Revisão sistemática sobre alotransplantes de ilhotas de Langerhans em roedores: análise de sítio de transplante e tempo de sobrevida

Autores

  • Leandro Ryuchi Iuamoto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina.
  • Alberto Meyer Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas.
  • Eleazar Chaib Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Gastroenterologia.
  • Luiz Augusto Carneiro D’Albuquerque Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Gastroenterologia.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v93i4p151-158

Palavras-chave:

Transplante de ilhotas pancreáticas, Hiperglicemia, Modelo animal, Aloenxertos, Imunossupressão, Literatura de revisão como assunto.

Resumo

Introdução. A escassez de ilhotas é uma restrição importante ao uso de ilhotas pancreáticas para o desenvolvimento do alotransplante para o tratamento do diabetes tipo I. É necessário, portanto, desenvolver fonte ilimitada de células produtoras de insulina. Objetivos. Organizar e analisar dados sobre o sítio de transplante e o tempo de sobrevida relacionados a tentativas experimentais de alotransplante em roedores, a fim de permitir elaborar um modelo mais adequado para suprir a escassez de doadores de ilhotas. Metodologia. Realizamos uma revisão sistemática usando o banco de dados Pubmed para pesquisar artigos publicados que contenham as palavras-chaves “rodent islet transplantation”. Foram incluídos estudos envolvendo experimentos alotransplante de ilhotas de roedores e analisadas as listas de referências das publicações recuperadas. Artigos relacionados a isotransplantes, autotransplantes e xenotransplantes foram excluídos do estudo. Resultados. Um total de 30 estudos relacionados a alotransplantes em diferentes sítios de enxerto foram selecionados para a revisão sistemática baseados na relevância de seus dados e em sua atualização. O fígado e a cápsula renal são sítios que possibilitaram uma maior sobrevida das ilhotas transplantadas. Conclusão. O alotransplante em roedores é promissor e continua a se desenvolver em diversos centros. As taxas de sobrevivência de aloenxertos aumentaram com a utilização de diferentes medicamentos e locais de enxerto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Ryuchi Iuamoto, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina.

Unidade de Transplante e Cirurgia do Fígado e Pâncreas, Departamento de Gastroenterologia Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Alberto Meyer, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas.

Unidade de Transplante e Cirurgia do Fígado e Pâncreas, Departamento de Gastroenterologia Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Eleazar Chaib, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Gastroenterologia.

Unidade de Transplante e Cirurgia do Fígado e Pâncreas, Departamento de Gastroenterologia Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Luiz Augusto Carneiro D’Albuquerque, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Gastroenterologia.

Unidade de Transplante e Cirurgia do Fígado e Pâncreas, Departamento de Gastroenterologia Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Downloads

Publicado

2014-12-08

Como Citar

Iuamoto, L. R., Meyer, A., Chaib, E., & D’Albuquerque, L. A. C. (2014). Revisão sistemática sobre alotransplantes de ilhotas de Langerhans em roedores: análise de sítio de transplante e tempo de sobrevida. Revista De Medicina, 93(4), 151-158. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v93i4p151-158

Edição

Seção

Artigos