Influência da corrupção agregada no desenvolvimento social e na geração de riqueza dos países do Mercosul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-6486.rco.2019.158512

Palavras-chave:

Corrupção, Desenvolvimento socioeconômico, Governança pública, Mercosul

Resumo

A corrupção é uma temática em ascensão nos governos mundiais, sendo um dos fatores associados à governança pública e ao desenvolvimento socioeconômico. Tendo em vista o cenário mundial, a presente pesquisa tem por finalidade investigar como a corrupção agregada influencia os indicadores socioeconômicos – Produto Interno Bruto (PIB) e Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) – dos países do Mercosul. Para tanto, foram realizados testes de regressão em painel compreendendo uma análise temporal de 1996 a 2016. Com o desenvolvimento do estudo foi possível estimar uma relação significativa estatisticamente entre a Qualidade Regulatória e o IDH, já em relação ao PIB, o Controle de Corrupção, Estabilidade Política, Estado de Direito e Voz e Responsabilidade foram os indicadores que o influenciaram de forma positiva. As evidências indicam, assim, que a capacidade explicativa do modelo é melhor para o PIB do que para o IDH.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Balboa, J. D., & Takenaka, S. (2010). Corruption and Development , Revisited. Philippine Institute for Development
Studies, (June).

Banco Mundial. (2019). Crecimiento del PIB (% anual). Retrieved February 2, 2019, Disponível em: https://datos.
bancomundial.org/indicador/NY.GDP.MKTP.KD.ZG.

Blackburn, K. (2012). Corruption And Development: Explaining The Evidence. Manchester School, 80(4), 401–
428. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1467-9957.2012.02314.x.

Blackburn, K., & Forgues-Puccio, G. F. (2009). Why is corruption less harmful in some countries than in
others? Journal of Economic Behavior and Organization, 72(3), 797–810. DOI: https://doi.org/10.1016/j.
jebo.2009.08.009.

Brooks, C. (2008). Introductory Econometrics for Finance. In Cambridge University Press (Vol. 2).
Caetano, F. A. de O., Araújo, J. A. de, & Khan, A. S. (2019). Fatores condicionantes do desenvolvimento
socioeconômico na América Latina: uma análise sob a perspectiva do PIB e dos indicadores globais de
governança. Interações (Campo Grande), 20(1), 95. DOI: https://doi.org/10.20435/inter.v0i0.1646.

Candido, H. H. D., & Dreher, M. T. (2013). Governança Pública: Uma Leitura Acerca dos Indicadores Subjetivos
de Qualidade de Vida. Sociais e Humanas, Santa Maria, 26, 179–196.

Cozzolino, L. F. F., & Irving, M. de A. (2015). Por Uma Concepção Democrática De Governança Para a Esfera
Pública. Revista de Políticas Públicas, 19(2), 497–508. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.
ufma.br/index.php/rppublica/article/view/4326.

Ferreira Filho, J. A. (2013). Governança , Instituições e Desenvolvimento Econômico: Uma Análise para o período
1996-2011 . O que mudou com a crise Econômica Mundial de 2008? XXIX Congresso Latino-Americano de
Sociologia, Santiago Do Chile, 1–11.

Gaygisiz, E. (2013). How are cultural dimensions and governance quality related to socioeconomic development?
The journal of Socio-Economics, 47, 170-179. DOI: https://doi.org/10.1016/j.socec.2013.02.012.

Jacques, F. V. S., Vicente, E. F. R., & Ensslin, S. R. (2013). Indicadores de Governança no Setor Público: bibliometria
em artigos internacionais. Congresso Internacional de Contabilidade e Auditoria, XIV, (1). Disponível em:
https://www.occ.pt/news/comcontabaudit/pdf/92.pdf.

Jannuzzi, P. de M. (2002). Considerações sobre o uso, mau uso e abuso dos indicadores sociais na formulação e
avaliação de políticas públicas municipais. Revista de Administração Pública, 36(1), 51–72. Disponível em:
http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6427.

Jensen, C., & Meckling, H. (1976). Theory of the Firm: Managerial Behavior, agency costs and ownership
structure. Journal of Financial Economics, 3, 305–360.

