Concentração de mercado e desempenho das indústrias brasileiras de papel e celulose - recorrendo à modelagem de Fleuriet para analisar o paradigma ECD

Autores

  • Flavio Costa Universidade Federal do Paraná
  • Paulo Mello Garcias Universidade Federal do Paraná; Depastameno de Ciências Econômicas

DOI:

https://doi.org/10.11606/rco.v3i6.34745

Palavras-chave:

concentração de mercado, desempenho, paradigma Estrutura-Conduta-Desempenho, Modelagem de Fleuriet

Resumo

O presente estudo objetivou analisar se existe uma relação entre o desempenho das indústrias de papel e celulose, por meio da utilização da modelagem de Fleuriet e os níveis de concentração de mercado, entre os anos de 2003 e 2007. Metodologicamente, o presente artigo pode ser categorizado como: [1] estudo formal; [2] ex post facto; [3] descritivo e causal e; [4] longitudinal porque é feito em um período de cinco anos. A fonte de dados utilizada para identificação e classificação das indústrias de papel e celulose brasileiras foi o banco de dados da BRACELPA - Associação Brasileira de Celulose e Papel. Optou-se pela utilização do CRk e do índice de Hirschman-Herfindahl (HH) para mensurar a concentração de mercado da celulose e papel. Verificou-se que o saldo em tesouraria (T), o capital de giro (CCL) e a necessidade de capital de giro (IOG), que definem o desempenho financeiro e operacional das organizações, na metodologia de Fleuriet, mantiveram-se em patamares aceitáveis e muito sólidos para as quatro maiores empresas do setor, com exceção dos primeiros anos analisados, enquanto a concentração manteve uma ligeira tendência de queda.Os resultados indicam que a relação entre concentração e desempenho depende de série de tempo e dos indicadores utilizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-08-01

Como Citar

Costa, F., & Garcias, P. M. (2009). Concentração de mercado e desempenho das indústrias brasileiras de papel e celulose - recorrendo à modelagem de Fleuriet para analisar o paradigma ECD . Revista De Contabilidade E Organizações, 3(6), 143-163. https://doi.org/10.11606/rco.v3i6.34745

Edição

Seção

Artigos