Adesão, permanência e dificuldades encontradas por mulheres, da cidade de Limoeiro do Norte no futsal: um estudo de caso

Autores

  • Valderlene Costa do Nascimento Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará, Ceará, CE, Brasil.
  • Marcelo Alencar Leite Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará, Ceará, CE, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v35inespp83-91

Palavras-chave:

Futsal feminino, Adesão, Permanência, Dificuldades, Limoeiro do Norte

Resumo

O presente trabalho teve por objetivo investigar os motivos que levaram mulheres da cidade de Limoeiro do Norte a buscarem a prática do futsal e sua permanência nessa prática. A amostra foi composta por nove mulheres de um time de futsal da cidade de Limoeiro do Norte que possuem idade entre 18 e 46 anos. Para a coleta de dados utilizamos uma entrevista semiestruturada e o Participation Motivation Questionnair (PMQ) criado por Gil, Gross e Huddleston (1983), traduzido e adaptado para o português por Guedes e Silvério Netto (2013) que traz como itens fatores intrínsecos e extrínsecos a serem escolhidos em uma escala de 1 a 5 como “Nada importante” e “Muito importante”, respectivamente. Os dados foram analisados por categorização como sugere o autor do PMQ e a entrevista foi também categorizada. Os resultados mostram que as atletas tinham como motivos predominante de adesão ao futsal as categorias Competição, Competência técnica, Aptidão física que reúnem itens como vencer desafios, melhorar habilidades técnicas, manter a forma física e algumas das atletas sofreram influência dos familiares para essa adesão. Como motivos para permanência as atletas elencaram a busca por uma melhor qualidade de vida e amor ao esporte em questão, mesmo diante de dificuldades que também são apontadas, como falta de tempo devido a dupla jornada de trabalho que a maioria das entrevistadas possui, além do reconhecimento, valorização, comprometimento de parte das atletas e ainda da gestão atual que pouco apoia o futsal feminino na cidade. Concluindo é possível afirmar que as atletas são motivadas principalmente por fatores externos, mas persistem por fatores internos, que levam a satisfação pessoal e que as dificuldades precisam do apoio de todos para serem superadas, pois estão além das quadras a maioria das dificuldades apontadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Apolo A. Futsal: Metodologia e didática na aprendizagem. São Paulo: Phorte; 2007.

Voser RC, Giutsi JG. O futsal e a escola: uma perspectiva pedagógica. Porto Alegre: ArtMed; 2002.

Moura EL. O futebol como área reservada masculina. In: Daolio J. Futebol, cultura e sociedade. Campinas, SP: Autores Associados; 2005, p. 131-147.

Origem do futsal. Disponível em: http://www.cbfs.com.br/2015/futsal/origem/index.html. Acesso em: 20 jun 2019.

Salles JGC, Moura HB. Futsal. In: Dacosta L. Atlas do esporte no Brasil. Rio de Janeiro: Shape; 2005.

Goellner SV. Imagens da mulher no esporte. In: Priore MD, Melo VA, organizadores. História do esporte no Brasil: do império aos dias atuais. São Paulo: Unesp; 2009, p. 269-292.

Castellani Filho L. Educação física no Brasil: a história que não se conta. Campinas, SP: Papirus; 2010.

Daolio J. Cultura: Educação física e futebol. Campinas, SP: Unicamp; 2006.

Pereira CMS, Antunes AC. Trajetória do futsal feminino no Brasil: um caminho repleto de obstáculos. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero 13º Mundo de Mulheres & Fazendo Gênero 11: Transformações, conexões e deslocamentos. Florianópolis - SC. Anais eletrônicos, Florianópolis: UFSC, 2017.

Bastos P, Navarro, Antônio C. O Futsal feminino escolar. Rev Bras Futsal Futebol. 2009.

Reeve J. Motivação e emoção. Rio de Janeiro: LTC; 2011.

Machado AA. Psicologia do esporte: Temas emergentes I. Jundiaí: Ápice; 1997.

Weinberg R, Gould D. Fundamentos da Psicologia do Esporte e do Exercício. 4a. ed. Porto Alegre: Artmed. 2008. 624 p.

Voser RC, Hernandez JAE, Ortiz LFR, Voser PEG. A motivação para a prática do futsal: comparação entre atletas federados do sexo masculino e feminino. Rev Bras Futsal Futebol. 2014.

Gaviao PCS, Falcão CP, Ilha PV. Adesão, permanência e barreiras percebidas na prática do futebol feminino. Rev Bras Futsal Futebol. 2018.

Novo clube de futsal feminino é fundado em Limoeiro do Norte. Disponível em: https://www.tvjaguar.com.br/noticia/255/Novo-clube-de-Futsal-feminino-%C3%A9-fundado-em-Limoeiro-do-Norte.html. Acesso em: 10 jan 2019.

Machado CS, Picolli JC, Scalon RM. Fatores motivacionais que influem na aderência de adolescentes os programas de iniciação desportiva das escolas da Universidade Luterana do Brasil. Rev Digital. 2005;10(89).

Correia TAS, Silverio Netto JE. Motivos para a prática esportiva e fatores associados de jogadoras de futsal. Rev Mackenzie Educ Fís Esporte. 2012.

Vilani LHP, Samulski DM. Família e esporte: uma revisão sobre a influência dos pais na carreira esportiva de crianças e adoslescentes. In: Silame GE, Lemos KLM, organizadores. Temas atuais VII: Educação Física e Esportes. Belo Horizonte: Editora Health, 2002.

Goellner SV. Os caminhos do futebol praticado por mulheres no Brasil: entrevista com Silvana Goellner. [Entrevista concedida a] Gabriel Canuto Nogueira da Gama. FuLiA / UFMG. Minas Gerais. 2018;3(3).

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

Nascimento, V. C. do ., & Leite, M. A. (2021). Adesão, permanência e dificuldades encontradas por mulheres, da cidade de Limoeiro do Norte no futsal: um estudo de caso. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 35(Especial), 83-91. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v35inespp83-91