Como a qualidade do sono e a ansiedade podem afetar estudantes que desejam cursar medicina - uma avaliação objetiva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v100i2p96-101

Palavras-chave:

Privação do sono, Ritmo circadiano, Estudantes, Vigília, Transtornos do sono

Resumo

Introdução: O vestibular para ingresso em uma faculdade de medicina exige grande desempenho e dedicação do aluno. Além de competitividade, esse período gera muito estresse e privação de autocuidado. Os distúrbios do sono e níveis elevados de ansiedade podem impactar no desempenho físico, emocional e mental, reduzindo a qualidade de vida e influenciando fortemente na tomada de decisões. Objetivo: Analisar qualidade de sono e nível de ansiedade de jovens durante fase preparatória para ingresso no curso de medicina. Métodos: Pesquisa descritiva transversal com candidatos à vaga para graduação em medicina, em Curitiba-PR. Foram utilizados questionário sócio-demográfico, Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (IQSP) e Inventário de Ansiedade Beck (BAI). Aplicada estatística descritiva, teste t de Student, teste qui-quadrado, teste de Mann-Whitney, Kruskal-Wallis e análise de variância. Resultados: Amostra com 470 pré-universitários, mulheres (81,9%), entre 18 a 20 anos (82,2%). Distúrbios de sono (IQSP>10) foram detectados em 48,1% dos estudantes e indícios de ansiedade grave em 49,1% (BAI). Não houve diferença significativa dos níveis de ansiedade entre os turnos manhã, tarde e noite (p>5%), porém 60,8% dos estudantes que apresentaram distúrbio do sono estudavam no turno vespertino. O sexo masculino apresentou significativamente mais distúrbio do sono (64,7%) quando comparado ao sexo feminino (44,4%). Contudo, as mulheres mostraram os maiores níveis de ansiedade, com ansiedade grave presente em 55% delas. Cerca de 19,4% desses jovens usavam medicamentos para dormir 3 ou mais vezes na semana; 22,2% apresentavam histórico de uso de drogas ilícitas e 7,4% faziam uso. Apenas 5,3% da amostra não apresentaram nenhuma dificuldade ao se manter entusiasmado nas últimas semanas. Conclusão: Indicadores de distúrbio do sono tiveram predomínio nos turnos da tarde e nos homens, enquanto indícios de ansiedade grave foi mais evidente em mulheres, sem interferência do turno de estudo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Carolina Schuta Bodanese, Universidade Positivo

Apresentação em eventos: IX Encontro de Pesquisa e Iniciação Científica - EPIC 2018, Curitiba, 16-18 out. 2018. XXXII Congresso Científico dos Acadêmicos de Medicina, Curitiba, 25 out. 2018. 15º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 5º Congresso Internacional de Medicina de Urgência e Emergência, Florianópolis, 5 out. 2019.
Universidade Positivo, acadêmica do curso de medicina. 

Amanda Kuster Roderjan, Universidade Positivo

Apresentação em eventos: IX Encontro de Pesquisa e Iniciação Científica - EPIC 2018, Curitiba, 16-18 out. 2018. XXXII Congresso Científico dos Acadêmicos de Medicina, Curitiba, 25 out. 2018. 15º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 5º Congresso Internacional de Medicina de Urgência e Emergência, Florianópolis, 5 out. 2019.
Universidade Positivo, acadêmica do curso de medicina. 

Isabella Gil, Hospital Angelina Caron

Apresentação em eventos: IX Encontro de Pesquisa e Iniciação Científica - EPIC 2018, Curitiba, 16-18 out. 2018. XXXII Congresso Científico dos Acadêmicos de Medicina, Curitiba, 25 out. 2018. 15º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 5º Congresso Internacional de Medicina de Urgência e Emergência, Florianópolis, 5 out. 2019.
Hospital Angelina Caron, médica residente de otorrinolaringologia. 

Katia Sheylla Malta Purin, Universidade Positivo

Apresentação em eventos: IX Encontro de Pesquisa e Iniciação Científica - EPIC 2018, Curitiba, 16-18 out. 2018. XXXII Congresso Científico dos Acadêmicos de Medicina, Curitiba, 25 out. 2018. 15º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 5º Congresso Internacional de Medicina de Urgência e Emergência, Florianópolis, 5 out. 2019.
Universidade Positivo, docente do curso de medicina. 

Referências

Anacleto TS, Louzada FM, Pereira EF. Ciclo vigília/sono e o transtorno de déficit de atenção/hiperatividade. Rev Paul Pediatr. 2011;29(3):437-42. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rpp/v29n3/a20v29n3.pdf.

Whiteford HA, Degenhardt L, Rehm J, Baxter AJ, Ferrari AJ, Erskine HE, et al. Global burden of disease attributable to mental and substance use disorders: findings from the Global 3. Burden of Disease Study 2010. Lancet. 2013;6736(13):1-12. doi: http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(13)61611-6.

Pereira-lima K, Loureiro SR, Crippa JA. Mental health in medical residents: relationship with personal, work-related, and sociodemographic variables. Rev Bras Psiquiatr. 2016;38:318-24. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1516-4446-2015-1882.

Almondes KM, Araújo JF. Padrão do ciclo sono-vigília e sua relação com a ansiedade em estudantes universitários. Estud Psicol. 2003;8(1):37-43. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2003000100005.

