Moral religiosa, economia política e bem comum

Autores

  • Daniel de Lara Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2021.188870

Palavras-chave:

José da Silva Lisboa, História Intelectual, Economia Política, Adam Smith

Resumo

O artigo toma para análise aspectos da visão de mundo expressa na obra de José da Silva Lisboa, em especial a partir daquela intitulada Estudos do Bem Comum, e assim dirige atenções à relação ali estabelecida entre moral religiosa e economia política, destacando a importância dos conceitos universais, apreendidos junto à filosofia natural, na construção de uma dada cosmologia. A partir de então, o presente texto identifica e busca compreender potencialidades e limites de tais universais nas análises e projeções tecidas por Silva Lisboa acerca da característica escravista da sociedade brasileira das primeiras décadas do século XIX, concluindo acerca da necessidade de um processo histórico que supere a conjuntura do escravismo e confira a legitimidade dos universais que compunham a visão de mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel de Lara Oliveira

Daniel de Lara Oliveira é Doutor em História pela Universidade de São Paulo. Analisou aspectos da filosofia natural e da cultura ilustrada na cosmologia expressa por José da Silva Lisboa, após pesquisar durante o mestrado questões relacionadas ao newtonianismo na obra de Luís António Verney. Atualmente, leciona na Educação Básica.

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

ALMODOVAR, Antonio. Processos de difusão e institucionalização econômica política no Brasil.IN: CARDOSO, José Luis (org.). A economia política e os dilemas do Império-brasileiro (1790 –1822). Lisboa: Comissão para comemorações dos Descobrimentos Portugueses, 2001.

BOBBIO, N.; MATEUCCI, N.; PASQUINO, G. Dicionário de Política. Brasília: Editora da Universidade de Brasília; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2000.

BOTO, Carlota. Iluminismo e Educação em Portugal: o legado do século XVIII ao XIX.Petrópolis: Vozes, 2004.

BUTTERFIELD, Hebert. As origens da Ciência Moderna.Lisboa:EDIÇÕES 70. 1ª edição em inglês: The Origins of Modern Science,de 1949.

CABRAL, Alfredo do Valle. Vida e Escriptos de José da Silva Lisboa (1881). IN: Cairu, org. E. Vilhena de Morais. Rio de Janeiro, 1958.C

ALAFATE, Pedro. A idéia de natureza no século XVII em Portugal.Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1994.

CARNEIRO, A. e Simões, A. (2000). Enlighthtenment sciencein Portugal: the estrangeirados and their communicating networks. IN: Social Studies of Science, 2000; 30/4, 591-619.

CARVALHO, Darcy. Desenvolvimento e livre-comércio: as ideias econômicas e sociais de Visconde de Cairu. São Paulo: Instituto de Pesquisas Econômicas, 1985.

CARVALHO, Rômulo. A história natural em Portugal no século XVIII.Lisboa, I.C.L.P., 1987.

CASINI, Paolo. Newton e a consciência européia.São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1995.

CASSIRER, E. A filosofia do iluminismo.Campinas: Unicamp, 1994.CIDADE, Hernani. Lições e Cultura e Literatura Portuguesas. 2 volumes. Coimbra: Editora Limitada, 1975.

COGGIOLA, O (Org.). A Revolução Francesa e seu Impacto na América Latina. São Paulo: Nova Stella: Editora da Universidade de São Paulo; Brasília, DF: CNPq, 1990.

COHEN, I. B. e WESTFALL, R. S. (organizadores). Newton: textos, antecedentes, comentários. Rio de Janeiro: Contraponto; EDUERJ, 2002.

DECOLA, P. Diversité des natures, diversités des cultures.Montrouge: Bayard, 2010.DIAS, José Sebastião da Silva. Portugal e a cultura européia (séculos XVI e XVIII).In: Biblos, Vol. XXVIII, 1953.

DOMINGUES, Francisco Contente. Ilustração e Catolicismo. Teodoro de Almeida. Lisboa, Colibri: 1994.

FORCE, James E.; POPKIN, Richard H. Essays on the context, nature, and influence of Isaac Newton ́s theology. Dordrecht/Boston/London: Kluwer Academic Publishers, 1990.

FRANCO, A. A. de M., O visconde de Cairu. IN: Digesto Econômico. Agosto de 1947.

FRANCO, M. S. de C. As idéias estão no lugar. IN: Caderno de Debates, nº 1, p. 61 –64. São Paulo: Brasiliense, 1976.

GAUER, Ruth Maria C. A construção do Estado-nação no Brasil. A contribuição dos egressos de Coimbra.Curitiba: Juruá, 2001.

HAZARD, Paul. A crise da consciência européia. Lisboa: Cosmos, 1948.

HOLANDA, Sérgio Buarque de (direção). História Geral da Civilização Brasileira.São Paulo: DIFEL, 1985.

HOLANDA, Sérgio Buarque de (direção). Raízes de Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

KIRSCHNER, Tereza Cristina. José da Silva Lisboa, Visconde de Cairu. Itinerário de um ilustrado luso-brasileiro. São Paulo: Alameda; Belo Horizonte: PUC-Minas, 2009.

