No rumo dos sertões inexplorados: a aventura da Bandeira Anhanguera de São Paulo à Serra do Roncador (1937)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2020.159762

Palavras-chave:

relatos de viagem, memorialismo, jornalismo, expedições exploratórias, Brasil Central

Resumo

Esse artigo busca descrever e analisar a trajetória da Bandeira Anhanguera, expedição realizada em 1937 sob a liderança de Hermano Ribeiro da Silva. O grupo, que partiu de São Paulo, ambicionava explorar a região localizada à margem esquerda do rio das Mortes, no Brasil central, tida como uma das extensões mais desconhecidas do território nacional. Visando produzir conhecimento científico e realizar contato com os indígenas xavantes, até então refratários ao contato com os brancos, o empreendimento buscou mobilizar a sociedade paulista, e para tal fez intenso uso dos meios de comunicação de massa, sobretudo o rádio e a imprensa escrita. A trajetória do grupo é, assim, reconstituída sumariamente, a partir da cobertura jornalística e dos relatos memorialísticos de três de seus participantes.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Luciana Murari, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

    Doutora pelo Programa de Pós-graduação em História Social do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Professora adjunta da Escola de Humanidades e do Programa de Pós-graduação em História da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Bolsista de produtividade em pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Referências

A “BANDEIRA ANHANGUÉRA” embrenhou-se nos sertões. O Estado de S. Paulo, 11 ago. 1937, p. 12.

A BANDEIRA Anhanguéra nos sertões de Goyas e Matto Grosso. Correio Paulistano, 4 set. 1938, p. 10.

ADAMI, Antonio. O rádio com sotaque paulista: Pauliceia Radiofônica. São Paulo: Mérito, 2014.

AGAMBEN, Giorgio. A aventura. Cláudio Oliveira. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

Á MEMORIA do bravo sertanista Hermano Ribeiro da Silva. Careta, Rio de Janeiro, fev. 1938, p. 34.

BANDEIRA Anhanguéra. O Estado de S. Paulo, 4 nov. 1937, p. 8.

BANDEIRA Anhanguéra. O Estado de S. Paulo, 16 nov. 1937, p. 6.

BANDEIRA Anhanguéra. O Estado de S. Paulo, 26 nov. 1937, p. 5.

BARROS, Edir Pina de. Os filhos do Sol: história e cosmologia na organização social de um povo karib: os Kurâ-Bakairi. São Paulo: Edusp, 2003.

BRASILEIRO, Francisco. Na Serra do Roncador. (A vanguarda da Bandeira Anhanguera). Companhia Editora Nacional, 1938.

CONNERTON, Paul. Como as sociedades recordam. Tradução Maria Manuela Rocha. Oeiras, Portugal: 1993.

DIVERSOS expedicionarios da “Bandeira Anhanguera” chegaram hontem a esta capital. Folha da Manhã, São Paulo, 5 dez. 1937, p. 1.

ECOS. O Globo, Rio de Janeiro, 27 nov. 1937, p. 2.

FERREIRA, Antonio Celso. A epopeia bandeirante: letrados, instituições, invenção histórica (1870-1940). São Paulo: UNESP, 2002.

GRANDIN, Greg. Fordlândia. Ascensão e queda da cidade esquecida de Henry Ford na selva. Tradução Nivaldo Montingelli Júnior. Rio de Janeiro: Rocco, 2010.

GRANN, David. Z, a cidade perdida. A obsessão mortal do coronel Fawcett em busca do Eldorado Brasileiro. Tradução Claudio Carina. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

LIMA, Nísia Trindade. Um sertão chamado Brasil. Rio de Janeiro: Revan; IUPERJ; UCAM, 1999.

MELLO, Darcy Bandeira de. Entre índios e revoluções. (Pelos sertões de São Paulo, Mato Grosso e Goiás de 1911 a 1941). São Paulo: Soma, 1980.

MONTECCHI, Acir Fonseca. Teatro de Imagens: a Bandeira Anhangüera através das lentes de Antonio Senatore –1937. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2001 (mimeo).

MONTERO, Paula. Selvagens, civilizados, autênticos. A produção das diferenças nas etnografias salesianas (1920-1970). São Paulo: Edusp, 2012.

