Assimilação, trajetória literária e intelectual: o caso de José Albasini (1908-1935)

Autores

  • Thiago Henrique Sampaio Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2021.189600

Palavras-chave:

Imprensa em África, José Albasini, O Africano, Colonialismo

Resumo

Em finais de Oitocentos e nas primeiras décadas da centúria seguinte, desenvolveu-se em Moçambique uma imprensa oriunda de uma elite negra local. Esse grupo conhecido como assimilados, buscaram denunciar as mazelas, desleixos e corrupções da administração colonial portuguesa nos territórios moçambicanos. Um destes periódicos que denunciaram foi O Africano, criado em 1908 pelo Grêmio Africano de Lourenço Marques e que teve duração até 1919 sobre a direção dos irmãos João Albasini e José Albasini. A figura de José Albasini por muito tempo esteve a sombra da trajetória intelectual do seu irmão. Entretanto, José trilhou um caminho próprio e é considerado como o primeiro cronista de origem africana em Moçambique com sua série de textos Em busca de sáude: crônicas de um doente. O presente artigo busca pontuar as potencialidades existentes dentro da trajetória intelectual de José Albasini e sua atuação em Moçambique.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Henrique Sampaio, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em História pela Faculdade de Ciências e Letras (UNESP/Assis), graduado em História (2011-2014) e graduando em Letras (2015) pela mesma instituição. Desenvolveu pesquisa de Iniciação Científica com Bolsa FAPESP sob orientação do Dr. Paulo Cesar Gonçalves, na área de História Contemporânea, História Econômica e História da África, onde trabalhei o projeto "A política colonial portuguesa e a ocupação de Moçambique (1890 - 1910)". Atualmente desenvolve o projeto em nível de mestrado: "Portugal em África: continuidade e rupturas na colonização de Moçambique (1875 - 1926)". É membro do Núcleo de História Econômica da Faculdade de Ciências e Letras (UNESP/Assis) e faz parte dos grupos de pesquisas Religiões e Trajetórias das Experiências Missionárias em África: Arquivos, Acervos e Pesquisas sediado na Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (UNIFESP) e Economia e Política dos Impérios Ibéricos (sécs. XV-XX) da Cátedra Jaime Cortesão (FFLCH/USP). Trabalha com os temas de colonialismo, imperialismo, neocolonialismo, discurso político e colonial.

Referências

ABDALA JUNIOR, Benjamin. De vôos e ilhas: literatura e comunitarismos. Cótia-SP: Atelie Editorial, 2007

ABDALA JUNIOR, Benjamin. Literatura, história e política: literaturas de língua portuguesa no século XX. Cótia, SP: Atelie Editorial, 2007.

APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia da cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

BENJAMIN, Walter. O autor é um produtor. São Paulo: Ática, 1985.

BOURDIEU, Pierre. “The corporatismo of the universal: the role of intellectuals in the modern world!. Telos, 1989, n. 81, p. 99. Apud CHAUÍ, Marilena. Intelectuais engajado: uma figura em extinção? IN: NOVAES, Adauto. O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

BRAGA-PINTO, César (Org.). José Albasini. À procura de saúde: crônicas de um doente (1935). Maputo: Alcances Editores, 2015.

CHAUÍ, Marilena. Intelectuais engajado: uma figura em extinção? IN: NOVAES, Adauto. O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

CORBISSIER, Roland. Prefácio. IN: MEMMI, Albert. Retrato do colonizado precedido pelo retrato do colonizador. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FRY, Peter. Culturas da diferença: seqüelas das políticas coloniais portuguesas e britânicas na África Austral. Afro-Asia, n. 30, p. 271-316, 2003.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a Organização da Cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

MACEDO, Tania. Uma cidade e sua escrita: a representação literária de Luanda. Tese de Livre Docência. Assis: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filhos”, 2003.

MEMMI, Albert. Retrato do colonizado precedido pelo retrato do colonizador. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

MENDONÇA, Fátima. “Dos confrontos ideológicos na Imprensa em Moçambique”. IN: CASTELO, Cláudia; THOMAZ, Omar Ribeiro; NASCIMENTO, Sebastião; SILVA, Teresa Cruz (Orgs.) Os outros da colonização: ensaios sobre o colonialismo tardio em Moçambique. Lisboa: Imprensa de Ciência Sociais, 2012.

MENDONÇA, Fátima. Literatura moçambicana as dobras da escrita. Moçambique: Ndjira, 2011.

MINDOSO, André Victorino. Os assimilados de Moçambique: da situação colonial à experiência socialista. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2017.

MOREIRA, José. Os assimilados, João Albasini e as eleições (1900-1922). Maputo: Arquivo Histórico de Moçambique, 1997.

O AFRICANO

O BRADO AFRICANO

O CLAMOR AFRICANO

O’LAUGHLIN, Bridget. Class and the customary: ambiguous legacy of the indigenato in Mozambique. African Affairs, v. 99, n. 394, p. 5-42, 2000.

SAID, Edward. Representações do intelectual. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SARTRE, Jean-Paul. Em defesa dos intelectuais. São Paulo: Ática, 1994.

SARTRE, Jean-Paul. Situations II. Paris: Gallimard, 1948.

SILVA, Augusto Santos. Podemos dispensar os intelectuais? IN: MARGATO, Isabel; GOMES, Renato Cordeiro (org.). O papel do intelectual hoje. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004.

SOARES, Paulo; ZAMPARONI, Valdemir. Antologia de textos do jornal “O Africano” (1908-1919). Estudos Afro-Asiáticos. Rio de Janeiro, v. 22, pp. 127-179.

THOMAZ, Fernanda do Nascimento. Os “Filhos da Terra”: discurso e resistência nas relações coloniais no sul de Moçambique (1890 – 1930). Dissertação de Mestrado no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense. Niterói: UFF, 2008.

WALTY, Ivete; CURY, Maria Zilda. O intelectual e o espaço público. Revista da ANPOLL, v. 1, n. 26, 2009, pp. 219-232.

ZAMPARONI, Valdemir. A imprensa negra em Moçambique: a trajetória de “O Africano” (1908-1920). África: Revista do Centro de Estudos Africanos, SP, v. 11, n. 1, 1988, pp. 73-86.

ZAMPARONI, Valdemir D. “Colonialismo, jornalismo, militância e apropriação da língua portuguesa em Moçambique nas décadas iniciais do século XX”. IN: GALVES, Charlotte; GARMES, Helder; RIBEIRO, Fernando Rosa. África-Brasil: caminhos da língua portuguesa. Campinas: Editora da Unicamp, 2009.

ZAMPARONI, Valdemir D. Entre Narros e Mulungos: colonialismo e paisagem social em Lourenço Marques, Moçambique, c. 1890-c. 1940. Tese de Doutoramento. Programa de Pós-Graduação em História Social. São Paulo: USP, 1998.

Downloads

Publicado

2021-12-15

Como Citar

Sampaio, T. H. (2021). Assimilação, trajetória literária e intelectual: o caso de José Albasini (1908-1935). Intelligere, (12), 68-90. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2021.189600

Edição

Seção

Artigos