Indústria Cultural e Conhecimentos Tradicionais: A Associação Naboa e a Territorialização do Artesanato em Anchieta (ES)

Autores

  • Rodrigo Ramos Hospodar Felippe Valverde Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/rdg.v2i0.116296

Palavras-chave:

Artesanato, Indústria Cultural, Anchieta, Territorialização.

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar a transformação da atividade artesanal tradicional no município de Anchieta (ES). Tal transformação é realizada pela conversão das técnicas e valores tradicionais por outros, resultado das novas trocas com atores como a SAMARCO Mineração e o SEBRAE-ES, além da ampliação e diversificação do seu mercado consumidor. Seus produtos têm recebido premiações internacionais (MERCOSUL, UNESCO), ganhando espaço no mercado globalizado, ao mesmo tempo em que capacitações e parcerias são desenvolvidas para cumprir os rigores dos consumidores. Ainda mais importante para um estudo geográfico, o novo artesanato de Anchieta que se observa na Associação NABOA parece trazer consequências territoriais, configurando os termos de uma nova indústria cultural, tal qual esta foi definida por Power e Scott. Estas consequências se realizam tanto física quanto simbolicamente, por intermédio da construção da sede para a Associação e pelo contínuo processo de incorporação de valores ao processo produtivo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-27

Como Citar

Valverde, R. R. H. F. (2016). Indústria Cultural e Conhecimentos Tradicionais: A Associação Naboa e a Territorialização do Artesanato em Anchieta (ES). Revista Do Departamento De Geografia, 32, 39-47. https://doi.org/10.11606/rdg.v2i0.116296

Edição

Seção

Artigos