Uso de documentos para narrar a história de organizações: reflexões e experiências

Autores

  • Adéle Carneiro Fundação Getulio Vargas. Escola de Administração de Empresas de São Paulo
  • Amon Barros Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/rco.v11i30.134408

Palavras-chave:

História de Organizações. Narrativas Organizacionais. Metodologia Documental. História em Ciências Sociais Aplicadas.

Resumo

Este trabalho avança a discussão sobre o uso de documentos na elaboração de pesquisas historiográficas em organizações. O artigo se debruça sobre a pesquisa documental a partir das discussões de De Certeau (1982), Foucault (2008), e Le Goff (2003). Elabora uma revisão teórica sobre o tema, salientando a ideia de que documentos não são objetos históricos neutros que reproduzem o passado. Tal perspectiva propõe um novo olhar epistemológico para a pesquisa histórica com documentos em Ciências Sociais aplicadas. Tal discussão questiona a natureza dos documentos e salienta a necessidade de usá-los criticamente. O artigo apresenta algumas experiências de pesquisas que se valeram de fontes documentais a fim de evidenciar os aspectos procedimentais de tal abordagem. O texto termina apresentando uma discussão aplicada às pesquisas em contabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adéle Carneiro, Fundação Getulio Vargas. Escola de Administração de Empresas de São Paulo

Doutoranda em administração pela FGV-EAESP. Mestre em administração pela mesma instituição.

Amon Barros, Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de São Paulo

Professor assistente na FGV-EAESP (Estudos Organizacionais). Doutor em Administração pelo CEPEAD/UFMG.

Publicado

2017-09-29

Como Citar

Carneiro, A., & Barros, A. (2017). Uso de documentos para narrar a história de organizações: reflexões e experiências. Revista De Contabilidade E Organizações, 11(30), 14-23. https://doi.org/10.11606/rco.v11i30.134408

Edição

Seção

Artigos