Subvenções e assistências governamentais (SAG): evidenciação e rentabilidade das maiores empresas brasileiras

Autores

  • Débora Queiroz Loureiro M. Dias Branco S/A Industria e Comercio de Alimentos
  • Alessandra Vasconcelos Gallon Universidade Federal do Ceará
  • Márcia Martins Mendes De Luca Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.11606/rco.v5i13.34803

Palavras-chave:

Subvenções e assistências governamentais, Evidenciação contábil, Desempenho econômico

Resumo

O estudo tem o objetivo de investigar a divulgação das informações e os efeitos econômicos decorrentes do reconhecimento das Subvenções e Assistências Governamentais (SAG) nas demonstrações contábeis das maiores empresas abertas no Brasil, conforme Pronunciamento CPC 07, alterado pelo CPC 07(R1), em 2010. Foram analisadas 88 das 100 maiores companhias abertas listadas em Exame Melhores e Maiores 2010 (excluíram-se financeiras e seguradoras). O nível de evidenciação foi obtido a partir da Análise de Conteúdo das Notas Explicativas de 2008 e 2009, utilizando um check list, conforme disposições de divulgação do CPC 07, e os efeitos econômicos mensurados pelos índices ROA, ROE, ROS e ISAG de 2009. Constatou-se que as empresas apresentam nível de evidenciação considerado baixo, limitando-se, em média, a 30,4% em 2008 e a 33,3% em 2009, dos requisitos de divulgação do CPC 07. Quanto aos efeitos econômicos, constatou-se uma variação positiva da rentabilidade, especialmente do ROE, e uma expressiva participação das SAGs no capital próprio das empresas dos setores Têxtil e Papel e Celulose.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-12-01

Como Citar

Loureiro, D. Q., Gallon, A. V., & De Luca, M. M. M. (2011). Subvenções e assistências governamentais (SAG): evidenciação e rentabilidade das maiores empresas brasileiras . Revista De Contabilidade E Organizações, 5(13), 34-54. https://doi.org/10.11606/rco.v5i13.34803

Edição

Seção

Artigos