Geoconservação no Ceará: Um Olhar Sobre as Unidades de Conservação Estaduais

Autores

  • Andrea César da Silveira Universidade Estadual do Ceará http://orcid.org/0000-0002-0959-0882
  • Frederico de Holanda Bastos Universidade Estadual do Ceará
  • Suedio Alves Meira Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.11606/rdg.v35i0.139606

Palavras-chave:

Geodiversidade, Patrimônio Geológico, Áreas protegidas, Dispositivos legais.

Resumo

Recentemente, graças aos profissionais das Ciências da Terra e à consolidação dos conceitos de geodiversidade, patrimônio geológico e geoconservação, os esforços voltados para a proteção dos recursos naturais têm dado maior atenção aos elementos abióticos. O presente trabalho tem como principal objetivo identificar quais unidades de conservação (UCs) estaduais do Ceará foram criadas visando a proteção da geodiversidade ou de elementos do patrimônio geológico. Para tanto foi realizada uma análise dos dispositivos legais de criação das 27 UCs estaduais cearenses. Para verificar se os dispositivos legais possuíam objetivos de criação voltados à geoconservação, foram criadas duas variáveis (Geodiversidade e Patrimônio Geológico) e três cenários, cada um correspondendo a uma resposta (Diretamente, Indiretamente, Não possui), que definiram os objetivos de criação das UCs. Os resultados mostraram que, para a variável Geodiversidade apenas uma UC possui objetivos de criação específicos voltados para a geoconservação e 19 UCs possuem apenas considerações e intenções protetivas. Quanto à variável Patrimônio Geológico, 6 UCs foram criadas com objetivos específicos para a proteção de tal aspecto local. Nas demais não consta, nem de forma indireta, o objetivo ou intenção em proteger patrimônio geológico. A partir desta análise, também foi possível verificar as disparidades do número de UCs em relação às unidades geoambientais cearenses, tendo como exemplo principal a depressão sertaneja (sertões), que constitui a mais expressiva unidade geoambiental do estado ao mesmo tempo em que é a menos contemplada com a criação de UC, a despeito da sua considerável extensão, ameaças, vulnerabilidades e reconhecida complexidade litológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea César da Silveira, Universidade Estadual do Ceará

Doutoranda em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), Licenciada em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), concluído em 2017. Mestre em Tecnologia e Gestão Ambiental pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), concluído em 2011. Licenciada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Ceará (UFC), concluído em 2002.

Frederico de Holanda Bastos, Universidade Estadual do Ceará

Professor Dr. titular do Departamento de Geografia do Centro de Ciência e Tecnologia da Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Suedio Alves Meira, Universidade Federal do Ceará

Doutorando em Geografia na Universidade Federal do Ceará, vinculado ao Laboratório de Geoecologia da Paisagem e Planejamneto (LAGEPLAN)

Downloads

Publicado

2018-07-24

Como Citar

da Silveira, A. C., Bastos, F. de H., & Meira, S. A. (2018). Geoconservação no Ceará: Um Olhar Sobre as Unidades de Conservação Estaduais. Revista Do Departamento De Geografia, 35, 58-70. https://doi.org/10.11606/rdg.v35i0.139606

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)