Qualidade das prescrições de profilaxia para lesão aguda de mucosa gástrica em um hospital universitário no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v99i2p122-127

Palavras-chave:

Prevenção de doenças, Úlcera gástrica/prevenção & controle, Hospitalização, Prescrições, Inibidores da bomba de prótons, Antagonistas dos receptores histamínicos H2, Profilaxia, Úlcera gástrica

Resumo

Objetivos: Ainda que preconizada para pacientes de alto risco de sangramento gastrointestinal alto, a profilaxia para lesão aguda de mucosa gástrica (úlcera de estresse) nem sempre é prescrita corretamente na maioria nos serviços hospitalares. O objetivo deste estudo é avaliar a adequação das prescrições dessa profilaxia em um hospital universitário brasileiro. Métodos: Realizada uma análise transversal de prescrições para pacientes internados em unidades clínicas, cirúrgicas e críticas de um hospital universitário durante 30 dias. Foram excluídas as prescrições de pacientes em uso de protetores gástricos com finalidade diferente da profilática. Os critérios de avaliação da profilaxia para úlcera de estresse foram baseados nas recomendações da base online de dados UpToDate®. Resultados: 358 prescrições foram analisadas e, dessas, 17 foram excluídas. Das 341 prescrições incluídas, 205 (60,1%) estavam inadequadas. A principal razão de inadequação foi a sobreprescrição, encontrada em 175 casos (85,4%). As inadequações foram maiores em unidades cirúrgicas (80%) quando comparadas às unidades clínicas (54,1%) e críticas (52,5%) (p < 0,001). Conclusões: Foram registradas expressivas taxas de inadequação para a profilaxia de lesão aguda de mucosa gástrica, principalmente devido ao excesso de prescrições. As unidades cirúrgicas foram responsáveis pelas maiores taxas de inadequação. Esse cenário evidencia a escassez de diretrizes científicas, protocolos locais eficientes e conhecimento ou aceitação dos profissionais acerca da profilaxia para leão aguda de mucosa gástrica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme da Silva Fioramonte, Universidade Federal do Paraná

Acadêmico de Medicina da Universidade Federal do Paraná.

Giovanna Daneluz de Brito, Universidade Federal do Paraná

Acadêmica de Medicina da Universidade Federal do Paraná.

Gustavo Lenci Marques, Universidade Federal do Paraná, Departamento de Clínica Médica

Professor adjunto do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal do Paraná e médico cardiologista do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Coordenador Adjunto do Curso de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil.

Referências

World Health Organization. 10 Facts on patient safety [cited 2018 Apr 30]. Available from: http://www.who.int/features/factfiles/patient_safety/en.

Cook DJ. Stress ulcer prophylaxis: gastrointestinal bleeding and nosocomial pneumonia. Best evidence synthesis. Scand J Gastroenterol Suppl. 1995;210:48-52. doi: 10.3109/00365529509090271.

Plummer MP, Blaser A, Deane AM. Stress ulceration: prevalence, pathology and association with adverse outcomes. Crit Care. 2014;18(2):213. doi: 10.1186/cc13780.

Madsen KR, Lorentzen K, Clausen N, Oberg E, Kirkegaard PRC, Maymann-Holler N, et al. Guideline for stress ulcer prophylaxis in the intensive care unit. Dan Med J. 2014;61(3):C4811.

Cook DJ, Griffith LE, Walter SD, Guyatt GH, Meade MO, Heyland DK, et al. The attributable mortality and length of intensive care unit stay of clinically important gastrointestinal bleeding in critically ill patients. Crit Care. 2001;5(6):368. doi: 10.1186/cc1071.

Cook DJ, Reeve BK, Guyatt GH, Heyland DK, Griffith LE, Buckingham L, et al. Stress ulcer prophylaxis in critically ill patients. Resolving discordant meta-analyses. JAMA. 1996;275(4):308-14. doi: 10.1001/jama.1996.03530280060038.

Parente F, Cucino C, Gallus S, Bargiggia S, Greco S, Pastore L, et al. Hospital use of acid-suppressive medications and its fall-out on prescribing in general practice: a 1-month survey. Aliment Pharmacol Ther. 2003;17(12):1503-6. doi: 10.1046/j.0269-2813.2003.01600.x.

Pham CQD, Regal RE, Bostwick TR, Knauf KS. Acid suppressive therapy use on an inpatient internal medicine service. Ann Pharmacother. 2006;40(7-8):1261-6. doi: 10.1345/aph.1G703.

Machado AS, Teixeira C, Furlanetto L, Tonietto T, Balzano P de C, Vieira SRR, et al. Profilaxia para úlcera de estresse nas unidades de terapia intensiva: estudo observacional multicêntrico. Rev Bras Ter Intensiva. 2006;18(3):229-33. doi: 10.1590/S0103-507X2006000300003.

Weinhouse GL. Stress ulcer prophylaxis in the intensive care unit. Indications, choosing an agent, efficacy, potential harms, summary and recommendations. UpToDate, 2015 [cited 2016 Nov 07]. Avaliable from: https://www.uptodate.com/contents/stress-ulcer-prophylaxis-inthe-intensive-care-unit.

R Core Team. R: a language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing. Vienna, Austria; 2017. Available from: http://www.r-project.org/.

Lindsley CW. The top prescription drugs of 2011 in the United States: antipsychotics and antidepressants once again lead CNS therapeutics. ACS Chem Neurosci. 2012;3(8):630-1. doi: 10.1021/cn3000923.

Heidelbaugh JJ, Inadomi JM. Magnitude and economic impact of inappropriate use of stress ulcer prophylaxis in non-ICU hospitalized patients. Am J Gastroenterol. 2006;101(10):2200-5. doi: 10.1111/j.1572-0241.2006.00839.x.

Krag M, Perner A, Wetterslev J, Wise MP, Hylander Møller M. Stress ulcer prophylaxis versus placebo or no prophylaxis in critically ill patients. Intensive Care Med. 2014;40(1):11-22. doi: 10.1007/s00134-013-3125-3.

Barkun AN, Bardou M, Pham CQD, Martel M. Proton pump inhibitors vs. histamine 2 receptor antagonists for stress-related mucosal bleeding prophylaxis in critically Ill patients: a meta-analysis. Am J Gastroenterol. 2012;107(4):507-20. doi: 10.1038/ajg.2011.474.

Alhazzani W, Guyatt G, Alshahrani M, Deane AM, Marshall JC, Hall R, et al. Withholding pantoprazole for stress ulcer prophylaxis in critically Ill patients. Crit Care Med. 2017;45(7):1121-9. doi: 10.1097/CCM.0000000000002461.

Geevasinga N, Coleman PL, Webster AC, Roger SD. Proton pump inhibitors and acute interstitial nephritis. Clin Gastroenterol Hepatol. 2006;4(5):597-604. doi: 10.1016/j.cgh.2005.11.004.

ASHP Therapeutic Guidelines on Stress Ulcer Prophylaxis. ASHP Commission on Therapeutics and approved by the ASHP board of directors on November 14, 1998. Am J Health Syst Pharm. 1999;56(4):347-79. doi: 10.1093/ajhp/56.4.347.

Publicado

2020-04-23

Como Citar

Fioramonte, G. da S., Brito, G. D. de, & Marques, G. L. (2020). Qualidade das prescrições de profilaxia para lesão aguda de mucosa gástrica em um hospital universitário no Brasil. Revista De Medicina, 99(2), 122-127. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v99i2p122-127

Edição

Seção

Artigos/Articles