Aplicações de elementos da teoria das catástrofes ao estudo da (re)produção do espaço urbano: parte 2 – a representação morfológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/eISSN.2236-2878.rdg.2021.184657

Palavras-chave:

Produção do espaço, Catástrofe capitalista, Morfologia hierárquica estratificada, Mercadoria-habitação

Resumo

Este artigo possui como objeto de investigação a releitura da (re)produção do espaço do habitar em Salvador/BA a partir da noção de morfologia hierárquica estratifica, proposta por Henri Lefebvre (1978) com base na Teoria das Catástrofes de René Thom (1972). Nossa problemática foi decifrar a transformação da habitação em mercadoria a partir de uma interpretação do espaço enquanto morfologia. O método de procedimento empregado transitou do diacrônico ao sincrônico em três amostras da morfologia urbana, a partir do que consideramos ser o processo de constituição da mercadoria-habitação. Os resultados alcançados reforçam as evidências da ocorrência de uma catástrofe capitalista ao longo do século XX e a imposição de uma morfologia espacial mais complexa pela qual a habitação reitera a reprodução do capital, mas não de forma homogênea. Concluímos que a noção de morfologia hierárquica estratificada contribui para o aprofundamento da análise da produção do espaço.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

James Amorim Araújo, Universidade do Estado da Bahia

Professor Doutor em Geografia pela Universidade de São Paulo. Professor assistente da UNEB; trabalha com os componentes curriculares epistemologia da geografia e metodologia da pesquisa.

Referências

AMADO, J. Bahia de Todos os Santos: guia das Ruas e dos Mistérios da Cidade do Salvador. São Paulo: Livraria Martins, 1956.

ARAÚJO, J. A. A cidade revisitada: modernização capitalista e reprodução da classe trabalhadora na periferia de Salvador. São Paulo: EDUSP, 2016.

BAHIA. Secretaria de Saneamento e Desenvolvimento Urbano; Companhia Estadual de Desenvolvimento Urbano. A grande Salvador: posse e uso da terra. Salvador: [s.n.], 1978.

BAITZ, R.; DAMIANI, A.; RUFINO, M. A aventura da sobrevivência do espaço periférico num mundo que o ignora e/ou o sevicia: três transduções e sua representação gráfica, sob desvio transdutor. In: OLIVEIRA, M. P. de; MARTINS, F. E. S.; GIANELLA, L. C. (Orgs.). Dominação e apropriação na luta por espaço urbano. Rio de Janeiro (RJ): Consequência, 2018, p. 13-48.

BRANDÃO, M. de A. R. Origens da expansão periférica de Salvador. In: Planejamento, vol. 6, n. 2, p. 125-142, 1981.

BRITO, C. de C. da T. de. A estruturação do mercado de terra urbana e habitação em Salvador-Ba a partir de 1970. In: Revista Geotextos, vol. 1, n.1, 2005, p. 51-80.

Casas dão lugar a condomínios no Jardim Armação, bairro em forte valorização. Jornal Correio da Bahia, Salvador, 3 de junho de 2012. Disponível em: www.correio24horas.com.br/noticia/nid. Acessado em: 24 de janeiro de 2019.

Pesquisa ADEMI-BA registra crescimento na venda de imóveis no 2º trimestre. Jornal Correio da Bahia, Salvador, 18 de outubro de 2018. Disponível em: www.correio24horas.com.br/noticia/nid. Acessado em: 24 de janeiro de 2019.

COSTA, A de L. R. da. Ekabó! Trabalho escravo e condições de moradia e reordenamento urbano em Salvador no século XIX. 1989. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura/UFBA, Salvador, 1989.

DAMIANI, A. L. A urbanização crítica na metrópole de São Paulo a partir de fundamentos da geografia urbana. Revista da ANPEGE, Uberlândia, v. 5, p. 39-53, 2009. Disponível em: http://www.anpege.org.br/revista/ojs-2.2.2/index.php/anpege08/article/view/29/pdf04. Acessado em: 12 de janeiro de 2018.