LENOBLE, Robert. História da Idéia de Natureza. Rio de Janeiro: Edições70, 1990.

LIMA, Alceu do Amoroso. Época, Vida e Obra de Cairu. IN: José da Silva Lisboa –Princípios de Economia Política. 2ª ed. Rio de Janeiro, 1956.

LISBOA, E. (coord.). Dicionário cronológico de autores portugueses. Instituto Português do Livro Europa-América, 1985.

LISBOA, José da Silva. Princípios de Economia Política para servir de introdução à teoria Econômica do autor dos Princípios de Direito Mercantil. Lisboa: Impressão Régia, 1804.

LISBOA, José da Silva. Estudos do bem comum e economia política ou ciência das leias naturais e civis de animar e dirigir a geral indústria e promover a riqueza nacional e prosperidade do Estado. Rio de Janeiro: Impressão Régia, 1819-1820.

LISBOA, José da Silva. Constituição Moral de deveres do cidadão com exposição da moral pública conforme o espírito da constituição do império. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1824-1825.

MELCHIOR, Elísio de Oliveira. Visconde de Cairu, sua vida e sua obra. Rio de Janeiro, 1959.MONTEIRO, Pedro Meira. Um moralista nos trópicos: o visconde de Cairu e o Duque de la Rochefoucauld. São Paulo: Fapesp / Boitempo Editorial, 2004.

MELCHIOR, Elísio de Oliveira. O ‘reacionário’. Muitos historiadores falam mal do Visconde de Cairu. Será que ele merece isso?Artigo publicado em agosto de 2008 pela Revista de História da Biblioteca Nacional. Consultado em 8 de julho de 2014. IN: http://www.revistadehistoria.com.br/secao/retrato/o-reacionario.

NEWTON, Isaac. Princípios matemáticos de filosofia natural. São Paulo: Edusp, 2002.

NEWTON, Isaac. Óptica. São Paulo: EDUSP, 1996.NOVAIS, Fernando A. Portugal e Brasil na Crise do Antigo Sistema Colonial (1777-1808). 3ªedição São Paulo: Hucitec, 1985.

NOVAIS, F. A.; ARRUDA, J. J. de Andrade. Prometeus e Atlantes na forja da nação. Introdução. IN: LISBOA, José da Silva. Observações sobre a franqueza da indústria, e estabelecimento de fábricas no Brasil. Brasília: Senado Federal, 1999.

OLIVEIRA, Daniel de Lara. Ciência moderna e newtonianismo no projeto pedagógico de Luís António Verney. São Paulo: Todas as Musas, 2013.

PAIM, Antonio. Cairu e o Liberalismo Econômico.Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1968.

PAULA, L. Nogueira de. Introdução. IN: Lisboa, José da Silva. Princípios de Economia Política. Rio de Janeiro, 1956.

ROCHA, Antonio Penalves. A economia política na sociedade escravista. São Paulo: Depto. de História –FFLCH –USP / Hucitec, 1996.

ROCHA, Antonio Penalves. (Org. e Introd.).Visconde de Cairu (1756 –1835). São Paulo: Editora 34, 2001.

ROCHA, Antonio Penalves.. ROCHA, Antonio Penalves. A escravidão na economia política. IN: Revista História, São Paulo,120, p. 97-108, Jan/Jul 1989.

RODRIGUES, M. A. A Universidade de Coimbra e a elite intelectual brasileira na última fase do período colonial período colonial.IN: Revista de História das Idéias, v. 12, 1990.

SILVA, Beatriz Nizza. A Cultura Brasileira: da reforma da Universidade à independência do Brasil.Lisboa: Editorial Estampa, 1999.

SILVA, Beatriz Nizza. Linguagem, cultura e sociedade. O Rio de Janeiro 1808 a 1821.Tese de Livre Docência. 1993. FFLCH –USP.SKINNER, Q. Meaning and Understanding in the History of Ideas. IN: History and Theory 8, 1969.

SILVA, Beatriz Nizza. Motivos, intenciones e interpretación. IN: SKINNER, Q. Lenguaje, Política e História.Bernal: Univ. Nacional de Quilmes, 2007.

SILVA, Beatriz Nizza. Interpretación y comprensión en los atos de habla. IN: SKINNER, Q. Lenguaje, política e história.Bernal: Univ. Nacional de Quilmes, 2007.SMITH, Adam. Investigação sobre a natureza e as causas da riqueza das nações.3ª edição. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

SILVA, Beatriz Nizza. Investigação sobre a natureza e as causas da riqueza das nações. 3ª edição. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

STOCZKOWSKI, Wiktor. Anthropologies rédemptrices.Le monde selon Lévi-Strauss [Antropologias redentoras. O mundo segundo Lévi-Strauss]. Paris: Hermann Éditeurs, 2008.

VAINFAS, Ronaldo (org.). Dicionário do Brasil imperial.Rio de Janeiro: Objetiva, 2002.

Downloads

Publicado

2021-08-14

Como Citar

Oliveira, D. de L. (2021). Moral religiosa, economia política e bem comum. Intelligere, (11), 22-51. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2021.188870

Edição

Seção

Artigos