A “questão penitenciária” no Rio Grande do Sul como arma política contra o Império (1884-1889)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2023.195459

Palavras-chave:

A Federação, Rio Grande do Sul, questões penitenciárias, Partido Republicano Rio-Grandense (PRR), Império

Resumo

O presente artigo analisa como o Partido Republicano Rio-Grandense (PRR), fundado em 23 de fevereiro de 1882, instrumentalizou politicamente as mazelas e negligências penal-carcerárias no Rio Grande do Sul, entre 1884 e 1889, a partir das páginas do jornal A Federação, contra o Estado imperial. Busca-seesclarecer como a gestão penitenciária da província alimentou ataques não somente aos representantes da coroa, como também ao próprio regime monárquico,a partir derelatórios, denúncias, queixas, memorandos, testemunhos de diferentes instituições e indivíduos acerca das condições higiênicas, de segurança, administração, ordem e moralidade vivenciadas pelasprisões sul-rio-grandenses ou em torno delas. Através de um levantamento exaustivo desses testemunhos, alguns dos quais transcritos de outros jornais interioranos e publicanos no órgão oficial da legenda, foi possível perceber como as lideranças do PRR construíram habilmente um discurso propositivo crítico sobre esse ramo da administração da justiça, em detrimento das (des)atenções recebidas das autoridades responsáveis do executivo provincial.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Tiago da Silva Cesar, Universidade Católica de Pernambuco

    Doutor em História pela Universidad de Córdoba (UCO/ES). Professor do Curso de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Católica de Pernambuco (PPGH-UNICAP).

Referências

AGUIRRE, Carlos. Cárcere e sociedade na América Latina, 1800-1940. In: MAIA, Clarisa Nunes; ALBUQUERQUE NETO, Flávio de Sá; COSTA, Marcos; BRETAS, Marcos Luiz.(Orgs.). História das Prisões no Brasil. Rio de Janeiro: Rocco, 2009, p. 38-39.

AL-ALAM, Caiuá Cardoso. Palácio das Misérias: populares, delegados e carcereiros em Pelotas (1869-1889). Tese de doutorado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2013.

ALBUQUERQUE NETO, Flávio de Sá Cavalcanti de. A reforma prisional no Recife oitocentista: da Cadeia à Casa de Detenção (1830-1874). Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Pernambuco, 2008.

ALBUQUERQUE NETO, Flávio de Sá Cavalcanti de. Punir, Recuperar, Lucrar: o trabalho penal na Casa de Detenção do Recife (1862-1879). Tese de doutorado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Pernambuco, 2015.

ARAÚJO, Carlos Eduardo Moreira. Cárceres imperiais: A Casa de Correção do Rio de Janeiro. Seus detentos e o sistema prisional no Império, 1830-1861. Tese de doutorado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Estadual de Campinas, 2009.

ARAÚJO, Carlos Eduardo Moreira. O duplo cativeiro: escravidão urbana e o sistema prisional no Rio de Janeiro, 1790-1821. Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2004.

BRITTO, Aurélio de Moura. Fissuras no ordenamento: sociabilidades, fluxos e percalços na Casa de Detenção do Recife (1861-1875). Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Pernambuco, 2014.

CARVALHO, José Murilo de. A vida política. In: CARVALHO, José Murilo. (coord.). A construção nacional, 1830-1889. Rio de Janeiro: Fundación Mapre/Editora Objetiva, 2012, p. 83-129.

CESAR, Tiago da Silva. A ilusão panóptica: encarcerar e punir nas imperiais cadeias da Província de São Pedro (1850-1888). São Leopoldo: Oikos/Editora Unisinos, 2015.

CESAR, Tiago da Silva. As oficinas e o trabalho penal dos condenados da Casa de Correção de Porto Alegre (1895-1930). Tempo. Niterói, vol. 28, n. 3, 2021a.

CESAR, Tiago da Silva. Trabalho, lucro e regeneração na Casa de Correção de Porto Alegre durante a República Velha. Millars. Espai I Història. [S. l], vol. 2, n. 51, 2021b, p. 135-177.

CESAR, Tiago da Silva. A visita de “Sua Magestade o Imperador” e os pedidos de perdão de presos da Cadeia Civil de Porto Alegre. Almanack. Guarulhos, n. 27, 2021c, p. 1-54.

CEZAR, João José. Notas sobre a imprensa do Rio Grande do Sul. In: AZAMBUJA, Graciano A. de. Annuario da Provincia do Rio Grande do Sul para o anno de 1885 publicado sob a direção de Graciano A. de Azambuja. Porto Alegre: Editores Gundlach & Cia., 1884, p. 188-200.

