Novo instrumento de aferição do ritmo de temperatura periférica em humanos: um estudo de caso

Autores

  • Daniela Wey Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Saúde Ambiental

DOI:

https://doi.org/10.7594/revbio.09.03.15

Palavras-chave:

Acrofase, atividade/repouso, temperatura do punho, temperatura retal, termorregulação

Resumo

Pesquisas recentes indicam a temperatura do punho como um possível marcador da fase do sistema circadiano humano. Neste estudo apresentamos resultados de um novo equipamento – (ACT10) – que monitora de forma contínua e em longo prazo a temperatura do punho e o ritmo de atividade/ repouso. Durante 48 h um sujeito adulto usou o ACT10 e outros sensores térmicos posicionados no punho (superfície dorsal e ventral) axila e reto para monitorar sua temperatura. As diferenças nas acrofases das temperaturas do punho e retal podem ser explicadas pelo processo de termorregulação. Os resultados obtidos confirmam o uso do ACT10 como uma alternativa menos invasiva e confiável para aferir o status do sistema circadiano humano

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-04-23

Como Citar

Wey, D. (2018). Novo instrumento de aferição do ritmo de temperatura periférica em humanos: um estudo de caso. Revista Da Biologia, 9(3), 80-84. https://doi.org/10.7594/revbio.09.03.15

Edição

Seção

Ensaio

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)