MORTO em plena selva o chefe da expedição Anhanguera. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 29 nov. 1937, p. 1.

NA SERRA do Roncador. A marcha da Bandeira Anhanguéra entre os chavantes. (Publicação feita á vista do archivo da Bandeira). O Estado de S. Paulo, 17 jul. 1938, p. 9.

NA SERRA do Roncador. A marcha da Bandeira Anhanguéra entre os chavantes. (Publicação feita á vista do archivo da Bandeira). Conclusão. O Estado de S. Paulo, 22 jul. 1938, p. 9.

NÉBIAS, Arnaldo Otávio. Bandeira Anhanguera – 1937. Revista Brasileira de Geografia, ano II, n.º 2, abr. 1940, p. 155-72.

NO RUMO dos sertões inexplorados. O Estado de S. Paulo, 5 maio 1937, p. 9.

NO RUMO dos sertões inexplorados do Brasil. O Estado de S. Paulo, 9 maio 1937, p. 11.

NO RUMO dos sertões inexplorados. O Estado de S. Paulo, 12 maio 1937, p. 11.

NO RUMO dos sertões inexplorados. O Estado de S. Paulo, 13 maio 1937, p. 11.

NO RUMO dos sertões inexplorados. O Estado de S. Paulo, 14 maio 1937, p. 10.

NO RUMO dos sertões inexplorados. O Estado de S. Paulo, 16 jun. 1937, p. 11.

O DIARIO do bandeirante. O Estado de S. Paulo, Supplemento em rotogravura, n.º 124, s. p.

PARTIDA da “Bandeira Anhanguéra”. O Estado de S. Paulo, 27 jul. 1937, p. 12.

PICCHIA, Menoti del. Cummunká. Rio de Janeiro: José Olympio, 1938.

PINTO, Olivério Mário de Oliveira. A Bandeira Anhanguera e sua contribuição à ornitologia do rio Araguaia. Boletim Biologico, São Paulo, nova série, n.º 3 (3/4), 1938, p. 97-106.

SILVA, Hermano Ribeiro da. Os sertões do Brasil. O Estado de S. Paulo, 26 mar. 1937, p. 3.

SIMMEL, Georg. A aventura. In: SOUZA, Jessé; ÖELZE, Berthold (orgs). Simmel e a modernidade. Tradução Sebastião Rios. Brasília: UnB, 1998, p. 171-87.

REVIVENDO a gloriosa tradição das bandeiras. O Estado de S. Paulo, 4 jul. 1937, p. 10.

REVIVENDO as epopéas dos paulistas de outrora. O Estado de S. Paulo, 3 jul. 1937, p. 10.

RICARDO, Cassiano. As bandeiras do século XX. Cultura Política: Revista mensal de estudos brasileiros. Rio de Janeiro, ano II, n.º 11, jan. 1942, p. 13-26.

RUMO ao Araguaya. Goyaz sob o influxo do turismo. O Globo, 9 ago. 1937, p. 8.

SÃO PAULO. Projecto de lei 104, de 1937. Diario Official do Estado de São Paulo, 15 jun. 1937, p. 20-22

SEGUNDA-FEIRA, no Cine São Bento. O Estado de S. Paulo, 19 nov. 1938, p. 3.

SENATORE, Antonio. Viagem à serra do Roncador. 1937. São Paulo: Lemos, 2001.

SILVA, Hermano Ribeiro da. Nos sertões do Araguaia. Narrativa da expedição ás glebas barbaras do Brasil central. São Paulo: Cultura brasileira, 1935.

UMA BELLA iniciativa sertanista dos paulistas. Correio Paulistano, 10 jun. 1937, p. 1.

VILLAS BÔAS, Orlando; VILLAS BÔAS, Cláudio. A Marcha para o Oeste: a epopéia da Expedição Roncador-Xingu. 2ª. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2012

Downloads

Publicado

2020-09-16

Edição

Seção

Rumos do Brasil

Como Citar

MURARI, Luciana. No rumo dos sertões inexplorados: a aventura da Bandeira Anhanguera de São Paulo à Serra do Roncador (1937). Revista de História, São Paulo, n. 179, p. 1–29, 2020. DOI: 10.11606/issn.2316-9141.rh.2020.159762. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/159762.. Acesso em: 16 abr. 2024.