Silva M, Loureiro A, Cardoso G. Social determinants of mental health: a review of the evidence. Eur J Psychiatry. 2016;30(Sept):259-92. Disponível em: http://scielo.isciii.es/pdf/ejpen/v30n4/original03.pdf.

Santos FS, Maia CRC, Faedo FC, Gomes GPC, Nunes ME, Oliveira MVM. Stress among Pre-University and Undergraduate Medical Students. Rev Bras Educ Med. 2017;41(2):194-200. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v41n2RB20150047.

Baptista MN, Carneiro AM. Validade da escala de depressão: relação com ansiedade e stress laboral. Estud Psicol. 2011;28(3):345-52. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2011000300006.

Depieri NB, Cícero LR, Guizellini VS, Bianchi LRO. Qualidade do sono e sonolência entre universitários formandos. Arq MUDI. 2016;20(2):33-42. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ArqMudi/article/view/32961/pdf.

Rocha CRS, Rossini S, Reimão R. Sleep disorders in high school and pre-university students. Arq Neuropsiquiatr. 2010;68(6):903-7. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2010000600014.

Peruzzo AS, Cattani BC, Guimarães ER, Boechat LC, Argimon IIL, Scarparo HBK. Estresse e vestibular como desencadeadores de somatizações em adolescentes e adultos jovens. Psicol Argumento. 2008;26(55):319-27. doi: http://dx.doi.org/10.7213/rpa.v26i55.20003.

Moraes CAT, Edelmuth DGL, Novo NF, Hübner CVK. Qualidade de sono em estudantes de medicina do método de aprendizado baseado em problemas. Medicina (Ribeirão Preto). 2013;46(4):389-97. doi: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v36i4p389-397.

Rocha CRS. Depressão, compulsão alimentar e distúrbios do sono em estudantes do terceiro ano do ensino médio e de cursos pré-vestibulares [doutorado]. Campinas: Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas; 2010. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/REPOSIP/311893/1/Rocha_CeliaReginadaSilva_D.pdf.

Marques CP. Estresse, comportamento de risco e atividade física de estudantes pré-vestibulandos [dissertação]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná - UFPR; 2014. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/35733/R%20-%20T%20-%20CLAUDIO%20PORTILHO%20MARQUES.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

Purim KSM, Guimarães ATB, Titski ACK, Leite N. Privação do sono e sonolência excessiva em médicos residentes e estudantes de medicina. Rev Col Bras Cir. 2016;43(6):438-44. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0100-69912016006005.

Gobbi JIF, Beteto IS, Martins AP, Meirelles HAA, Weber SAT. Concepções e qualidade do sono entre pré-universitários. Arch Heal Invest. 2019;8(8):434-9. doi: http://dx.doi.org/10.21270/archi.v8i8.4650.

Araújo DF, Almondes KM. Avaliação da sonolência em estudantes universitários de turnos distintos. Psico-USF (Bragança Paulista). 2012;17(2):295-302. doi: http://dx.doi.org/10-1590/S1413-82712012000200013.

Paro HBMS, Perotta B, Enns SC, Gannam S, Giaxa RRB, Arantes-Costa FM, Mayer FB, Martins MA, Tempski PZ. Qualidade de vida do estudante de medicina: o ambiente educacional importa? Rev Med (São Paulo). 2019;98(2):140-7. doi: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v98i2p140-147.

Mayer FB, Santos IS, Silveira PSP, Lopes MHI, Souza ARND, Campos EP, et al. Factors associated to depression and anxiety in medical students: a multicenter study. BMC Med Educ. 2016;16(282):1-9. doi: http://dx.doi.org/10.1186/s12909-016-0791-1.

Amorim BB, Moraes L, Sá ICG, Silva BBG, Camara-Filho JWS. Saúde mental do estudante de medicina: psicopatologia, estresse, sono e qualidade de vida. Rev Psicol Divers Saúde. 2018;7(2):245-54. doi: http://dx.doi.org/10.17267/2317-3394rpds.v7i2.1911.

Brenneisen MF, Souza Santos I, Silveira PS, Itaqui Lopes MH, de Souza AR, Campos EP, de Abreu BA, Hoffman III, Magalhães CR, Lima MC, Almeida R, Spinardi M, Tempski P. Factors associated to depression and anxiety in medical students: a multicenter study. BMC Med Educ. 2016;16(1):282. doi: http://dx.doi.org/10.1186/s12909-016-0791-1.

Kloster MC, Perotta B, Hauer Junior A, Paro HBMS, Tempski P. Sonolência diurna e habilidades sociais em estudantes de medicina. Rev Bras Educ Méd. 2013;37(1):103-9. doi: https://doi.org/10.1590/S0100-55022013000100015.

Pascotto AC, Santos BRM. Avaliação da qualidade do sono em estudantes de ciências da saúde. J Health Sci Inst. 2013;31(3):306-10. Disponível em: https://www.unip.br/presencial/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2013/03_jul-set/V31_n3_2013_p306a310.pdf.

Paruk S, Karim E. Update on adolescent mental health. South Am Med J. 2016;106(6):548-50. doi: http://dx.doi.org/10-7196/SAMJ.2016.v10616.10943.

Publicado

2021-05-20

Como Citar

Bodanese, B. C. S., Roderjan, A. K., Gil, I., & Purin, K. S. M. (2021). Como a qualidade do sono e a ansiedade podem afetar estudantes que desejam cursar medicina - uma avaliação objetiva. Revista De Medicina, 100(2), 96-101. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v100i2p96-101

Edição

Seção

Artigos/Articles