Ricardo Piglia, autor de relatos policiais. Uma leitura comparada de Plata Quemada (1997) e Blanco Nocturno (2010)

Autores

  • Michelly Cristina da Silva Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2017.117101

Resumo

O presente artigo visa comparar dois romances de Ricardo Piglia, a saber, Plata Quemada (1997) e Blanco Nocturno (2010). As duas histórias representam as incursões novelescas do autor pelo mundo dos romances policiais. Em outra ocasião, em um ensaio crítico intitulado “Sobre el género policial”, Piglia apresentou duas divisões dentro do gênero, situando-as cronologicamente e destacando suas diferenças: o romance de “enigma” ou analítico, por um lado, e o hard-boiled ou policial duro, de outro. Interessa-nos aqui indicar nos dois livros do autor elementos do relato policial citados pelo mesmo, observando como os dois romances, no tocante à narrativa, se assemelham e se  distanciam. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-02-03

Como Citar

Silva, M. C. da. (2017). Ricardo Piglia, autor de relatos policiais. Uma leitura comparada de Plata Quemada (1997) e Blanco Nocturno (2010). Intelligere, 3(1), 117-129. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2017.117101