O manuscrito da Henriada: a trajetória do Poema de Voltaire traduzido na Vila Rica dos Inconfidentes (1788-2016)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2021.172877

Palavras-chave:

Capitania de Minas Gerais, Censura, Iluminismo, Inconfidência Mineira, Arcádia Ultramarina

Resumo

O presente estudo tem como objetivo analisar o códice manuscrito com a tradução da Henriada, de Voltaire, feita pelo médico Thomaz de Aquino Bello e Freitas, na capitania de Minas Gerais, em 1788. A versão primitiva desta tradução, desaparecida por dois séculos, foi remetida para a Real Comissão Geral sobre o Exame e Censura de Livros em 1789, onde foi lhe facultada a impressão, seguida pela ordem de supressão do livro, em 1790. O códice original, recentemente identificado, apresenta um conjunto de ideias e expressões que permite revisitar a circulação de ideias da Ilustração entre os círculos intelectuais de Vila Rica às vésperas da Inconfidência Mineira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pablo Antonio Iglesias Magalhães, Universidade Federal do Oeste da Bahia

Doutor em História Social pela Universidade Federal da Bahia (2010), Professor Associado de História do Brasil na Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), vice-diretor do Centro das Humanidades (CEHU), coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas e Sociais (PPGCHS / UFOB) e professor no Programa de Pós-Graduação em História, na Universidade Federal de Sergipe (PROHIS / UFS).

Referências

ABREU, Márcia. Os Caminhos do Livro. Campinas: Mercado da Letras, 2003.

AGUIAR, Alfredo de. História da literatura portuguesa. 1976.

ALCIDES, Sérgio. Seixas Brandão e o malogro da Arcádia Ultramarina. Oficina da Inconfidência: Revista de Trabalho, Ouro Preto, ano 4, n. 3, p. 81-103, dez. 2004.

ANDRADE, António Alberto Banha de. Vernei e a cultura do seu tempo. Coimbra: Acta Universitatis Conimbrigensis, 1965.

ANUNCIAÇÃO, Miguel da. Pastoral. Conimbricense, n.° 2, Coimbra, 1869.

AULARD, François-Alphonse. Histoire politique de la révolution française: origines et développement de la démocratie et de la république (1789-1804). Paris: Librairie A. Colin, 1926.

AUTOS da devassa da Inconfidência Mineira. Brasília; Belo Horizonte; Ouro Preto: Câmara dos Deputados; Imprensa Oficial de Minas; Museu da Inconfidência, 1974-2001. 11 v.

BALBI, Adien. Essai statistique sur le royaume de Portugal et D’Algarve. Paris: Rey et Gravier, 1822. 2 v.

BARBOSA, Waldemar de. O Aleijadinho de Vila Rica. Belo Horizonte: Itatiaia, 1985.

BASTOS, José Timóteo da Silva. História da censura intelectual em Portugal. Coimbra, Imp. da Universidade, 1926.

BLAKE, Augusto Vitorino Alves Sacramento. Diccionario Bibliographico Brazileiro. Rio de Janeiro: Imp. Nacional, 1883-1902. 7 v.

BRAGA, Teophilo. História da Universidade de Coimbra nas suas relações com a instucção publica portugueza. Tomo III, 1700 a 1800. Lisboa: Typographia da Academia Real das Sciencias, 1898.

BRITO, António Ferreira de. Voltairofobia e voltairofilia na cultura portuguesa dos séculos XVIII e XIX: os tempos e os modos. Intercâmbio. Porto: Universidade do Porto, Fac. de Letras, pp. 9-40, 1990.

CAMÕES, José; PINTO, Isabel. As traduções de Le Fanatisme ou Mahomet le Prophète na cena e na página: um caso de voltairomania nas últimas décadas do século XVIII português. EHumanista, vol. 22, 2012.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira (1750-1836). São Paulo: Martins, 1971.

CARREIRA, Laureano. O Teatro e a censura em Portugal na segunda metade do século XVIII. Lisboa: Imp. Nacional, 1988.

COSTA, Hipólito José da. Correio Braziliense ou Armazem Literario. Vol. XI. Londres: W. Lewis, 1813.

