Diálogos entre Neomedievalismo, História e Jogos eletrônicos

Autores

  • Allan Reveriego Strazzi Universidade de São Paulo
  • Felipe Yann Cavalcanti Gonçalves Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2020.173310

Palavras-chave:

Neomedievalismo, Jogos digitais, Jogos históricos, Grand strategy wargame, Role playing game

Resumo

Este artigo pretende lançar luz acerca das possíveis conexões entre jogos digitais e a História através do conceito de neomedievalismo. Serão analisados principalmente os jogos do gênero de Grand Strategy Wargame e Role Playing Game (RPG) por meio de estudos de caso. Esse tipo de jogo digital constrói um contexto histórico que pode ser manipulado e moldado pelo jogador, permitindo uma recriação contrafactual do passado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Allan Reveriego Strazzi, Universidade de São Paulo

Discente de História (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade de São Paulo.

Felipe Yann Cavalcanti Gonçalves, Universidade de São Paulo

Discente de História (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade de São Paulo.

Referências

CARVALHO, Vinicius Marino. Representação, Remediação e Proceduralidade: Os Games entre a História e o Entretenimento. Fontes Medievais: Construções e Métodos, 2013.

COOPER, Victoria Elizabeth. Fantasies of the North: Medievalism and Identity in Skyrim. 2016. 206 f. Tese (Doutorado) - Curso de Filosofia, The University Of Leeds School Of English, Leeds, 2016.

DE GROOT, Jerome. Consuming History: Historians and Heritage in Contemporary Popular Culture. Nova York: Routledge, 2009.

ECO, Umberto "Dreaming of the Middle Ages," in Travels in Hyperreality, transl. by W. Weaver, NY: Harcourt Brace, 1986, pp. 61–72.

FOGU, Claudio. Digitalizing Historical Consciousness. History and Theory. Volume temático 47, 2009, p. 121.

NUNES, Mônica Rebecca Ferrari. Memórias e matrizes em textos midiáticos explosivos: cenas medievalistas na cultura jovem / Memories and matrices in explosive media texts. Intexto, [s.l.], v. 5, n. 37, p.242-261, 21 dez. 2016, p.244 http://dx.doi.org/10.19132/1807-8583201637.242-262.

MENEGUELLO, Cristina. Da ruína ao edifício. Neogótico, reinterpretação e preservação do passado na Inglaterra vitoriana. Tese de Doutorado em História, Unicamp, 2000. p. 18. Disponível em http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/280273.

PEREIRA, Maria C. L. “O Revivalismo medieval e a invenção do neogótico: sobre anacronismos e obsessões”. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História. ANPUH. São Paulo: ANPUH, 2011. Disponível em: http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1300848807_ARQUIVO_MARIACRISTINAPEREIRA-anpuh-2011.pdf.

PORTO JUNIOR, João Batista da Silva. AS EXPRESSÕES DO MEDIEVALISMO NO SÉCULO XXI. In: XVIII ENCONTRO DE HISTÓRIA DA ANPUH-RIO: HISTÓRIA E PARCERIAS, 18., 2018, Rio de Janeiro. Anais do Encontro Internacional e XVIII Encontro de História da Anpuh-Rio: História e Parcerias. Rio de Janeiro: Anpuh, 2018. p. 1 - 10.

ROBISON, Carol L. e CLEMENTS, Pamela. “Living with Neomedievalism” In: Studies in Medievalism XVIII. Cambridge: D.S. Brewer, 2009, p. 55-75.

RUSSO, Daniel. O conceito de imagem-presença na arte da idade média. Revista de História, [s.l.], v. 5, n. 165, p.37-72, 30 dez. 2011. Universidade de São Paulo Sistema Integrado de Bibliotecas - SIBiUSP. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i165p37-72.

WORKMAN, Leslie J. "Medievalism Today". In: Medieval Feminist Newsletter 23, 1997.

Sites

http://michaelis.uol.com.br/busca?id=BVYAL

https://www.tibia.com/

https://assassinscreed.ubisoft.com/game/pt-br/games

https://www.paradoxplaza.com/hearts-of-iron-iv/HIHI04GSK-MASTER.html

http://www.larp.mae.usp.br/o-ultimo-banquete-em-herculano/apresentacao-do-projeto/

http://www.larp.mae.usp.br/o-ultimo-banquete-em-herculano/o-que-sao-adventure-games/

http://www.playthepast.org/

Downloads

Publicado

2020-08-23

Como Citar

Strazzi, A. R., & Gonçalves, F. Y. C. (2020). Diálogos entre Neomedievalismo, História e Jogos eletrônicos. Intelligere, (9), 312-325. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2020.173310

Edição

Seção

Pesquisa