MOBILIDADE SUSTENTÁVEL - CALÇADAS: ESPAÇOS DESTINADOS AOS DESBRAVADORES URBANOS NO BAIRRO DE SANTO AMARO

Autores

  • Adrielli França da Silva Centro Universitário Fiam Faam

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-2275.v2i11p104-130

Palavras-chave:

calçadas, passeio público, mobilidade sustentável, pedestres

Resumo

Os espaços de passeio no ambiente urbano destinados aos pedestres parecem ter sido resultado de um grande improviso dentro das questões de estruturação dos meios de circulação da cidade de São Paulo. Inicialmente as calçadas não eram destinadas para as pessoas trafegarem e sim as ruas, todavia com o aumento da indústria automobilística, as ruas passaram a ser projetadas prioritariamente para os automóveis, deixando em segundo plano as estruturas estabelecidas para a circulação de pessoas. As ações do poder público durante anos estiveram voltadas ao conforto do automóvel, direcionando a responsabilidade das calçadas aos proprietários dos lotes, definindo alguns parâmetros básicos que ainda hoje, raramente são seguidos, conformando caminhos sem unidade, desconexos e irregulares. Essa transmissão de responsabilidade mostra claramente o valor que se dá ao pedestre - basicamente nenhum - pois nem sequer existe a preocupação em disponibilizar uma via decente para ele trafegar em segurança e conforto.  Santo Amaro foi escolhido para análise por ser um território extremamente diversificado quanto ao uso e a forma de ocupação e por suas características topográficas e de intenso movimento de pessoas. Assim, foi feito uma análise das calçadas da região através de diversas tipologias de pedestres, a fim de identificar dificuldades específicas e gerais de locomoção no bairro. Foram percorridos aproximadamente 12 quilômetros de calçadas no bairro, onde foi possível agrupá-las em 3 condições principais: Calçadas Adequadas; Calçadas Inadequadas com Potencial de Adequação e Calçadas Inadequadas sem potencial de Adequação. Constatou-se que as áreas com grande potencial parecem estar à espera da conscientização de seus cuidadores, os proprietários, ou apenas de uma aplicabilidade e fiscalização mais rigorosa de nossas legislações em vigência, afinal é direito do cidadão não apenas ir e vir mas ser servido de qualidade em quaisquer que sejam seu percurso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMIRALIAN, Maria LT et al. Conceituando deficiência. Rev. Saúde Pública [online]. 2000, vol.34, n.1, pp. 97-103. ISSN 1518-8787. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102000000100017 Acesso em: 10 de outubro de 2015.

BRASIL. Calçadas Paulistanas Você conhece o Passeio Livre? São Paulo/SP. 2009. Disponível em: http://www.vereadornatalini.com.br/site/sites/default/files/file/Cartilhas/cartilhacalcadas.pdf Acesso em: 20 de outubro de 2015.

BRASIL. Plano Diretor Estratégico de São Paulo 2014 Texto Ilustrado. Disponível em:

http://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/texto-da-lei-com-hyperlinks/. Acesso em: 10 de outubro de 2015.

BRASIL. Calçadas - O direito de ir e vir começa na porta da nossa casa. São Paulo/SP. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/subprefeituras/calcadas/index.php?p=36935 Acesso em: 10 de outubro de 2015.

BRÖG, W., MENSE, N. Eight Cities Walking: Comparative Data on Walking as a Transport Mode from Cities in Europe, Australia and the US, Portland, sd.

BOARETO, Renato. Calçadas. Revista dos Transportes Públicos. ANTP, 2003. Disponível em: http://www.usp.br/nutau/CD/171.pdf Acesso em: 10 de outubro de 2015.

ECK,, R.W., Handbook of Transportation Engineering Pedestrians, Department of Civil and Environmental Engineering, West Virginia University, Morgantown, West Virginia, Copyright © 2004 by The McGraw-Hill Companies, 2004.

FERREIRA, W. R., SHIMOISHI, J. M., A Segregação do Pedestre nas Cidades de Porte Médio, 1996, In: Anais do X Congresso Associação Nacional de Pesquisa e Ensino Transportes - ANPET, v.I, Brasília.

