[1]
C. H. Griffin, “ Os impactos externos da independência dos Bancos Centrais ”, Rev. Contab. Finanç., vol. 21, nº 54, p. 51-63, dez. 2010.