Obrigatoriedade da licença para funcionamento em salões de beleza no distrito federal

Autores

  • Maria das Graças Machado Britto Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v5i3p114-128

Palavras-chave:

Vigilância sanitaria, Salão de Beleza, Risco, Legislação.

Resumo

Os ideais de beleza sempre permearam a existência humana. A prática do culto ao corpo e à estética é uma realidade em nossos dias. O número de salões de beleza cresceu no Distrito Federal, e as atividades desenvolvidas nesses estabelecimentos são importantes do ponto de vista sanitário. Assim, foi descrito o novo paradigma estabelecido pela legislação que inaugurou a obrigatoriedade da Licença para Funcionamento em Salões de Beleza, em face à realidade do Distrito Federal. O estudo analítico, foi fundamentado em revisão bibliográfica e análise legislativa. Houve destaque para a vinculação entre as ações de Vigilância Sanitária, o poder econômico, e a supremacia da lei, perpassando pela legalidade dos Atos da Administração Pública, como ordens de serviços, desvinculadas de sua finalidade precipua, e decretos execrados de coerência, clareza e legalidade. Foram identificados e analisados entraves que dificultam a aquisição da Licença para Funcionamento em Salões de Beleza no Distrito Federal, impedindo o seu funcionamento e gerando prejuízos aos trabalhadores dessa área, que são cerceados do direito fundamental ao trabalho. Medidas coercitivas decorrentes do controle puramente cartorial, com edição e aplicação de atos administrativos questionáveis legalmente, não contemplam a prevenção de riscos e agravos à saúde nesses locais. É fundamental a implementação de ações de educação em saúde e inspeções sanitárias sistemáticas e de rotina para a promoção e proteção da saúde de trabalhadores e usuários desses serviços.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2004-11-14

Como Citar

Britto, M. das G. M. (2004). Obrigatoriedade da licença para funcionamento em salões de beleza no distrito federal. Revista De Direito Sanitário, 5(3), 114-128. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v5i3p114-128

Edição

Seção

Tema em Debate