A dosagem de biomarcadores no diagnóstico e prognóstico de sepse neonatal: uma revisão de literatura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v100i5p494-502

Palavras-chave:

Sepse neonatal, Biomardacores, Recém-nascido

Resumo

Introdução: A sepse neonatal (SN) é importante causa de morbimortalidade em recém-nascidos apesar dos avanços. Possuindo uma fisiopatologia complexa, a SN apresenta diferentes formas clínicas e, eventualmente, sintomas ou sinais norteadores escassos; o que dificulta o diagnóstico, a análise da gravidade e a terapêutica oportuna. Objetivo: Analisar o uso de biomarcadores para o diagnóstico precoce e avaliação prognóstica da SN. Método: Revisão bibliográfica com busca nas bases de dados PubMed/MEDLINE, Scielo e BVS, realizada entre fevereiro e março de 2021, com análise de 21 artigos publicados de janeiro de 2010 a dezembro de 2020. Resultados e Discussão: Os biomarcadores usados na análise da SN, como a proteína C reativa (PCR), procalcitonina (PCT), interleucinas (IL-6, IL-8), fator de necrose tumoral alfa (TNF-α) e marcadores de superfície celular, são importantes no diagnóstico e assistência mais céleres, viabilizando um melhor prognóstico para os casos neonatais. Conclusão: O estudo dos biomarcadores com o conhecimento acerca da modificação de seus níveis séricos durante a progressão da doença pode facilitar a análise e predizer a gravidade da SN, além de orientar a instauração de um protocolo precoce, aumentando a proporção de pacientes que recebem um tratamento eficaz e obtêm melhores prognósticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yngrid Carneiro de Aguiar, Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB, Faculdade de Ciências e Educação em Saúde

Faculdade de Ciências e Educação em Saúde do Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB. Brasília, DF.

Pedro Henrique Bersan Menezes, Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB, Faculdade de Ciências e Educação em Saúde

Faculdade de Ciências e Educação em Saúde do Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB. Brasília, DF.

Sarah Godoi de Carvalho, Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB, Faculdade de Ciências e Educação em Saúde

Faculdade de Ciências e Educação em Saúde do Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB. Brasília, DF.

Danielle Braz Amarílio da Cunha, Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB, Faculdade de Ciências e Educação em Saúde

Faculdade de Ciências e Educação em Saúde do Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB. Brasília, DF.

Beatriz Moraes Gonçalves, Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB, Faculdade de Ciências e Educação em Saúde

Faculdade de Ciências e Educação em Saúde do Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB. Brasília, DF.

Juliana Barrozo Fernandes Borges , Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB, Faculdade de Ciências e Educação em Saúde

Faculdade de Ciências e Educação em Saúde do Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB. Brasília, DF.

Camila Nakamura Perissê Pereira , Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB, Faculdade de Ciências e Educação em Saúde

Faculdade de Ciências e Educação em Saúde do Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB. Brasília, DF.

Júlia Pinheiro São Pedro, Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB, Faculdade de Ciências e Educação em Saúde

Faculdade de Ciências e Educação em Saúde do Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB. Brasília, DF.

Flávia Alves Neves Mascarenhas, Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB, Faculdade de Ciências e Educação em Saúde

Docente, Faculdade de Ciências e Educação em Saúde do Centro Universitário de Brasília – FACES-UniCEUB. Brasília, DF.

Referências

Cortés JS, Cruz LXF, Zúñiga EB, Narváez CF, Fonseca-Becerra CE. Sepsis neonatal: aspectos fisiopatológicos y biomarcadores. Médicas UIS. 2019;32(3):35-47. doi: https://doi.org/10.18273/revmed.v32n3-2019005

Seymour CW, Liu VX, Iwashyna TJ, Brunkhorst FM, Rea TD, Scherag A, et al. Assessment of clinical criteria for sepsis: for the Third International Consensus Definitions for Sepsis and Septic Shock (Sepsis-3). JAMA. 2016;315(8):762–74. doi: 10.1001/jama.2016.0288

Kissoon N, Carcillo JA, Espinosa V, Argent A, Devictor D, Madden M, et al. World Federation of Pediatric Intensive Care and Critical Care Societies: Global Sepsis Initiative. Pediatr Crit Care Med. 2011;12(5):494–503. doi: 10.1097/PCC.0b013e318207096c

Andrés Ledesma C, Calvo Nieves MD, Andaluz-Ojeda D. El paradigma de la sepsis: en busca del biomarcador perfecto. Rev Electrónica Dr. Zoilo E. Marinello Vidaurreta. 2018;11(2):61-3. Disponível em: http://revzoilomarinello.sld.cu/index.php/zmv/article/view/1930

Wright JK, Hayford K, Tran V, Al Kibria GM, Baqui A, Manajjir A, Et Al. Biomarkers of endothelial dysfunction predict sepsis mortality in young infants: a Matched Case-Control Study. BMC Pediatr. 2018;18(1):118. doi https://doi.org/10.1186/s12887-018-1087-x

Pierrakos C, Vincent J-L. Sepsis biomarkers: a review. Crit Care. 2010;14(1):R15. doi: https://doi.org/10.1186/cc8872

Bustos B R, Padilla P O. Valor predictivo de la procalcitonina en niños con sospecha de sepsis. Rev Chil Pediatría. 2015;86(5):331–6. doi: https://doi.org/10.1016/j.rchipe.2015.07.006

Siahanidou T, Margeli A, Tsirogianni C, Charoni S, Giannaki M, Vavourakis E, et al. Clinical value of plasma soluble urokinase-type plasminogen activator receptor levels in term neonates with infection or sepsis: a prospective study. Mediators Inflamm. 2014;2014:375702. doi: 10.1155/2014/375702.

