Casa/Cidade/Migrante

  • Paulo Eduardo Barbosa Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: Casa, Migrante, Cidade, Hibridismo, Patrimônio

Resumo

O artigo problematiza a representação da casa em duas pinturas de acervos públicos à luz do conceito de hibridismo cultural como meio para avaliar a contribuição criativa do trânsito de patrimônios simbólicos possibilitado por processos de deslocamento populacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Agambem G. A identidade sem pessoa. In: A Nudez. Belo Horizonte: Autêntica; 2015.

Canclini NG. A globalização imaginada. São Paulo: Iluminuras; 2007.

Handa T. O imigrante japonês: história de sua vida no Brasil. São Paulo: Centro de Estudos Nipo-Brasileiros; 1987.

Lourenço MCF. Almeida Júnior um criador de imaginários. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo; 2007 (catálogo).

Lourenço MCF. São Paulo: visão dos nipo-brasileiros. São Paulo: Museu Lasar Segal/IPHAN/MinC; 1998.

Santos M. A força do lugar. In: A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Edusp; 2017.Site consultado: www.nepo.unicamp.br [acesso em 14 ago. 2019].

Publicado
2019-11-21
Como Citar
Barbosa, P. (2019). Casa/Cidade/Migrante. Revista ARA, 7(7), 5-15. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8354.v7i7p5-15