Níveis de atividade física de estudantes do curso de Educação Física de uma faculdade do interior da Bahia

Autores

  • Alan Michel dos Santos Araújo Centro Universitário Nobre, Feira de Santana, BA, Brasil.
  • Erlandia Carvalho dos Santos Centro Universitário Nobre, Feira de Santana, BA, Brasil.
  • Marivaldo Moreira de Souza Júnior Centro Universitário Nobre, Feira de Santana, BA, Brasil.
  • Marcelle Esteves Reis Ferreira Centro Universitário Nobre, Feira de Santana, BA, Brasil.
  • Gustavo Marques Porto Cardoso Centro Universitário Nobre, Feira de Santana, BA, Brasil. Secretaria de Educação do Estado da Bahia, Salvador, BA, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.2022e36184537

Palavras-chave:

Exercício Físico, Comportamento sedentário, Universitários, Promoção de saúde, Qualidade de vida

Resumo

O objetivo do estudo foi analisar os aspectos sociodemográficos e os níveis de atividade física de estudantes do curso de Bacharelado em Educação Física de uma faculdade privada do interior da Bahia, mais especificamente os ingressantes e concluintes, bem como os fatores que podem interferir no modo de vida ativo ou inativo destes futuros profissionais de Educação Física. Para tanto, aplicou-se o Internationaly Physical Activity Questionnaire - IPAQ, em sua versão curta e em português, a fim de avaliar as supostas variáveis que podem influenciar e/ou influenciam no nível de atividade física dos sujeitos pesquisados. Os dados coletados foram tabulados e classificados de acordo com a orientação do próprio IPAQ: Sedentário, Insuficientemente ativo A, Insuficientemente ativo B, Ativo e Muito ativo, a depender da duração, frequência e intensidade da prática de atividade física semanal, sendo classificadas como pessoas “ativas” aquelas que alcançaram a soma de 300 minutos ou mais nesse ínterim. Os dados demonstraram que a grande maioria dos estudantes pesquisados eram, em sua maioria, do sexo masculino, de baixa renda, que moravam com a família, em casa ou apartamento, egressos de escola pública, não possuíam financiamento estudantil e se deslocavam por meio de veículo automotor (moto, carro, ônibus, van). Além disso, eram fisicamente ativos e não apresentavam comportamento sedentário, havendo um equilíbrio entre o nível de atividade física de ingressantes e concluintes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Organização Mundial da Saúde. Physical activity [internet]. Folha Informativa n° 385. 2014. Disponível em: https://actbr.org.br/uploads/arquivo/957_FactSheetAtividadeFisicaOMS2014_port_REV1.pdf. Acesso em: 23 mar 2020.

World Health Organization. Global recommendations on physical activity for health [internet]. 2010. 58 p. Disponível em: https://www.who.int/publications/i/item/9789241599979.

Brasil. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior 2011 - Resumo técnico [internet]. Brasília: INEP; 2013. 114 p. Disponível em: https://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2011/resumo_tecnico_censo_educacao_superior_2011.pdf.

Nascimento T, Alves F, Souza E. Barreiras percebidas para a prática de atividade física em universitários da área da saúde de uma instituição de ensino superior da cidade de Fortaleza, Brasil. Rev Bras Atividade Física Saúde. 2017;22(2). Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/view/9179.

Brasil. Secretaria de Vigilância à Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: PNPS [internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2015. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude.pdf.

United Nations. Global Sustainable development report 2016 [internet]. New York: Department of Economic and Social Affairs; 2016. Disponível em: https://sustainabledevelopment.un.org/content/documents/2328Global Sustainable development report 2016 (final).pdf.

Vieira VCR, Priore SE, Robeiro SMR, Franceschini SCC, Almeida LP. Perfil socioeconômico, nutricional e de saúde de adolescentes recém-ingressos em uma universidade pública brasileira. Rev Nutr. 2002;15(3):273-82. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732002000300003&lng=pt&tlng=pt.