FRANÇA, Clemente Ferreira. Conta, que a sua Magestade O Imperador da o Ministro e Secretario d’Estado dos Negocios da Justiça, do tempo da sua administração. Rio de Janeiro: Typographia Imperial e Nacional, 1826.

FRANCO, Sérgio da Costa. Porto Alegre: guía histórico. 5ª ed. Porto Alegre: Ed. Edigal, 2018.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. 22ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

GONÇALVES, Flávia Maíra de Araújo. Cadeia e Correção: sistema prisional e população carcerária na Cidade de São Paulo (1830-1890). São Paulo: Annablume, 2013.

GONÇALVES, Flávia Maíra de Araújo. O sistema prisional no Império brasileiro: estudo sobre as províncias de São Paulo, Pernambuco e Mato Grosso (1835-1890). Tese de doutorado, História, Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade de São Paulo, 2016.

HUNT, Lynn. La invención de los derechos humanos. Barcelona: Tusquets, 2009.

LEITE, Carlos Roberto Saraiva da Costa. “A Federação”, um jornal que fez história. In: Observatório da imprensa, [S. l.], 2016. Disponível em: <https://www.observatoriodaimprensa.com.br/memoria/federacao-um-jornal-que-fez-historia/.>. Acesso em: 21 jan. 2022.

MAIA, Clarisa Nunes; ALBUQUERQUE NETO, Flávio de Sá; COSTA, Marcos; BRETAS, Marcos

Luiz. (orgs.). História das Prisões no Brasil. Rio de Janeiro: Rocco, v. I e II, 2009.

MARIZ, Silviana Fernandes. Oficina de Satanás: a Cadeia Pública de Fortaleza (1850-1889). Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Ceará, 2004.

MONTEIRO, Francisco Gleison da Costa. Casa de Prisão com Trabalho em Teresina-Piauí (1850-1880). História Unisinos. vol. 25, n. 2, maio-agosto, 2021, p. 312-327.

MOREIRA, Paulo Roberto Staudt. Entre o deboche e a rapina. Os cenários sociais da criminalidade popular em Porto Alegre na segunda metade do século XIX. Porto Alegre: Armazém Digital, 2009.

OLIVEIRA, Daniel. Morte e vida feminina: mulheres pobres, condições de saúde e medicina da mulher na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (1880-1900). Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2012.

PIMENTA, João Paulo. A independência do Brasil e a experiência hispano-americana (1808-1822). São Paulo: Hucitec/Fapesp, 2015.

PIROLA, Ricardo Figueiredo. O castigo senhorial e a abolição da pena de açoites no Brasil: Justiça, imprensa e política no século XIX. Revista de História. São Paulo, n. 176, 2017, p. 1-34.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Visões do Cárcere. Porto Alegre: Zouk, 2009.

SALLA, Fernando. As prisões em São Paulo: 1822-1940. 2ª ed. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2006.

SANT’ANNA, Marilene Antunes. A imaginação do castigo: discursos e práticas sobre a Casa de Correção do Rio de Janeiro. Tese de doutorado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2010.

SCOTT, James C. Los dominados y el arte de la resistencia. Tafalla: Editorial Txalaparta/Ediciones Era, 2003.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Lendo e agenciando imagens: o rei, a natureza e seus belos naturais. Sociologia & Antropologia. Rio de Janeiro, vol. 4, n. 2, 2014, p. 391-431.

SILVA, Mozart Linhares da. Do império da lei às grades da cidade. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1997.

SZCZEPANIAK, Ivone. A busca pelo cárcere perfeito: Casa de Correção de Porto Alegre (1835-1913). Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Santa Maria, 2004.

TRINDADE, Cláudia Moraes. Ser preso na Bahia no século XIX. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2018.

VARGAS, Jonas Moreira. Entre a paróquia e a corte: os mediadores e as estratégias familiares da elite política do Rio Grande do Sul (1850-1889). Santa Maria: Editora da UFSM, 2010.

Downloads

Publicado

2023-12-01

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

CESAR, Tiago da Silva. A “questão penitenciária” no Rio Grande do Sul como arma política contra o Império (1884-1889). Revista de História, São Paulo, n. 182, p. 1–29, 2023. DOI: 10.11606/issn.2316-9141.rh.2023.195459. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/195459.. Acesso em: 21 jul. 2024.