(Re) discussão sobre as grandes áreas do conhecimento: crítica à epistemologia fundamental – ruminações

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-7117.rt.2021.185855

Palavras-chave:

epistemologia, humanidades, classificação do conhecimento, políticas científicas

Resumo

As áreas do conhecimento, tal como estão estruturadas nos sistemas de avaliação da ciência, no Brasil, são objeto de discussão de tempos em tempos, tanto pela comunidade científica, quanto pelas próprias agências de fomento – CNPq e CAPES. O artigo formula questões debatidas em seminário realizado no IEA/USP, em 2018, e tem por objetivo problematizar alguns aspectos pertinentes ao fazer científico, sobretudo no que se refere às Humanidades, foco de ameaças de grupos que negam ou desconhecem a importância histórica e social desses domínios do conhecimento que incluem, entre outros, os campos de estudos e pesquisas da literatura, da filosofia, da música, da história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Icleia Thiesen, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Professora Titular de Ciência da Informação da UNIRIO, Departamento de História e PPGH (Programa de Pós-Graduação em História). Coordenadora do LAHODOC – Laboratório de História oral, Informação e Documentação. Pesquisadora do CNPq. 

Referências

BERGSON, H. A intuição filosófica. Trad., introdução e notas de Maria do Céu Patrão Neves. Lisboa: Edições Colibri, 1994.

CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Avaliação trienal. 2014. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/avaliacaotrienal/Docs_de_area/Interdisciplinar_doc_area_e_comiss%C3%A3o_ATT27SET.pdf. Acesso em: 09 abril 2018.

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: NAU, 1996.

HICKS, Diana et al. Bibliometrics: The Leiden Manifesto for research metrics. Nature, v. 520, p. 429-431, 2015. Disponível em: https://www.nature.com/news/bibliometrics-the-leiden-manifesto-for-research-metrics-1.17351 e http://www.leidenmanifesto.org/. Acesso em: 09 abril 2018.

HICKS, Diana et al. Manifesto de Leiden. Disponível em: http://www.sibi.usp.br/iniciativas/bibliometria-e-indicadores-cientificos/manifesto-leiden/. Acesso em: 09 abril 2018.

MERTON, Robert K. Ensaios de sociologia da ciência. Organização e posfácio Anne Marcovich e Terry Shinn. São Paulo: Ed34, 2013.

SOUZA, Rosali Fernandez de. A representação da Ciência da Informação como área do conhecimento no âmbito das agências de fomento em ciência e tecnologia no Brasil. In: I Colóquio Mediações e Usos de Saberes e Informação: um diálogo França-Brasil. Anais... Rio de Janeiro: Rede MUSSI, 2008, p. 112-124.

STENGERS, Isabelle. A invenção das ciências modernas. Trad. Max Altman. São Paulo: Ed.34, 2002.

STENGERS, Isabelle ; BENSAUDE-VINCENT, Bernadette. 100 mots pour commencer à penser les sciences. Paris : Les empêcheurs de penser en rond/Le Seuil, 2003.

Downloads

Publicado

2021-11-11

Como Citar

Thiesen, I. (2021). (Re) discussão sobre as grandes áreas do conhecimento: crítica à epistemologia fundamental – ruminações. Revista Da Tulha, 7(1), 224-235. https://doi.org/10.11606/issn.2447-7117.rt.2021.185855

Edição

Seção

Comunicação