Interminados, criadores e sonhadores: o problema da estética em Paulo Freire

Autores

  • Aristóteles Berino Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2446-7693i5p24-38

Palavras-chave:

Paulo Freire, Criação, Sonhos

Resumo

Apesar de não ter despertado a devida atenção entre os principais intérpretes da sua obra, o problema da estética em Paulo Freire constitui um núcleo importante do seu pensamento. Entre os seus escritos, nas suas conversações e práticas pedagógicas, o tema da estética sempre esteve presente, desde o início da sua trajetória intelectual e de educador até seus últimos trabalhos publicados. Neste artigo, procuro mostrar algumas dessas referências e proponho um caminho analítico que passa pelo conceito de criação para entendermos como especialmente o tema da estética está relacionado a sua concepção de educação. Diante do avanço do neoliberalismo, o conceito de sonho encontra na sua obra uma articulação política que também associo ao significado que atribuía à criação como possibilidade emancipatória e promotora de outros sentidos à existência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aristóteles Berino, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) Curso de Pedagogia do campus Nova Iguaçu da UFRRJ e Programa de Pós-Graduação em Educação Contextos Contemporâneos e Demandas populares (PPGEduc/UFRRJ)

Downloads

Publicado

2020-06-02

Como Citar

Berino, A. (2020). Interminados, criadores e sonhadores: o problema da estética em Paulo Freire. Revista Estudos Culturais, 1(5), 24-38. https://doi.org/10.11606/issn.2446-7693i5p24-38

Edição

Seção

ARTIGOS