CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIAS ACERCA DAS INTERPRETAÇÕES DO RISCO: O CASO DA UHE ITAIPU BINACIONAL

Autores

  • Érico Soriano
  • Norma Felicidade Lopes da Silva Valencio

DOI:

https://doi.org/10.7154/RDG.2012.0024.0012

Palavras-chave:

risco, desastre, barragens, sociedade do risco

Resumo

Vivemos numa sociedade onde os riscos e as ameaças alcançaram consideráveis níveis de abrangência, assim como de ineditismo, através do surgimento de novos riscos sinérgicos. Para corresponder a essa situação, emergiu uma cultura de segurança, caracterizada pela crença na racionalidade técnica. Esta cultura apresenta, como atores reguladores, os chamados sistemas peritos, que gabam de grande confiança por parte expressiva da sociedade e obtém a autoridade de discursos institucionais com status de  infalibilidade. Uma produção social de risco, no Brasil, é a construção de barragens, ilustrado, dentre outros, pelo elevado número de acidentes envolvendo estes empreendimentos. No caso da UHE de Itaipu Binacional, foram analisadas algumas variáveis de risco de colapso da barragem, dentre elas: as de caráter ecossistêmico; as relacionadas a eventos climáticos críticos; e as associadas ao terrorismo. A partir da síntese do estado da arte no debate e sob uma perspectiva crítica, foram analisadas as similaridades, diferenças e conflitos entre o discurso institucional de segurança da UHE Itaipu Binacional e o de autoridades públicas locais, além das representações dos grupos sociais inseridos imediatamente à jusante do empreendimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Érico Soriano

Possui graduação em Geografia (licenciatura e bacharelado) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho-UNESP (2004), mestrado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho-UNESP (2007), e faz doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental na Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP), com período de mobilidade na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Trabalha como Analista de Pesquisa em Desastres Naturais no Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN).

Norma Felicidade Lopes da Silva Valencio

Economista, mestre em Educação e doutora em Ciências Humanas. Docente do Depto e do PPG (Mest. e Doc.) em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos/UFSCar, onde coordena o Núcleo de Estudos e Pesquisas Sociais em Desastres (NEPED). Professora Colaboradora do PPG em Ciências da Engenharia Ambiental (Mest. e Doc.) da EESC/USP. O esforço atual de ensino (de graduação e pós-graduação), pesquisa científica, orientação acadêmica (IC, mestrado e doutorado) e extensão é no tema da Sociologia dos Desastres, com foco especial em desastres relacionados à água e às mudanças climáticas.

Downloads

Publicado

2012-12-13

Como Citar

Soriano, Érico, & Valencio, N. F. L. da S. (2012). CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIAS ACERCA DAS INTERPRETAÇÕES DO RISCO: O CASO DA UHE ITAIPU BINACIONAL. Revista Do Departamento De Geografia, 24, 208-236. https://doi.org/10.7154/RDG.2012.0024.0012

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)