elderly portuguese population. Motricidade. 2017;13(2):58-70.

Downloads

Publicado

2023-07-31

Como Citar

Miziara, I. F., Lemos, A. ., & Alves, T. C. (2023). Efeito do aumento no nível de atividade física sobre a ansiedade e depressão em idosas. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 37, e37176929. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.2023e37176929

Edição

Seção

Artigos