Interação entre sincronizadores fóticos e sociais: repercussões para a saúde humana

Autores

  • Érico Felden Pereira Universidade Federal do Paraná. Laboratório de Cronobiologia Humana
  • Tâmile Stella Anacleto Universidade Federal do Paraná. Laboratório de Cronobiologia Humana
  • Fernando Mazzilli Louzada Universidade Federal do Paraná. Laboratório de Cronobiologia Humana

DOI:

https://doi.org/10.7594/revbio.09.03.13

Palavras-chave:

Ciclo claro/escuro, Exposição à luz artificial, Trabalho em turnos, Viagens transmeridianas, Atraso de fase, Saúde humana

Resumo

O ciclo claro/escuro é considerado o mais importante zeitgeber dos ritmos de mamíferos. No entanto, em humanos, o advento da luz elétrica alterou os padrões de sincronização. A exposição à luz artificial durante a fase escura, especialmente em função de situações de trabalho e estudo noturno, viagens transmeridianas e hábitos como TV e internet, está associada à dessincronização dos ritmos circadianos. Uma variedade de pesquisas básicas e aplicadas vem demonstrando as consequências dessa falta de sincronização. Assim, o objetivo deste estudo foi discutir, em estudos com populações brasileiras, as principais consequências das interações entre sincronizadores sociais e o ciclo claro/escuro, com especial atenção às questões de saúde humana

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-04-23

Como Citar

Pereira, Érico F., Anacleto, T. S., & Louzada, F. M. (2018). Interação entre sincronizadores fóticos e sociais: repercussões para a saúde humana. Revista Da Biologia, 9(3), 68-73. https://doi.org/10.7594/revbio.09.03.13

Edição

Seção

Ensaio