DAVIDSON, Ian. Voltaire: A Life. New York: Pegasus Books, 2010.

DENIPOTI, Cláudio. Escrita, Luzes, Nação e Império nos textos e paratextos de escritores e tradutores luso-brasileiros no século XVIII. História (São Paulo. Online), v. 38, p. 11, 2019. Disponível mem: https://www.scielo.br/pdf/his/v38/1980-4369-his-38-e2019002.pdf. Acesso em: 08 jul. 2020.

EDITAL da Real Mesa de 24 de setembro de 1770. Lisboa: Impressão Regia, 1770.

FIGUEREDO, Lucas. O Tiradentes: uma biografia de Joaquim José da Silva Xavier. São Paulo: Cia. das Letras, 2018.

FREITAS, Thomas de Aquino Bello e (trad.). Henriada Poêma Epico Composto na Lingoa Franceza por M.r de Voltaire &.a &.a Traduzido e ilustrado com varias notas na Lingoa Portugueza por Thomas de Aquino Bello e Freitas Medico formado pela Vniversd.e de Coimbra. 1788. Manuscrito na coleção do autor.

FREITAS, Thomaz de Aquino Bello e (trad.). Henriada. Porto: Antonio Alvarez, 1789.

FRIEIRO, Eduardo. O Diabo na Livraria do Cônego. Belo Horizonte: Itatiaia, 1981, 2ª ed.

GONÇALVES, Adelto. Gonzaga, um poeta do iluminismo. São Paulo: Nova Fronteira, 2000.

JOBIM, Leopoldo Collor. O Santo Ofício da inquisição no Brasil setecentista: estudo de uma denúncia. Estudos Íbero-americanos, v. 13, n. 2, PUC do Rio Grande do Sul, Dept. de História, 1987.

LAFARGA, Francisco. Sur la fortune de la Henriade en Espagne. Studies on Voltaire and the Eighteenth Century, no. 199, 1981, 131-153.

LAFARGA, Francisco. La Henriada de Voltaire, en la traducción de Pedro Bazán de Mendoza (1816). in: LAFARGA, F.; PEGENAUTE, L. (eds.). Cincuenta estudios sobre traducciones españolas. Berna: Peter Lang, 2011, pp. 207-210.

LAPA, Manuel Rodrigues. As “Cartas chilenas”: um problema histórico e filológico. Rio de Janeiro: INL, 1958.

MAGALHÃES, Pablo A. Iglesias. O tradutor dos abomináveis princípios: José Pedro de Azevedo Sousa da Câmara e a circulação dos escritos de Voltaire em Portugal e no Brasil (1790-1834). História (UNESP. Assis), v. 35, p. 22, 2016. Dispobível em: https://www.scielo.br/j/his/a/ZqkFSgd8JFJfWbt99cyjPXP/?lang=pt. Acesso em: 08 jul. 2020. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1980-436920160000000101.

MAGALHÃES, Pablo A. Iglesias. Luzes e Sombras: A Censura de Livros na Capitania da Bahia (1811-1821). Revista Complutense de Historia da América, v. 43, p. 203-236, 2017. Disponível em: https://revistas.ucm.es/index.php/RCHA/article/view/56732. Acesso em: 08 jul. 2020. Doi: http://dx.doi.org/10.5209/RCHA.56732

MAGALHÃES, Pablo A. Iglesias. O caçador de pedreiros-livres: José Anastácio Lopes Cardoso e sua ação contra a maçonaria luso-brasílica (1799-1804). Revista de História (USP), v. 176, p. 01-48, 2017b. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/111602. Acesso em: 08 jul. 2020. Doi. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2017.111602

MARQUES, Maria Adelaide. A Real Mesa Censória e a Cultura Nacional. In Boletim da Biblioteca da Universidade de Coimbra, V. 26, Coimbra, 1964.

MARTINS, Maria Teresa Esteves Payan. A censura literária em Portugal nos séculos XVII e XVIII. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2005.

MATHIAS, Herculano Gomes (ed.). Coleção Casa dos Contos de Ouro Preto. Arquivo Nacional: Rio de Janeiro, 1966.

