A “civilização dos índios” no século XVIII: da legislação pombalina ao “Plano” de Domingos Barreto

Autores

  • Fabricio Lyrio Santos Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i170p233-260

Palavras-chave:

Civilidade, civilização, povos indígenas.

Resumo

Este artigo analisa o surgimento da ideia de “civilização dos índios” no contexto da política colonial lusitana para os povos indígenas do Brasil, na segunda metade do século XVIII, com ênfase na legislação pombalina, e o “Plano sobre a civilização dos índios do Brasil”, de Domingos Barreto. A documentação analisada sugere que o ideal de “civilização dos índios” difundido a partir da década de 1750 contrapunha-se ao sistema de catequese seguido pelos jesuítas e outros religiosos desde o século XVI, visando diminuir o papel da Igreja e das ordens religiosas na sociedade colonial e promover a equiparação dos índios aos demais vassalos do reino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-06-30

Edição

Seção

Artigos