EFICIÊNCIA NO DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO DE COOPERATIVAS DE CRÉDITO BRASILEIRAS

Autores

  • Vanderlei Gollo Universiadde Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó
  • Tarcísio Pedro da Silva Universidade Regional de Blumenau - Furb

DOI:

https://doi.org/10.11606/rco.v9i25.88099

Palavras-chave:

Cooperativas de crédito, Sistema de Crédito Nacional, Desempenho econômico-financeiro.

Resumo

O objetivo desta pesquisa consiste em verificar a eficiência global no desempenho econômico-financeiro de cooperativas de crédito brasileiras. Para tanto, adotou-se a metodologia denominada pelo acrônimo PEARLS, aplicada as 25 maiores cooperativas de crédito brasileiras, para o período de 2008 a 2012. Os indicadores do PEARLS foram submetidos à Análise de Componentes Principais para seleção dos mais relevantes em termos de informação, os quais foram utilizados para determinar a eficiência das cooperativas por meio do método multicritério TOPSIS. Os resultados apontaram uma concentração de cooperativas pertencentes ao Sicoob e à Unicred entre as mais eficientes da amostra, e entre as menos eficientes há maior predominância de cooperativas filiadas ao Sicredi. As cooperativas de crédito brasileiras podem elevar seu desempenho e adequar sua estrutura com melhorias no desempenho e na eficiência, e, consequentemente, com sua principal função, que consiste em zelar pela maximização dos produtos e serviços ofertados aos cooperados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanderlei Gollo, Universiadde Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó

Mestre em Ciências Contábeis, Professor da Área de Ciências Sociais e Aplicadas da Unochapecó.

Tarcísio Pedro da Silva, Universidade Regional de Blumenau - Furb

Doutor em Ciências Contábeis e administração e professor do programa de pós graduação em Ciências Contábeis da FURB.

Downloads

Publicado

2015-12-31

Como Citar

Gollo, V., & Silva, T. P. da. (2015). EFICIÊNCIA NO DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO DE COOPERATIVAS DE CRÉDITO BRASILEIRAS. Revista De Contabilidade E Organizações, 9(25), 43-55. https://doi.org/10.11606/rco.v9i25.88099

Edição

Seção

Artigos