A organização temática da seção de estudos anteriores em artigos científicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-6486.rco.2020.169787

Palavras-chave:

Originalidade e conformidade, Estudos anteriores, Organização temática, Redação científica

Resumo

Muitos dos aspectos que envolvem a redação de textos científicos ficam subentendidos, de modo que pesquisadores iniciantes enfrentam dificuldades em compreender as expectativas que cercam a produção de tais textos. Na busca por equilibrar originalidade e conformidade, o atendimento às regras formais é facilitado pela sua normatização, enquanto outros aspectos relacionados à conformidade não o são. Assim, este ensaio busca contribuir com o esclarecimento do papel da seção de estudos anteriores na construção de um argumento científico. O texto também apresenta uma sugestão de estrutura para a seção de estudos anteriores baseada nas melhores práticas observadas na literatura, e uma estratégia de redação para a consecução de tal estrutura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Badley, G. F. (2018). Why and How Academics Write. Qualitative Inquiry. https://doi.org/10.1177/1077800418810722

Brennan, N. M. (2019a). 100 research rules of the game: How to make your research world class; how to successfully publish in top international refereed journals. Accounting, Auditing and Accountability Journal, 32(2), 691–706. https://doi.org/10.1108/AAAJ-02-2019-032

Brennan, N. M. (2019b). 100 PhD rules of the game to successfully complete a doctoral dissertation. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 32(1), 364–376. https://doi.org/10.1108/AAAJ-01-2019-030

de Villiers, C., & Dumay, J. (2013). Construction of research articles in the leading interdisciplinary accounting journals. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 26(6), 876–910. https://doi.org/10.1108/AAAJ-Apr-2012-01000

de Villiers, C., & Dumay, J. (2014). Writing an article for a refereed accounting journal. Pacific Accounting Review, 26(3), 324–350. https://doi.org/10.1108/PAR-08-2012-0033

Gabbioneta, C., Greenwood, R., Mazzola, P., & Minoja, M. (2013). The influence of the institutional context on corporate illegality. Accounting, Organizations and Society, 38(6–7), 484–504. https://doi.org/10.1016/j.aos.2012.09.002

Imam, S., & Spence, C. (2016). Context, not predictions: a field study of financial analysts. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 29(2), 226–247. https://doi.org/10.1108/AAAJ-02-2014-1606

Moizer, P. (2009). Publishing in accounting journals: A fair game? Accounting, Organizations and Society, 34(2), 285–304. https://doi.org/10.1016/j.aos.2008.08.003

Pagliarussi, M. S. (2018). Estrutura e redação de artigos em contabilidade e organizações. Revista de Contabilidade e Organizações, 11(31), 4. https://doi.org/10.11606/rco.v11i31.142547

Patriotta, G. (2017). Crafting Papers for Publication: Novelty and Convention in Academic Writing. Journal of Management Studies, 54(5), 747–759. https://doi.org/10.1111/joms.12280

Reuber, A. R. (2010). Strengthening your literature review. Family Business Review, 23(2), 105–108. https://doi.org/10.1177/0894486510368259

Publicado

2020-07-28

Como Citar

Pagliarussi, M. S. (2020). A organização temática da seção de estudos anteriores em artigos científicos. Revista De Contabilidade E Organizações, 14, e169787. https://doi.org/10.11606/issn.1982-6486.rco.2020.169787

Edição

Seção

Reflexões e Tendências