As proteínas de relógios e o eixo hipotálamo-hipófise-gonadal de fêmeas de roedores

  • Maristela de Oliveira Poletini Universidade Federal de Minas Gerais. Instituto de Ciências Biológicas. Departamento de Fisiologia e Biofísica
Palavras-chave: Proteínas de relógio, Ovulação, Ratas, Hormônio luteinizante

Resumo

A liberação hormonal de cada componente do eixo hipotálamo-hipófise-gonadal ocorre numa janela temporal circadiana, o que é fundamental para garantir o sucesso reprodutivo e a ovula- ção de fêmeas de mamíferos quer sejam ovuladores espontâneos ou induzidos. Um pico na secreção do hormônio luteinizante (LH) garante a ruptura do folículo ovariano e expulsão do oócito. Este pico é precedido pela hipersecreção do hormônio liberador de gonadotrofinas (GnRH) dos neurônios hipotalâmicos. Em roedores, está bem definido que a ativação destas secreções é o resultado da integração de mecanismos neuroendócrinos cíclicos, tais como um aumento das concentrações plasmáticas de estradiol durante a fase folicular do ciclo estral e um sinal neural vindo dos núcleos supraquiasmáticos (NSQs). Além disso, têm-se acumulado evidências de que o funcionamento de cada um dos componentes do eixo hipotálamo-hipófise-gonadal tem a intermediação de proteínas do relógio biológico. Esta revisão discute estas evidências

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-04-23
Seção
Ensaio