Corpo e medicina: um encontro de (im)possíveis?

Relato de um curso de extensão

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v97i4p415-421

Palavras-chave:

corpo, corporeidade, medicina, documentários, extensão, Corpo humano, Cursos de capacitação, Documentários cinematográficos, Filmes cinematográficos, Medicina nas artes/história, Relações comunidade-instituição

Resumo

O presente artigo aborda um curso de extensão ministrado na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que procurou articular a temática do corpo e da biomedicina por meio do suporte cinematográfico documentário. Propõe-se uma reflexão sobre a temática do corpo no campo da biomedicina a partir de cinemas documentários selecionados, que tiveram por foco temáticas consideradas centrais nesse contexto como ensino de anatomia, eugenia, ética e a história das células HeLa, ação do Estado em face da hanseníase, viagens científicas do Instituto Oswaldo Cruz (ou o homem do sertão e a doença de Chagas) e tecnologia reprodutiva, mercado e comercialização de células e partes do corpo. A atividade de extensão é compreendida como uma prática crucial na universidade e a indissociabilidade entre pesquisa, ensino e extensão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Mota, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Preventiva

Graduou-se em História pelo Depto. de História, FFLCH-USP em 1994, e desenvolveu seu projeto de doutorado entre 1995-2001 defendendo a tese: "Tropeços da medicina bandeirante, São Paulo, 1892-1920". Entre 2006-2008 recebeu uma bolsa de pós-doutoramento Fapesp, desenvolvendo seu projeto de pesquisa, "Mudanças corporativas e tecnológicas da medicina no Brasil: o caso paulista entre 1930-1950", junto ao Departamento de Medicina Preventiva, FMUSP. Atualmente se dedica ao estudo e pesquisa da história da Saúde Coletiva brasileira e sua particularidade no Estado de São Paulo. É Professor Livre-docente do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e Coordenador do Museu Histórico da Faculdade de Medicina (USP).

Rosana Machin, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Preventiva

Possui graduação em Ciências Sociais (1985), mestrado (1992) e doutorado em Sociologia (1999), todos pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo/USP. Realizou Pós-doutorado na University of London - The London School of Economics and Political Science/LSE no BIOS - Centre for The Study of Bioscience, Biomedicine, Biotechnology and Society e na University of Cambridge, Faculty of Politics, Psychology, Sociology and International Studies no Centre for Family Research como bolsista do CNPq (2011/12). É professora no Departamento de Medicina Preventiva, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo. Integra o grupo de pesquisa "Saúde e Sociedade" na Universidade de São Paulo/USP. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: concepções e práticas em saúde e adoecimento, tecnologias reprodutivas, gênero, saúde e trabalho.

Downloads

Publicado

2018-12-18

Como Citar

Mota, A., & Machin, R. (2018). Corpo e medicina: um encontro de (im)possíveis? Relato de um curso de extensão. Revista De Medicina, 97(4), 415-421. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v97i4p415-421

Edição

Seção

Relato de Experiência/Experience Report