Contabilidade criativa e responsabilidade dos auditores

Autores

  • Ariovaldo dos Santos USP; FEA; Departamento de Contabilidade e Atuária
  • Ivan Ricardo Guevara Grateron Universidad Centroccidental Lisandro Alvarado

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1519-70772003000200001

Palavras-chave:

contabilidade criativa, responsabilidade do auditor, ética

Resumo

Nos contextos nacional e internacional da profissão contábil, o auditor tem exercido um papel fundamental. A atividade profissional do auditor independente tem ajudado a impulsionar o desenvolvimento dos mercados, além de contribuir para o estabelecimento da ordem socioeconômica mundial. Na visão dos usuários externos da informação contábil, e dos próprios clientes, a atuação do auditor é sinônimo de confiança e credibilidade. Nos últimos meses, a onda de escândalos contábeis, com grandes empresas de auditoria envolvidas, e até sentenciadas (no caso Enron, a Andersen foi considerada culpada, por um Júri de Houston - Texas, pela destruição de documentos), marcou a atividade profissional dos auditores e parece ter mudado a visão de responsabilidade desses profissionais sobre esses fatos. No presente artigo são estudados e apresentados alguns conceitos fundamentais relacionados com o fenômeno da contabilidade criativa, assim como os fatores que induzem sua utilização, dentre os quais pode-se destacar: valores éticos, morais e vácuos ou flexibilidade normativa. Tais fatores acabam por funcionar como catalisadores da engenharia contábil no desenho das demonstrações contábeis e passam a atender os interesses de quem as elabora em vez de buscar a imagem fidedigna do patrimônio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2003-08-01

Como Citar

Santos, A. dos, & Grateron, I. R. G. (2003). Contabilidade criativa e responsabilidade dos auditores . Revista Contabilidade & Finanças, 14(32), 07-22. https://doi.org/10.1590/S1519-70772003000200001

Edição

Seção

naodefinida