Contos folclóricos coreanos: perspectivas para uma tradução colaborativa no Brasil

Autores

  • Yun Jung Im Universidade de São Paulo
  • Luis Carlos Girão Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Carolina Guimarães Universidade de São Paulo
  • Jennifer Murari Universidade de São Paulo
  • Laura Torelli Universidade de São Paulo
  • Mariane Brito Universidade de São Paulo
  • Natália Okabayashi Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2763-650X.i9p47-69

Palavras-chave:

Tradução colaborativa, Literatura coreana, Contos folclóricos coreanos, Onomatopeia, Expressões idiomáticas

Resumo

O presente texto pretende trazer uma reflexão breve sobre o processo de tradução colaborativa realizado pelo grupo de pesquisa "Hallyu - Estudos Coreanos" (CNPq/USP) para uma coletânea de contos folclóricos coreanos. Além de acompanhar o percurso de criação e estabelecimento do grupo-embrião, formado por pesquisadores ligados ao curso de Língua e Literatura Coreana da USP, pretendemos desenvolver uma discussão sobre dois aspectos tradutológicos que residem na base dessas composições ficcionais de extremo caráter oral: as onomatopeias e as expressões idiomáticas. Movidos por um pensar crítico ainda em desenvolvimento sobre o traduzir esse gênero popular da língua coreana para a língua portuguesa, questionamos e exemplificamos as escolhas feitas por quem traduz individualmente e as possibilidades de ampliação, revisão, retradução de termos, frases e construções quando se traduz coletivamente, nas trocas com outros que traduzem uma mesma obra. Por se tratar de um projeto de tradução em andamento, revisitamos alguns passos já dados e vislumbramos horizontes no que tange às metodologias testadas e aplicadas pelo grupo, assim como apontamos desafios presentes no exercício de traduzir de maneira coletiva, seja na teoria, seja na prática. O que apresentamos aqui é apenas um resultado parcial do que estamos ensaiando enquanto tradutores em formação na coletividade, todos com os olhares dirigidos a um título de construções poéticas tão plurais quanto quem integra o grupo.

Biografia do Autor

Yun Jung Im, Universidade de São Paulo

Doutorando em Literatura e Crítica Literária e membro do grupo de pesquisa “Hallyu – Estudos Coreanos” (CNPq/USP).

Luis Carlos Girão, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Doutorando em Literatura e Crítica Literária e membro do grupo de pesquisa “Hallyu – Estudos Coreanos” (CNPq/USP).

Carolina Guimarães, Universidade de São Paulo

Mestra em Letras Estrangeiras e Tradução e membro do grupo de pesquisa “Hallyu – Estudos Coreanos” (CNPq/USP).

Jennifer Murari, Universidade de São Paulo

Graduada em Letras Coreano e membro do grupo de pesquisa “Hallyu – Estudos Coreanos” (CNPq/USP).

Laura Torelli, Universidade de São Paulo

Graduada em Letras Coreano e membro do grupo de pesquisa “Hallyu – Estudos Coreanos” (CNPq/USP).

Mariane Brito, Universidade de São Paulo

Graduada em Letras Coreano e membro do grupo de pesquisa “Hallyu – Estudos Coreanos” (CNPq/USP).

Natália Okabayashi, Universidade de São Paulo

Graduada em Letras Coreano e membro do grupo de pesquisa “Hallyu – Estudos Coreanos” (CNPq/USP).

Referências

ALEKSANDROVICH, Okhrimenko Vitaliy. Particularities of onomatopoeic lexicon studies in modern Korean. Austrian Journal of Humanities and Social Sciences, Viena, n. 3-4, p. 53-54, 2016.

BARCAMP de Tradutores e Intérpretes do Vale do Paraíba. Escola de Tradutores. [S.I.] 2021. Disponível em: <https://www.escoladetradutores.com.br/cursos/barcamp13.html>. Acesso em: 20 set. 2021.

BERMAN, Antoine. Tradução de Marie-Hélène Catherine Torres, Mauri Furlan e Andreia Guerini. A tradução e a letra: ou o albergue do longínquo. Rio de Janeiro: 7Letras, 2007.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 9. ed. Belo Horizonte: Itatiaia Ltda., 2000.

COELHO, Nelly Novaes. O conto de fadas: Símbolos – mitos – arquétipos. 4. ed. São Paulo: Paulinas, 2012.

DUTRA, Rosália. Discurso direto e a onomatopéia: a mímica verbal na fala cotidiana. Alfa, São Paulo, n. 41, p. 141-169, 1997.

KIAER, Jieun. The Routledge Course in Korean Translation. Nova York: Routledge, 2018.

ONOMATOPEIA. In: Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Disponível em: <https://dicionario.priberam.org/onomatopeia>. Acesso em: 23/09/2021.

ONOMATOPEIA. In: Michaelis Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Disponível em: <https://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=onomatopeia>. Acesso em: 23/09/2021.

PARK, Yun Jung Im. A Literatura coreana no Brasil: quadro atual e desafios. Revista Criação & Crítica, São Paulo, v. 1, n. 4, p. 4-17, 2019.

SCHLEIERMACHER, Friedrich E. D. Tradução de Celso Braida. Sobre os diferentes métodos de traduzir. Princípios, Natal, v. 14, n. 21, p. 233-265, 2007.

SEO, Jung-oh. 우리 옛이야기 백가지 1 [Uri Yesiyagi Baekgaji 1]. 2nd ed. Seoul: Hyeonamsa, 1997.

VIANA, Eliete. Da tradição ao K-pop: as culturas da Coreia são apresentadas em evento na FFLCH. FFLCH-USP, 2018. Disponível em: <https://www.fflch.usp.br/956>. Acesso em: 20 set. 2021.

XATARA, Claudia Maria. O campo minado das expressões idiomáticas. Alfa, São Paulo, , n. 42, p. 147-159, 1998.

XATARA, Claudia Maria. Revisitando o conceito de provérbio. Revista de Estudos Linguísticos Veredas, Juiz de Fora, v. 12, n. 1, p. 33-48, 2008.

“2020 ONE Festival do Sejong Hakdang”. Leituras apresentadas por Luis Girão e Laura Torelli. [S.I.: s. n.] 2020. 1 vídeo (34m). Publicado pelo canal Centro Cultural Coreano no Brasil. Disponível em: <https://youtu.be/dr_9J3NccEY?t=819>. Acesso em: 20 set. 2021.

한-브라질 수교 60주년 기념 한국문학 행사 개최. LTI Korea. [S.I.] 2019. Disponível em: <https://www.ltikorea.or.kr/kr/pages/event/eventView.do?eventIdx=4457>. Acesso em: 20 set. 2021.

문자 쓰다 장인 잃은 사위. Encyclopedia of Korean Folk Culture. [S.I.] [2006?]. Disponível em: <https://folkency.nfm.go.kr/kr/topic/detail/5813>. Acesso em: 20 set. 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-28

Como Citar

Im, Y. J. ., Girão, L. C. ., Guimarães, C., Murari, J. ., Torelli, L. ., Brito, M. ., & Okabayashi, N. . (2021). Contos folclóricos coreanos: perspectivas para uma tradução colaborativa no Brasil. Revista De Estudos Orientais, (9), 47-69. https://doi.org/10.11606/issn.2763-650X.i9p47-69

Edição

Seção

Artigos