O Pensamento Econômico Católico

Origem, desenvolvimento e declínio

Autores

  • Bruno Fernandes Dantas Mamede Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de História

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2020.173506

Palavras-chave:

Economia, Catolicismo, Teologia, Pensamento econômico

Resumo

Neste artigo[1] buscamos fazer um compêndio das principais ideias que nortearam o chamado Pensamento Econômico Católico, do seu surgimento, fruto da reflexão escolástica, a sua fragmentação, ligada às circunstâncias impostas pela Segunda Guerra Mundial. A reflexão católica sobre o funcionamento da economia constitui um capítulo pouco explorado pelo campo da História das Ideias e, especificamente, pela História do Pensamento Econômico. As primeiras contribuições sistemáticas, nesse sentido, são feitas pelos escolásticos, de Santo Tomás de Aquino até os intelectuais da Escola de Salamanca, buscando, de forma geral, posicionar a moral católica frente às transformações econômicas geradas pelo Renascimento Comercial e Urbano, entre os séculos XI e XIII. A sequência de acontecimentos históricos, como as grandes navegações, o surgimento de novas rotas de comércio, a colonização da América, e a consolidação do capitalismo mercantil exigiu que a Igreja Católica continuasse a pensar sobre os problemas advindos dessas novas dinâmicas econômicas. De acordo com a necessidade, as elites intelectuais do catolicismo se revezaram na busca da “cristianização” da economia, ora de forma mais intensa, ora com longos intervalos de silêncio, até que se estrutura de formas mais palpáveis entre os séculos XIX e XX.

 

[1] O texto a seguir compõe uma parte do primeiro capítulo da dissertação que defendemos no Programa de Pós-Graduação em História Econômica da USP em 2019, intitulada “O Pensamento Econômico Católico e a Doutrina Social da Igreja: As contribuições de Joseph Ratzinger-Bento XVI”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Fernandes Dantas Mamede, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de História

Mestre em História Econômica (USP), Especialista em História, Sociedade e Cultura (PUC-SP) e Bacharel em História (USP), atuo como Professor de História do Colégio e Curso Objetivo e no ramo editorial. Minha pesquisa mais recente analisou as contribuições do pensamento de Joseph Ratzinger-Bento XVI para a construção do que chamamos de Teoria Econômica Católica.

Referências

ALMODOVAR, António; TEIXEIRA, Pedro. Economics and Theology in Europe from the Nineteenth Century. In: OSLINGTON, Paul (Org.). The Oxford Handbook of Christianity and Economics. New York: Oxford University Press, 2014.

ASSMANN, Hugo; HINKELAMMERT, Franz J. A Idolatria do Mercado. São Paulo: Vozes, 1989.

ÁVILA, Fernando Bastos de. Pequena Enciclopédia de Doutrina Social da Igreja. São Paulo: Edições Loyola, 1993.

BASCHET, Jerôme. A Civilização Feudal. Trad.: Marcelo Rede. São Paulo: Globo, 2009.

BONNARD, Roger. Syndicalismo, Corporativismo e Estado Corporativo. Trad.: Themistocles Brandão Cavalcanti. Rio de Janeiro: Livraria Editora Freitas Bastos, 1938.

DAUPHIN-MEUNIER, Achille. A Igreja e as Estruturas Econômicas do Mundo. Trad.: José B. Mari. São Paulo: Ed. Flamboyant, 1963.

FANFANI, Amintore. Capitalismo, Socialidade, Participação. Trad.: Natércia Rocha. Lisboa: Editorial Notícias, 1976.

HEERS, Jacques. História Medieval. Trad.: Tereza Aline Pereira de Queiroz. São Paulo: Difel, 1981.

HUNT, Emery Kay; SHERMAN, Howard Jay. História do Pensamento Econômico. Trad.: Jaime Larry Benchimol. Petrópolis: Ed. Vozes, 2013.

LE GOFF, Jacques. A Bolsa e a Vida. Trad.: Rogério Silveira Muoio. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1989.

LE GOFF, Jacques. A Civilização do Ocidente Medieval. Trad.: José Rivair de Macedo. Bauru: Edusc, 2005.

LIMA, Luís Corrêa. Teologia de Mercado: Uma visão da economia mundial no tempo em que os economistas eram teólogos. Bauru: EDUSC, 2001.

MANOILESCU, Mihail. O Século do Corporativismo. Trad.: Azevedo Amaral. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1938.

NOTO, Sergio. Corporatism. In: FACCARELLO, Gilbert; KURZ, Heinz (Org.). Handbook on the History of Economic Analysis. Vol. III. Cheltenham/Northampton: Edward Elgar Publishing, 2016.

PESCH, Heinrich. Ethics and National Economy. Trad.: Rupert Ederer. Norfolk: IHS Press, 2004.

PIMENTA, Eli. A Política e a Igreja Moderna: A visão de Antonio Gramsci. Marília: UNESP. Faculdade de Educação, Filosofia, Ciências Sociais e da Documentação, 1985. [Séries Monográficas, Política, 3].

PIRENNE, Henri. As Cidades da Idade Média. Lisboa: Publicações Europa-América, 1964.

PIRENNE, Henri. História Econômica e Social da Idade Média. Trad.: Lycurgo Gomes da Motta. São Paulo: Ed. Mestre Jou, 1965.

SCHUMPETER, Joseph. História da Análise Econômica. Rio de Janeiro: Centro de Publicações Técnicas da Aliança, 1964.

SOTO, Jesús Huerta de. A Escola Austríaca. Trad.: André Azevedo Alves. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises Brasil, 2010.

TREVOR-ROPER, Hugh Redwald. Religião, Reforma e Transformação social. Trad.: Maria do Carmo Cary. Lisboa: Ed. Presença, 1972.

VALES, Filipe Martins de Sousa. Contributos para uma História do Pensamento Econômico Católico: O declínio e fim do projeto. Porto, 2015. [Dissertação de Mestrado – Faculdade de Economia do Porto].

VERVIER, Jacques; VOS, Herman. Utopia Cristã e Lógica Econômica. Petrópolis: Vozes, 1997.

WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. Trad.: Pietro Nassett. São Paulo: Ed. Martin Claret, 2011.

WEBER, Max. História Geral da Economia. São Paulo: Centauro, 2006.

WOODS, Thomas. Como a Igreja Católica Construiu a Civilização Ocidental. Trad.: Élcio Carillo. São Paulo: Ed. Quadrante, 2008.

Downloads

Publicado

2020-08-23

Como Citar

Mamede, B. F. D. (2020). O Pensamento Econômico Católico: Origem, desenvolvimento e declínio. Intelligere, (9), 98-134. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2020.173506

Edição

Seção

Artigos