MATHIAS, Herculano Gomes (ed.). Um recenseamento na capitania de Minas Gerais: Vila Rica 1804. Publicações do Arquivo Nacional, 1a. série, no. 63. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1969.

MORAES, Rubens Borba de. Bibliografia da Impressão Régia do Rio de Janeiro, 1808-1822. São Paulo: 1993. 2 v.

NUNES, Rossana Agostinho. Discursos libertinos, iluminismo e cultura religiosa no mundo luso-brasileiro ao final do século XVIII. Varia História, Belo Horizonte, vol. 35, n. 69, p. 723-752, set/dez 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/vh/v35n69/0104-8775-vh-35-69-0723.pdf. Acesso em: 08 jul. 2020

OLIVEIRA, Tarquínio J. B. de Oliveira. Cartas chilenas: fontes textuais. Editora Referência, 1972.

RAMOS, Luís Antonio de Oliveira. Inéditos do Cardeal Saraiva (historiografia Monástica) II. Bracara Augusta, Vol. LI, n.º 106 (119), 2003.

REGO, Raul. A censura prévia administrativa. In: Teses e documentos: textos integrais / II Congresso Republicano de Aveiro. Braga, 1969.

REVISTA do Arquivo Público Mineiro, Imprensa Official de Minas Geraes, 1896.

REZENDE, Luiz Alberto Ornellas. Poder local, agentes régios e controle camarário em Vila Rica, 1711-1789. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2020.

ROUANET, Sérgio Paulo. A Henriada no Brasil. In: VOLTAIRE. Henriada. Tradução de Thomaz de Aquino Bello de Freitas. Rio de Janeiro: Nova. Fronteira, 2008.

SILVA, Ana Rosa Cloclet da. Inventando a nação: Intelectuais Ilustrados e Estadistas Luso-Brasileiros na Crise do Antigo Regime Português (1750-1822). São Paulo: HUCITEC/FAPESP, 2006.

SILVA, Innocencio Francisco da. Diccionario Bibliographico Portuguez. Lisboa: Imprensa Nacional, 1858. 23 v.

SILVA, Joaquim Norberto de Souza. Modulacoens poeticas. Precedidas de um bosquejo da historia da poesia Brasileira. Rio de Janeiro: Typographia Franceza, 1841.

SOL, Léon Carbonero y. Estracto alfabético de cuanto contienen todos los tomos de Decretos por el doctor Don León Carbonero y Sol. Madrid: Roix Editor, 1841.

SOUSA, José Carlos Pinto de. Bibliotheca historica de Portugal, e seus dominios ultramarinos. Lisboa: Typ. do Arco do Cego, 1801.

SOUZA, Laura de Mello e. Cláudio Manuel da Costa. São Paulo: Cia das Letras, 2011.

STARLING, Heloísa. Ser Republicano na Colônia. São Paulo: Cia das Letras, 2019.

TRINDADE, Raimundo. Genealogias da Zona do Carmo. Ponte Nova: Irmãos Penna & C., 1943

VASCONCELOS, Diogo Pereira Ribeiro de. Breve descrição geográfica, física e política da capitania de Minas Gerais. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, 1994.

VELEZ, Rafael. Preservativo contra la irreligión: ó, los planes de la filosofía contra la Religion y el Estado, realizados por la Francia para subyugar la Europa. Granada: Imprenta del Ejército, 1813.

VILLALTA, Luiz Carlos. Reformismo ilustrado, censura e práticas de leitura: usos do livro na América Portuguesa Tese (USP), 1999. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-14122009-115825/publico/LUIZ_CARLOS_VILLATA.pdf. Acesso em: 08 jul. 2020

VILLALTA, Luiz Carlos. Montesquieu’s Persian Letters and reading practices in the Luso-Brazilian World. In: PAQUETTE, Gabriel. (Org.). Enlightened Reform in Southern Europe and its Atlantic Colonies 1750-1830. Farnham: Ashgate, 2009, p. 119-141.

VOLTAIRE. La Henriada: poema épico francés traducido en verso español por el doctor D. Pedro Bazán de Mendoza. Alais: Imprenta de Martín, 1816.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Edição

Seção

Artigos