Paisagem recriada: Projeto de descaracterização das barragens da mina da cachoeira

Autores

  • Patrícia Akinaga
  • Makoto Namba
  • Ilton Cunha
  • German Vinueza
  • Gustavo Lopes Fontes
  • Arsênio Negro Júnior

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-2275.v0i1p117-133

Palavras-chave:

alagados construídos, desativação de mina, recuperação ambiental, paisagem recriada, infraestrutura verde

Resumo

O objeto do artigo é a infraestrutura verde, solução adotada para a descaracterização de três barragens de rejeito inerte da Mina de Manganês Cachoeira pertencente à Vale. A mina localiza-se no município de Ritápolis, cerca de 30 km de São João Del Rei. O artigo examina o projeto paisagístico desenvolvido como parte do processo de desativação da mina, segundo diretrizes do órgão ambiental, em relação à segurança das barragens e a recuperação da paisagem. O objetivo do projeto não foi reproduzir a natureza que ali existiu e sim recriá-la a partir da reconciliação entre a paisagem natural e a paisagem construída dominante. Apresenta a concepção e a implementação dos alagados construídos, wetlands, e do projeto de plantio implantado. Analisa a vazão da água, o ciclo dos nutrientes, a vegetação macrófita e a insolação como elementos determinantes para o equilíbrio e para a biodiversidade. Discorre sobre a configuração atual da paisagem da área dos reservatórios , resultado da atividade de mineração: barragens de rejeito, taludes e a vegetação existente. Como método, foi realizado levantamento de campo com a análise da fauna, flora e topografia local. Além das plantas, cortes e as elevações, foram elaboradas perspectivas e maquetes do terreno a partir das barragens existentes, lagoas e taludes suaves propostos. A existência de nascentes à montante das barragens possibilitou o projeto. As barragens foram “desmontadas” paisagisticamente e foram substituídas por áreas alagadas, wetlands, que deram outra dinâmica ao sítio e restabeleceram conexões com a mata circundante. O projeto de infraestrutura verde trabalhou com a “engenharia” do terreno. As nascentes foram tomadas como elementos alimentadores do sistema além do aproveitamento das águas pluviais captadas pelas linhas de drenagem natural das áreas adjacentes. As intervenções propostas na paisagem foram concebidas segundo princípios que levaram em conta: as compatibilidades ecológicas das espécies, a integração com a paisagem, a especificação de vegetação de menor manutenção e conforme diretrizes do biólogo da equipe quanto á sua adaptabilidade ao local ou já presentes na área de intervenção e devidamente identificadas durante o trabalho de campo. Em conclusão, o artigo apresenta os resultados da descaracterização das barragens e a substituição por taludes galgáveis suaves. O escalonamento existente deu lugar às lagoas e áreas inundáveis constituídas por vegetação pertencente ao novo ambiente. Os diversos portes e características distintas das espécies foram elementos que enriqueceram a paisagem e sua dinâmica ecológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Akinaga

Arquiteta paisagista

Makoto Namba

Engenheiro geotécnico

Ilton Cunha

Engenheiro de meio ambiente

German Vinueza

Geólogo

Gustavo Lopes Fontes

Gerente do Morro da Mina, Vale Manganês

Arsênio Negro Júnior

Diretor, Bureau de Projetos e Consultoria

Downloads

Publicado

2010-09-11

Como Citar

Akinaga, P., Namba, M., Cunha, I., Vinueza, G., Fontes, G. L., & Negro Júnior, A. (2010). Paisagem recriada: Projeto de descaracterização das barragens da mina da cachoeira. Revista LABVERDE, (1), 117-133. https://doi.org/10.11606/issn.2179-2275.v0i1p117-133

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)