SOUZA, Â. G. Limites do habitar: segregação e exclusão na configuração urbana contemporânea de Salvador e perspectivas no final do século XX. 2. ed. Salvador: EDUFBA, 2008.

HARVEY, D. Os limites do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico do Brasil, 1960. Características da população e dos domicílios. Rio de Janeiro: IBGE, 1960.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico do Brasil, 1950. Características da população e dos domicílios. Rio de Janeiro: IBGE, 1950.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico do Brasil, 1940. Características da população e dos domicílios. Rio de Janeiro: IBGE, 1940.

LEFEBVRE, H.; ALFREDO, A.; PAULA, C. M. de; FICARELLI, T. Da Teoria das crises à Teoria das Catástrofes. In: Revista GEOUSP – Espaço e Tempo. São Paulo, v. 13, n. 1, p. 138-152, 2009.

LEFEBVRE, H. A revolução urbana [1970]. Belo Horizonte: EDUFMG, 2004.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade [1968]. São Paulo: Centauro, 1999.

LEFEBVRE, H. Perspectiva da Sociologia Rural. In: MARTINS, J. de S. Introdução Crítica à Sociologia Rural. 2 ed. São Paulo: HUCITEC, 1986.

LEFEBVRE, H. Critique da le vie quotidienne III: de la modernité au modernisme (pour une métaphilosophie du quotidien). Paris : L’Arche, 1981.

LEFEBVRE, H. De l’État – 4. Les contradictions de l’État moderne. Paris: Union Générale d’Éditions, 1978.

LEFEBVRE, H. Au-delà du structuralisme. Paris: Éditions Anthropos, 1971.

LEFEBVRE, H. Critique da le vie quotidienne II: fondements d’une sociologie de la quotidienneté. Paris: L’Arche, 1961.

MARTINS, J. de S. O Cativeiro da Terra. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1979.

MARX, K. O Capital [1867]: crítica da economia política. Livro primeiro: o processo de produção do capital. 9 ed. São Paulo: Difel, 1984.

NEVES, L. P. O crescimento de Salvador e demais cidades baianas. Salvador: CED/UFBA, 1985.

OLIVEIRA, F. de. Crítica à razão dualista; o ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.

OLIVEIRA, F. de. O elo perdido: classe e identidade de classe. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1987.

OSEKI, J. J. O único e o homogêneo na produção do espaço. In: MARTINS, J. de S. Henri Lefebvre e o retorno à dialética. São Paulo: HUCITEC, 1996.

Prefeitura Municipal de Salvador (PMS). Órgão Central de Planejamento. Disponibilidade de terras. Inventário de Loteamentos, Salvador. 1977.

Reforma do Pelourinho recuperará 100 casas em 4 quarteirões. Jornal A Tarde, Salvador, 6 de abril de 1992, Caderno 2, p. 3.

SANTOS, M. O centro da Cidade do Salvador: estudo de Geografia Urbana. Salvador: Progresso, 1959.

SILVA, L. O. Terras Devolutas e Latifúndio. Efeitos da lei de 1850. Campinas: Editora da Unicamp, 1996.

THOM, R. Paraboles et catástrophes: entretiens sur les mathématiques, la science et la philosophie réalisés par Giulio Giorello et Simona Morini. Paris: Flammarion, 1983.

THOM, R. Modèles Mathématiques de la Morphogènese. Paris: Christian Bourgois éditeur, 1980.

VASCONCELOS, P. de A. Salvador: transformações e permanências (1549-1999). Ilhéus: Editus, 2003.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

Araújo, J. A. (2021). Aplicações de elementos da teoria das catástrofes ao estudo da (re)produção do espaço urbano: parte 2 – a representação morfológica. Revista Do Departamento De Geografia, 41(1), e184657. https://doi.org/10.11606/eISSN.2236-2878.rdg.2021.184657

Edição

Seção

Artigos