Matsudo S, Timóteo A, Matsudo V, Andrade D, Andrade E, Oliveira LC, et al. Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2001;6(2):5-18. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/931/1222.

Silva, Pereira IMM. Estágios de mudança de comportamento para atividade física e fatores associados em acadêmicos de Educação Física. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2010;15(01):15–20. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/675/690.

Pimentel FC, Lazzarotti Filho A, Silva AM. Perfil dos estudantes da licenciatura em Educação Física da Universidade Federal de Goiás na modalidade a distância. EFDeportes. 2011;16(156). Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd156/estudantes-em-educacao-fisica-na-modalidade-a-distancia.htm.

Claumann GS, Maccari FE, Ribovski M, Pinto A de A, Felden ÉPG, Pelegrini A. Qualidade de vida em acadêmicos ingressantes em cursos de educação física. J Phys Educ. 2017;28(1). Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/32980/.

Wold B, Hendry L. Social and environmental factors associated with physical activity in young people. In: Biddle S, Sallis JF, Cavill N, editores. Young and active? Young people and health-enhancing physical activity - evidence and implications. London: Health Education Authority; 1998.

Brasil. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes - ENADE. Relatório Síntese de Área: Educação Física - Bacharelado [internet]. Brasília: Ministário da Educação; 2016. Disponível em: https://download.inep.gov.br/educacao_superior/enade/relatorio_sintese/2016/educacao_fisica_bacharelado.pdf.

Brasil. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes - ENADE. Relatório Síntese de Área: Educação Física - Licenciatura [internet]. Brasília: Ministário da Educação; 2017. Disponível em: https://download.inep.gov.br/educacao_superior/enade/relatorio_sintese/2017/Educacao_Fisica_Licenciatura.pdf.

Belem IC, Batilani TG, Both J. Diferentes perfis de motivações e preocupações dos estudantes de educação física. Mov. 2018;24(2):619. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/74947.

Melo FAF, Ferro ICC, Melo CF, Araújo Neto JL, Freitas MA. Perfil, motivos das escolhas acadêmicas e expectativas profissionais dos estudantes de licenciatura em Educação Física do IFCE, campus Canindé. EFDeportes. 2013;18(181). Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd181/motivos-das-escolhas-em-educacao-fisica.htm.

Scher AJ, Oliveira EM. Acesso e permanência estudantil na Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus Realeza/PR. Avaliação. 2020;25(1):5-26. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-40772020000100005&tlng=pt.

Davison KK, Werder JL, Lawson CT. Children’s active commuting to school: current knowledge and future directions. Prev Chronic Dis. 2008 Jul;5(3):A100. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18558018.

Vargas LM, Cantorani JRH, Vargas TM, Gutierrez GL. Fatores associados ao nível de atividade física entre estudantes universitários. Rev Bras Qual Vida. 2015;7(3). Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/3217.

Belanger M, Katapally TR, Barnett TA, O’Loughlin E, Sabiston CM, O’Loughlin J. Link between physical activity type in adolescence and body composition in adulthood. Med Sci Sport Exerc. 2018;50(4):709–14. Disponível em: https://journals.lww.com/00005768-201804000-00009.

Cruz MAF, Guimarães MKH, Macena LB, Silva LNS, Cruz JF. Nível de atividade física e índice de massa corpórea em acadêmicos de medicina da Universidade Tiradentes em Aracajú-SE. Cad Grad Ciênc Biol Saúde. 2015;3(1 SE-Artigos):101-12. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/cadernobiologicas/article/view/2177.

Mendes MLM, Silva FR, Messia CMBO, Carvalho PGS, Silva TFA. Hábitos alimentares e atividade física de universitários da área de saúde do município de Petrolina-PE. Tempus Actas Saúde Coletiva. 2016;10(2):205. Disponível em: http://www.tempus.unb.br/index.php/tempus/article/view/1669.

