O efeito do fluxo de investimentos estrangeiros sobre a comunalidade na liquidez no mercado acionário brasileiro

Autores

  • Claudio Pilar Silva Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Sociais e Aplicadas, Departamento de Administração, João Pessoa, PB, Brazil https://orcid.org/0000-0002-3665-7077
  • Márcio André Veras Machado Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Sociais e Aplicadas, Departamento de Administração, João Pessoa, PB, Brazi https://orcid.org/0000-0003-2635-5240

DOI:

https://doi.org/10.1590/1808-057x201909530

Palavras-chave:

Comunalidade, Liquidez, Investidor estrangeiro

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar as características e os determinantes da comunalidade na liquidez no mercado acionário brasileiro. Desde a internacionalização do mercado acionário brasileiro (Bolsa, Brasil, Balcão – B3), o fluxo de investimentos estrangeiros no Brasil aumentou ao longo dos anos, exceto em tempos de crise. Assim, o presente estudo argumenta que, no mercado acionário brasileiro, a comunalidade na liquidez é parcialmente determinada pelas negociações dos investidores estrangeiros. Apesar dos benefícios obtidos com recursos estrangeiros em nosso mercado acionário, é importante analisar o efeito do fluxo desses recursos nesse mercado. Este artigo contribui para a literatura atual ao fornecer evidências da comunalidade na liquidez no mercado acionário brasileiro e ao mostrar seu efeito mais forte em períodos de declínio de mercado. Portanto, os investidores deverão ter maior atenção sobre o risco de comunalidade nas suas carteiras, ao executarem ordens e, também, ao momento de realização das suas negociações, em virtude do aumento do custo de transação dos papéis mais sensíveis à comunalidade na liquidez. A amostra do estudo consistiu em um conjunto de empresas listadas na B3, de janeiro de 2007 a dezembro de 2017. Para analisar a comunalidade na liquidez, utilizamos o modelo proposto por Karolyi, Lee e Djik (2012) e por Qian, Tam e Zhang (2014). Para medir a influência de investidores estrangeiros no mercado acionário brasileiro, utilizamos três medidas baseadas em Gonçalves e Eid (2016). Os resultados mostraram que a comunalidade ocorre no mercado acionário brasileiro e que ela atinge picos durante as crises financeiras internacionais, além de indicar que a comunalidade pode ser maior em tempos de crise, devido às restrições de capital. Ademais, os resultados mostraram que a participação de investidores estrangeiros determinou parcialmente a comunalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-02-25 — Atualizado em 2020-09-01

Versões

Como Citar

Silva, C. P., & Machado, M. A. V. (2020). O efeito do fluxo de investimentos estrangeiros sobre a comunalidade na liquidez no mercado acionário brasileiro. Revista Contabilidade & Finanças, 31(84), 425-443. https://doi.org/10.1590/1808-057x201909530 (Original work published 25 de fevereiro de 2021)

Edição

Seção

Artigos Originais