Kaufmann, D., Kraay, A., & Mastruzzi, M. (2006). Measuring corruption: Myths and realities. World Bank, 1–7.
Disponível em: http://www1.worldbank.org/publicsector/anticorrupt/corecourse2007/Myths.pdf.

Kaufmann, D., Kraay, A., & Mastruzzi, M. (2007). The Worldwide Governance Indicators Project: Answering the
Critics. The World Bank. DOI: https://doi.org/10.1038/436912c.

Kaufmann, D., Kraay, A., & Mastruzzi, M. (2011). The worldwide governance indicators: Methodology
and analytical issues. Hague Journal on the Rule of Law, 3(2), 220–246. DOI: https://doi.org/10.1017/
S1876404511200046.

Leal, Rogério Gesta. (2013). Patologias corruptivas nas relações entre Estado, Administração Pública e
Sociedade: causas, consequências e tratamentos. Santa Cruz do Sul: Edunisc.

Leal, Rogério Gesta, and Ianaiê S. da Silva, orgs. (2014). As múltiplas faces da corrupção e seus efeitos na
democracia contemporânea. Santa Cruz do Sul: Edunisc.

Leal, R. G., & Granato, L. (2015). The Place for Combating Corruption on the Mercosur. Austral: Brazilian
Journal of Strategy & International Relations, v.4(n.8), 195–212.

Marani, S. C. Z., Brito, M. J. de, Souza, G. C. de, & Brito, V. da G. P. (2018). Os sentidos da pesquisa sobre corrupção. Revista de Administração Pública, 52(4), 712–730. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7612175197

Marino, P. de B. L. P., Soares, R. A., Luca, M. M. M. De, & Vasconcelos, A. C. de. (2016). Indicadores de
governança mundial e sua relação com os indicadores socioeconômicos dos países do Brics. Revista de
Administração Pública, 50(5), 721–744. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7612144359.

Mercosur. (2019). Países del Mercosur. Mercosur. Retrieved January 1, 2018. Disponível em: https://www.
mercosur.int/quienes-somos/paises-del-mercosur/.

Moraes, T. P. B., & Torrecillas, G. L. da S. (2014). Administração pública e corrupção: relação entre corrupção na
função pública , desemprego , desigualdade , qualidade da democracia e governança. Revista Internacional
de Investigación En Ciencias Sociales, 10(2), 135–153.

Narankhuu, B. (2018). Are natural resoucers a curse or a blessing for Mongolia? Mineral economics, 31(1-2), 171-
177. doi: https://doi.org/10.1007/s.13563-018-0144-0.

Pereira, A. E., Bernardo, G. J., Culpi, L. A., & Pessali, H. F. (2018). A governança facilitada no Mercosul:
transferência de políticas e integração nas áreas de educação, migração e saúde. Revista de Administração
Pública, 52(2), 285–302.

Sims, R. L., Gong, B., & Ruppel, C. P. (2012). A contingency theory of corruption: The effect of human development and national culture. Social Science Journal, 49(1), 90–97. DOI: https://doi.org/10.1016/j.soscij.2011.07.005.

Taylor, S. A. J., Perez-Ferres, C., Griffiths, A., Brunner, E. (2015). Scaling up nutrition in fragile and conflictaffected
states: The pivotal role of governance. Social Science e& Medicine, 126, 119-127. DOI: https://doi.
org/10.1016/j.socscimed.2014.12.016.

UNDP. (2018). Human Development Indices and Indicators 2018. Statistical Update. United Nations Development
Programme, 123. DOI: https://doi.org/10.18356/656a3808-en.

World Bank. (2018). The Worldwide Governance Indicators (WGI). Acesso em: 8 de novembro de 2018. Disponível
em: https://info.worldbank.org/governance/wgi/#home.

Publicado

2019-11-28

Como Citar

Silva, A. M. C. da, Santos, P. R. P., & Ribeiro, C. de M. de A. (2019). Influência da corrupção agregada no desenvolvimento social e na geração de riqueza dos países do Mercosul. Revista De Contabilidade E Organizações, 13, 75-85. https://doi.org/10.11606/issn.1982-6486.rco.2019.158512

Edição

Seção

Fraudes e Corrupção: o que Contabilidade e Organizações têm a dizer?