Martins MCC, Ricarte IF, Rocha CHL, Maia RB, Silva VB, Veras AB, et al. Pressão arterial, excesso de peso e nível de atividade física em estudantes de universidade pública. Arq Bras Cardiol. 2010;95(2):192-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2010001200009&lng=pt&nrm=iso&tlng=en.

Fontes ACD, Vianna RPT. Prevalência e fatores associados ao baixo nível de atividade física entre estudantes universitários de uma universidade pública da região Nordeste - Brasil. Rev Bras Epidemiol. 2009 Mar;12(1):20-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2009000100003&lng=pt&tlng=pt.

Cardoso GMP. Vida universitária, atividade física e promoção da saúde entre estudantes da Universidade Federal da Bahia [dissertação]. Salvador (BA): Universidade Federal da Bahia; 2015. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/18203.

Medeiros Filho AEC, Rodrigues YS, Lopes JM, Pontes Junior JAF. Fatores associados ao desempenho discente no exame nacional de desempenho dos estudantes (ENADE): uma revisão integrativa. Rev Expressão Católica. 2019;8(1):87. Disponível em: http://publicacoesacademicas.unicatolicaquixada.edu.br/index.php/rec/article/view/2543.

Mantilla-Toloza SC, Gómez-Conesa A, Hidalgo-Montesinos MD. Actividad física, tabaquismo y consumo de alcohol, en un grupo de estudiantes universitarios. Rev Salud Pública. 2011;13(5):748-58. Disponível em: http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0124-00642011000500003&lng=es&nrm=iso&tlng=es.

Ball K, Bauman A, Leslie E, Owen N. Perceived environmental aesthetics and convenience and company are associated with walking for exercise among australian adults. Prev Med (Baltim). 2001;33(5):434-40. Disponível em: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0091743501909120.

Meneguci J, Santos DAT, Silva RB, Santos RG, Sasaki JE, Tribess S, et al. Comportamento sedentário: conceito, implicações fisiológicas e os procedimentos de avaliação. Motricidade. 2015;11(1). Disponível em: http://revistas.rcaap.pt/motricidade/article/view/3178.

Franco CMC, Carneiro MAS, Sousa JFR, Gomes GK, Orsatti FL. Influence of high- and-low-frequency resistance training on lean body mass and muscle strength gains in untrained men. J Strength Cond Res. 2019. Disponível em: https://journals.lww.com/00124278-900000000-94831.

Rezende LFM, Sá TH, Mielke GI, Viscondi JYK, Rey-López JP, Garcia LMT. All-cause mortality attributable to sitting time. Am J Prev Med. 2016;51(2):253-63. Disponível em: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0749379716000489.

Lourenço C, Sousa T, Fonseca S, Virtuoso Junior J, Barbosa A. Comportamento sedentário em estudantes Universitários. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2016;21(1):67. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/view/6771.

Pitanga FJG, Alves CFA, Pamponet ML, Medina MG, Aquino R. Tempo de tela como discriminador de excesso de peso, obesidade e obesidade abdominal em adolescentes. Braz J Kinanthropometry Hum Perform. 2016;18(5):539. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2016v18n5p539.

Pitanga FJG, Matos SMA, Almeida MCC, Patrão AL, Molina MCB, Aquino EM. Association between leisure-time physical activity and sedentary behavior with cardiometabolic health in the ELSA-Brasil participants. SAGE Open Med. 2019;30(7):205031211982708. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/10.1177/2050312119827089.

Pitanga FJG, Beck CC, Pitanga CPS. Atividade física e redução do comportamento sedentário durante a pandemia do Coronavírus. Arq Bras Cardiol. 2020;114(6):1058-60. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2020000701058&lng=pt&nrm=iso.

Downloads

Publicado

2022-12-31

Como Citar

Araújo, A. M. dos S., Santos, E. C. dos, Souza Júnior, M. M. de, Ferreira, M. E. R., & Cardoso, G. M. P. (2022). Níveis de atividade física de estudantes do curso de Educação Física de uma faculdade do interior da Bahia. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 36, e36184537. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.2022e36184537

Edição

Seção

Artigos