Da neurastenia ao estresse: notas para uma história das doenças nervosas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2023.209292

Palavras-chave:

neurastenia, estresse, doença, saúde, medicina

Resumo

O texto trata de alguns aspectos da história da neurastenia e do advento do estresse, incluindo suas relações com o imaginário das doenças nervosas, entre o final do século XIX e as primeiras décadas do século XX. O objetivo principal é o de perceber as diferenças entre aquelas duas patologias, assim como as controvérsias por elas desencadeadas entre cientistas brasileiros e estrangeiros. A hipótese central é fruto de uma pesquisa mais ampla, na qual as doenças são consideradas não apenas como tendo uma história reveladora das maneiras de conceber as fragilidades e as potências do corpo, mas indicam, também, ambições ligadas à produtividade no trabalho e ao progresso social.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Denise Bernuzzi de Sant´Anna, Pontificia Universidade Católica de São Paulo

    Professora livre-docente de História da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP, pesquisadora 1C do CNPq, doutora em História das Civilizações Ocidentais pela Universidade de Paris VII, autora de diversos livros sobre história do corpo.

Referências

Fontes

Hermeroteca Digital/Biblioteca Nacional:

O Cruzeiro

Jornal do Brasil

Jornal dos Sports

Correio da Manhã

Outras:

Arquivos Brasileiros de Neuriatria e Psiquiatria

Boletim de Eugenia, 1929-1930.

Referências

ABBOTT, Andrew. Chaos of disciplines. Chicago: The University of Chicago Press, 2001.

BEARD, George Miller. American nervousness. Its causes and consequences. New York: G.P. Putnam’s Sons, 1881.

CARRARA, Sérgio Luís; RUSSO, Jane Araújo. A psicanálise e a sexologia no Rio de Janeiro de entreguerras: entre a ciência e a auto-ajuda. História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Rio de Janeiro: Fiocruz, maio-agosto 2002, p. 273-90.

CASTEL, Pierre-Henri. Le cas de la dépression. In: VIGARELLO, Georges; CORBIN, Alain; COURTINE, Jean Jacques (org.). Histoire des émotions. Paris: Seuil, 2017. t. 3.

COOPER, Cary; DEWE, Philip. Stress, a brief history. Hoboken: Wiley-Blackwell, 2004.

CORBIN, Alain. Histoire du repos. Paris: Plon, 2022.

DORSCH, Sebastian. Os paulistanos, ianques do sul, e a “doença moderna”, a neurasthenia nas primeiras décadas do século XX. História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Rio de Janeiro: Fiocruz, v. 21, jan.-mar. 2014.

DOUBLET, Serge. The stress myth. Chestefield: Science & Humanities Press, 2000.

DUARTE, Luiz Fernando Dias. Da vida nervosa nas classes trabalhadoras urbanas. Rio de Janeiro: Zahar, 1988.

EHRENBERG, Alain. La fatigue d’être soi, Dépression et société. Paris: Odile Jacob, 2000.

ENGEL, Magali. As fronteiras da “anormalidade”: psiquiatria e controle social. História, Ciências, Saúde-Manguinhos. Rio de Janeiro: Fiocruz, fev. 1999, p. 547-63.

FOUCAULT, Michel. Histoire de la folie à l’âge classique. Paris: Gallimard, 1961.

KEHL, Renato. A cura do espírito. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1947.

JANSSON, Asa. From melancholia to depression. Disordered mood in nineteenth – century psychiatry. London: Palgrave Macmillan, 2021.

GIJSWIJT-HOFSTRA, Marijke. Introduction: cultures of neurasthenia from Beard to the First World War. In: GIJSWIJT-HOFSTRA, Marijke; PORTER, Roy (org.). Neurasthenia, from beard to the first world war. Amsterdam, New York: Rodopi, 2001.

FLEURY, Maurice de. Les états dépressifs et la néurasthénie. Paris: Félix Alcan, 1924.

LEVILLAIN, Fernand. Essais de neurologie clinique, neurasthénie de Beard et états neurasthéniformes. Paris: A. Maloine, 1896.

MOULIN, Anne Marie. Le corps devant la médecine. In: VIGARELLO, Georges et al. (org.). Histoire du corps. Paris: Seuil, 2006. t. 3.

PENADA, João. O Manduca. Almanak da Platea. São Paulo: Typographia de José Soler, 1900.

PROUST, Adrien; BALLET, Gilbert. L´hygiène du neurasthénique. Paris: Masson, 1897.

RIO, João do. A correspondencia de uma estação de cura. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1912.

TALARICO, Juliana Nery de Souza. Estresse, concentrações de cortisol e estratégias de coping no desempenho da memória de idosos saudáveis, com comprometimento cognitivo leve e doença de Alzheimer. Tese de Doutorado, Escola de Enfermagem, S. Paulo, USP, 2009.

STEARNS, Peter. Fear. The causes and consequences of high anxiety. New York: Routledge, 2006.

TONE, Andrea. Anxiety. A History of America’s turbulent affair with tranquilizers. New York: Basic Books, 2009.

VIGARELLO, George. Histoire de la fatigue. Du Moyen Âge à nos jours. Paris: Seuil, 2020.

ZORZANELLI, Rafaela Teixeira. Neurasthenia. História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Rio de Janeiro: Fiocruz, v. 17, 2010, p. 431-446.

ZORZANELLI, Rafaela Teixeira. A fadiga e seus transtornos: condições de possibilidade, ascensão e queda da neurastenia novecentista. História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Rio de Janeiro: Fiocruz, v.16, jul.-set. 2009, p. 605-620.

WHITE, Frederick. Degeneration, decadence and disease in the Russiane fin de siècle. Neurasthenia in the life and work of Leonid Andreev. New York: Manchester University Press, 2014

Downloads

Publicado

2023-12-01

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

SANT´ANNA, Denise Bernuzzi de. Da neurastenia ao estresse: notas para uma história das doenças nervosas. Revista de História, São Paulo, n. 182, p. 1–15, 2023. DOI: 10.11606/issn.2316-9141.rh.2023.209292. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/209292.. Acesso em: 23 abr. 2024.