EXTREMOS DE TEMPERATURA DO AR EM BELO HORIZONTE: VARIABILIDADE NATURAL E INFLUÊNCIA DO CLIMA URBANO

Autores

  • Carlos Henrique Jardim Universidade Federal de Minas Gerais
  • Marina Rozendo Silva Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.11606/rdg.v0ispe.118036

Palavras-chave:

Uso da terra, Temperatura do ar, Análise de tendência, Clima urbano

Resumo

As alterações no uso e ocupação do solo introduzidas no ambiente (agricultura e urbanização, principalmente) modificam o balanço de energia, interferindo nas variações dos elementos climáticos. Com o objetivo de verificar a dimensão temporal dessas transformações no clima, foram analisados os dados de temperatura máxima e mínima nos municípios de Belo Horizonte e Ibirité (Minas Gerais-Brasil), para o período de 1961-2014. Os procedimentos de análise incluíram técnicas estatísticas descritivas, análise de tendência e correlação e técnicas de análise de microclima e clima urbano. Os resultados indicaram tendência natural de aumento da temperatura máxima e mínima e indícios de influência antrópica na variação temporal desse elemento climático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Jardim, Universidade Federal de Minas Gerais

Instituto de Geociências - Departamento de Geografia. Área de investigação em Climatologia (Geografia Física).

Downloads

Publicado

2016-10-24

Como Citar

Jardim, C. H., & Silva, M. R. (2016). EXTREMOS DE TEMPERATURA DO AR EM BELO HORIZONTE: VARIABILIDADE NATURAL E INFLUÊNCIA DO CLIMA URBANO. Revista Do Departamento De Geografia, (spe), 83-97. https://doi.org/10.11606/rdg.v0ispe.118036

Edição

Seção

Artigos