Contrapposto: a antítese como construção de significado

  • Betty Mirocznik Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: Sociedade do hiperreal, Simulacro, Jean Baudrillard, Imagem-enigma, Bruce Nauman

Resumo

Problematiza-se aqui, a profusão das imagens que circulam pelas mídias na sociedade do hiperreal.  Essas imagens planas captadas nas telas de TV, computador e celulares, simulam a realidade, sendo denominadas por Baudrillard, como simulacro. Nesse contexto, é imperativo produzir-se uma imagem de resistência, que desperte o mistério e a experiência em cada um - imagem-enigma. Para essa discussão, elegeu-se a obra Contrapposto de Bruce Nauman.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAUDRILLARD, Jean. Simulacro e simulação. Lisboa: Relógio d´água, 1991.

BROWN, Julia. Occluded Front: James Turrell. Los Angeles: Lapis Press, 1985.

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. Lisboa: Mobilis in Mobile, 1997.

FABBRINI, Ricardo. A fruição dos novos museus. In: Especiarias, v.11 n. 19. São Paulo, 2008.

FABBRINI, Ricardo. Imagem e Enigma. In: Cadernos de Estética Aplicada, n. 19. São Paulo, 2016.

FABBRINI, Ricardo. Estética e Crítica da arte em Jean-François Lyotard. In: O que nos faz pensar, v.26 n. 40. São Paulo, 2017.

FRANKEL, David. Bruce Nauman, Disappearing Acts. Nova York: MOMA, 2018.

JAMESON, Fredric. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 1998.

LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A Estetização do mundo - viver na era do Capitalismo Artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

WISNIK, Guilherme. Dentro do Nevoeiro: arquitetura, arte e tecnologias contemporâneas. São Paulo: Ubu, 2018.

Publicado
2020-05-26
Como Citar
Mirocznik, B. (2020). Contrapposto: a antítese como construção de significado. Revista ARA, 9(9), 11 - 29. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8354.v9i9p11-29