FIGUEIREDO, C. F.; MAIA, M. L. A. O Pedestre e seu Ambiente de Circulação: Condições e Avaliação dos Deslocamentos a Pé nas Cidades. Universidade Federal de Pernambuco. Recife/PE. Disponível em http://www.antp.org.br/_5dotSystem/download/dcmDocument/2013/10/06/4D359BE4-AAD1-41F6-953C-54F7C9B9CCBF.pdf Acesso em: 10 de outubro de 2015.

GEHL, J.; Cidades Para Pessoas. Editora Perspectiva. 2ª edição. pag. 121 Dinamarca. 2014.

GOLD; P. A., Melhorando as Condições de Caminhada em Calçadas, Gold Projects, 2003.

JACOBS, J., Morte e Vida de Grandes Cidades, 3ª edição. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011. pg. 29.

LEIVA, G. C., BARBOSA; H. M., Nível de Qualidade da Via Para Ciclistas - Uma Análise sobre o Ambiente Urbano, In: Anais do XVII Congresso da Associação Nacional de Pesquisa e Ensino Transportes - ANPET, Rio de Janeiro, 2003. Disponível em: http://www.antp.org.br/_5dotSystem/download/dcmDocument/2013/10/06/4D359BE4-AAD1-41F6-953C-54F7C9B9CCBF.pdf. Acesso em: 10 de outubro de 2015.

MELO, L. B. DE, TORRES, A. C. S., JACQUES, M. A. P., Estudo dos Fatores que afetam a Velocidade de Caminhada em Faixas de Pedestres Localizadas em Rodovias, Anais do XVIII Congresso da Associação Nacional de Pesquisa e Ensino Transportes - ANPET, Florianópolis, 2004.

MORATO, R.G.; KAWAKUBO, F. S. et al.; Avaliação da Desigualdade Ambiental na Subprefeitura de Santo Amaro – São Paulo/SP por meio de Geoprocessamento. ABEP, Caxambu- MG – Brasil, de 20- 24 de Setembro de 2004.

MOUDON, A. V., HESS, P. M., SNYDER, M. C. and STANILOV, K., Effects of Site Design on Pedestrian, Travel in Mixed-Use, Medium-Density Environments, Transportation Research Record, 1578, Paper No. 971360, Pag 48-55, sd. Disponível em: http://www.antp.org.br/_5dotSystem/download/dcmDocument/2013/10/06/4D359BE4-AAD1-41F6-953C-54F7C9B9CCBF.pdf Acesso em: 10 de outubro de 2015.

OSHIRO, F. S.; SILVEIRA, K. J.; VICENTE, R. V. A circulação na cidade de São Paulo: Planejamento ou improviso? Presidente Prudente/Sp. 2009. Disponível em: http://observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal12/Geografiasocioeconomica/Geografiaurbana/225.pdf Acesso em: 16 de outubro de 2015.

PONCIANO, L.; 450 Bairros São Paulo 450 Anos. 2ª Edição. São Paulo: Editora Senac. São Paulo, p. 249-251. 2004.

SCHLICKMANN, M. P.; Caos Planejado. 2014. Disponível em: http://caosplanejado.com/ruas-para-pedestres/ Acesso em: 12 de outubro de 2015.

SILVA, A. S., LARA R., A Reconquista da Rua como Lugar de Convívio Social, In: 1º Congresso Luso Brasileiro para o Planejamento Urbano Regional Integrado e Sustentável, São Carlos, SP, 2005.

SMPDS - Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável. Projeto Calçada Acessível [Guia para projetos de espaços públicos]. Seropédica/RJ. 2012. Disponível em: http://solucoesparacidades.com.br/wp-content/uploads/2013/04/Nova-Cartilha.pdf

Downloads

Publicado

2016-04-05

Como Citar

da Silva, A. F. (2016). MOBILIDADE SUSTENTÁVEL - CALÇADAS: ESPAÇOS DESTINADOS AOS DESBRAVADORES URBANOS NO BAIRRO DE SANTO AMARO. Revista LABVERDE, 2(11), 104-130. https://doi.org/10.11606/issn.2179-2275.v2i11p104-130

Edição

Seção

Artigos