González-Rangel D, Camacho-Moreno G, Quintero-Guevara O. Procalcitonin as a biomarker for sepsis in children. Rev Fac Med. 2016;64(2):215-21. doi: https://doi.org/10.15446/revfacmed.v64n2.50585

Karsas M, Becker PJ, Green RJ. Serious bacterial infections in febrile young children: lack of value of biomarkers. South Afr J Child Health. 2016;10(1):33–6. doi: 10.7196/SAJCH.2016.v10i1.980

Bustos B R, Araneda C H. Procalcitonina para el diagnóstico de la sepsis tardía en recién nacidos de muy bajo peso de nacimiento. Rev Chil Infectol. 2012;29(5):511–6. doi: http://dx.doi.org/10.4067/S0716-10182012000600005

Mickiewicz B, Thompson GC, Blackwood J, Jenne CN, Winston BW, Vogel HJ, et al. Biomarker phenotype for early diagnosis and triage of sepsis to the Pediatric Intensive Care Unit. Sci Rep. 2018;8(1):16606. doi: 10.1038/s41598-018-35000-7.

Reis Machado J, Soave DF, Silva MV, Menezes LB, Etchebehere RM, Monteiro MLGR, et al. Neonatal sepsis and inflammatory mediators. Mediators Inflamm. 2014;2014:269681. doi: 10.1155/2014/269681.

Lanziotti VS, Póvoa P, Soares M, Silva JRL, Barbosa AP, Salluh JIF. Use of biomarkers in pediatric sepsis: literature review. Rev Bras Ter Intens. 2016;28(4):472–82. doi: https://doi.org/10.5935/0103-507X.20160080

Carcillo JA, Sward K, Halstead ES, Telford R, Jimenez-Bacardi A, Shakoory B, et al. A systemic inflammation mortality risk assessment contingency table for severe sepsis. Pediatr Crit Care Med. 2017;18(2):143–50. doi: 10.1097 / PCC.0000000000001029

Yoon SH, Kim EH, Kim HY, Ahn JG. Presepsin as a diagnostic marker of sepsis in children and adolescents: a systemic review and meta-analysis. BMC Infect Dis. 2019;19(1):760. doi: https://doi.org/10.1186/s12879-019-4397-1

Prashant A, Vishwanath P, Kulkarni P, Sathya Narayana P, Gowdara V, Nataraj SM, et al. Comparative assessment of cytokines and other inflammatory markers for the early diagnosis of neonatal sepsis–a case control study. PLoS ONE. 2013;8(7).e68426. doi: 10.1371/journal.pone.0068426.

Cisneros BG, Benítez PJC. Identificación de los factores de bajo riesgo en el lactante pequeño con fiebre sin foco evidente. Acta Méd Grupo Ángeles. 2018;16(3):219–25. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-72032018000300219&lng=es.

Decembrino L, De Amici M, Pozzi M, De Silvestri A, Stronati M. Serum calprotectin: a potential biomarker for neonatal sepsis. J Immunol Res. 2015;2015:147973. doi: https://doi.org/10.1155/2015/147973

Alqahtani MF, Smith CM, Weiss SL, Dawson S, Ranaivo HR, Wainwright MS. Evaluation of new diagnostic biomarkers in pediatric sepsis: matrix metalloproteinase-9, tissue inhibitor of metalloproteinase-1, mid-regional pro-atrial natriuretic peptide, and adipocyte fatty-acid binding protein. PLOS ONE. 2016;11(4):e0153645. doi: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0153645

Wang J, Wang Z, Zhang M, Lou Z, Deng J, Li Q. Diagnostic value of mean platelet volume for neonatal sepsis: A systematic review and meta-analysis. Medicine (Baltimore). 2020;99(32):e21649. doi: 10.1097 / MD.0000000000021649

Publicado

2021-12-10

Como Citar

Aguiar, Y. C. de, Menezes, P. H. B. ., Carvalho, S. G. de, Cunha, D. B. A. da ., Gonçalves, B. M. ., Borges , J. B. F. ., Pereira , C. N. P. ., São Pedro, J. P. ., & Mascarenhas, F. A. N. . (2021). A dosagem de biomarcadores no diagnóstico e prognóstico de sepse neonatal: uma revisão de literatura. Revista De Medicina, 100(5), 494-502. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v100i5p494-502

Edição

Seção

Artigos de Revisão/Review Articles