A informação tecnológica como ferramenta para gestão de políticas públicas de saúde

  • Luciene Ferreira Gaspar Amaral Instituto Nacional de Propriedade Industrial
  • Érica Riskalla Anchite Fundação Oswaldo Cruz
  • Carlos Eduardo Collazo Pontes Fundação Oswaldo Cruz
  • Tereza Cristina dos Santos Universittá Cattolica del Sacro Cuore em Roma
  • Márcia Coronha Ramos Lima Fundação Oswaldo Cruz
Palavras-chave: AIDS, Antirretroviral, Políticas Públicas, Propriedade Industrial

Resumo

Desde a promulgação da lei que regula direitos e obrigações relativos à Propriedade Industrial, Lei n. 9.279/96, baseada nos preceitos ditados pelo TRIPS - Trade-Related Aspects of Intellectual Property Right, a retomada da proteção dos produtos e processos farmacêuticos, inicialmente, através dos arts. 230-232 que possibilitaram a revalidação, no Brasil, de patentes concedidas no exterior, sem análise de mérito, vem sendo debatida em diversos foros. Embora não seja de opinião unívoca, é constante e acirrada a discução sobre a constitucionalidade do ato de se conceder o privilégio à uma suposta invenção sem análise dos requisitos básicos de patenteabilidade exigidos internacionalmente, insculpidos no art. 8º que se confunde com as acirradas discussões sobre a dualidade que permeia a concessão patentes a tecnologias utilizadas na produção de medicamentos considerados de interesse público e o direito à propriedade imaterial, ambos garantidos constitucionalmente. Em virtude dessas considerações, o presente documento destina-se a relatar a atividade que vem sendo implantada em Farmanguinhos, através da qual as tecnologias afetas à produção dos medicamentos é monitorada, como uma inovação na gestão pública, através da identificação de pontos mais relevantes a serem apreciados na análise de pedidos de patente ou patentes concedidas considerando o arcabouço jurídico nacional e internacional que norteia o sistema de propriedade industrial no Brasil à luz dos ditames constitucionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-10-01
Como Citar
Amaral, L., Anchite, Érica, Pontes, C., Santos, T., & Lima, M. (2010). A informação tecnológica como ferramenta para gestão de políticas públicas de saúde . Revista De Direito Sanitário, 11(2), 137-163. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v11i2p137-163
Seção
Tema em Debate