O índio brasileiro: imagem e realidade

Autores

  • Egon Schaden Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.1977.105273

Palavras-chave:

Indígena, Imagem, Brasil

Resumo

As imagens e os estereótipos étnicos não existem à margem da realidade histórica. Fazem parte dela. Assim, o binômio imagem e realidade sugere desde logo um problema que, apesar de trivial, é não raro esquecido nas discussões sobre o conceito, ou melhor, os conceitos que do aborígine brasileiro se formaram no correr do tempo. A oposição entre imagem e realidade, ainda que legítima em teoria, não há de ser colocada em termos tais que se abandone a perspectiva do contexto histórico responsável pela emergência das idéias que os grupos étnicos têm uns dos outros e segundo as quais se pautam as relações entre eles. Para compreender os estereótipos, como, aliás, todo gênero de representações coletivas, cumpre ter em mente que, por esdrúxulos que às vezes possam parecer, eles nunca se reduzem a simples criações do espírito. São produtos da mentalidade de uma época, de uma situação histórica peculiar, dos representantes de uma categoria social ou de um grupo cultural. Uma vez incorporados a um sistema de idéias, convertem-se em fatores que condicionam e, até certo ponto, determinam as atitudes e o comportamento diante dos membros das respectivas etnias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1977-06-30

Como Citar

SCHADEN, E. O índio brasileiro: imagem e realidade. Revista de História, [S. l.], v. 55, n. 110, p. 321-346, 1977. DOI: 10.11606/issn.2316-9141.rh.1977.105273. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/105273. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Conferência